Administração de Empresas - Teses - CCSA Higienópolis

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 224
  • Tese
    Os efeitos do domínio da aprendizagem na inteligência coletiva no contexto da educação corporativa: um olhar com base na Taxonomia de Bloom
    Rodrigues, Andrea Cristina Deis (2024-04-08)

    Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)

    O desenvolvimento de habilidades e competências pelos colaboradores em contexto de grupos e trabalho integrado tem gerado benefícios no que diz respeito ao ganho de desempenho e produtividade através da educação corporativa e do desenvolvimento da Inteligência Coletiva. Assim, momentos de formação continuada apresentam seu potencial ao proporcionar este desenvolvimento contínuo e coletivo, transformando o grupo numa entidade coesa capaz de criar soluções em cooperação, apesar da premência da melhoria de integração entre as ações educativas, estratégias organizacionais e formas adequadas de avaliação das práticas educativas corporativas. Nesse âmbito, o emprego da Taxonomia de Bloom é defendido por sua eficácia também na transposição dos desafios da educação corporativa, ao classificar objetivos cognitivos, afetivos e psicomotores de aprendizagem no planejamento de atividades pedagógicas, com o intuito de promover simultaneamente pensamento crítico e aprendizagem significativa. Com isso, tem-se por objetivo avaliar os efeitos dos Domínios de Aprendizagem Cognitivos, Afetivos e Psicomotores na formação da Inteligência Coletiva, segundo o Modelo da Taxonomia de Objetivos Educacionais Corporativos para o ambiente empresarial. Para tal, foram analisadas respostas à questionário estruturado em duas etapas. Primeiro, análise exploratória com 83 participantes de um curso lato sensu e, posteriormente, com 210 funcionários de três empresas que promovem formações ao quadro de funcionários, após cálculo de amostra mínima através do software Gpower 3. A coleta de dados foi online, direcionada a respondentes com cargos gerenciais ou de supervisão e formação superior. As hipóteses foram avaliadas com a técnica de Modelagem de Equações Estruturais (MEE) e emprego do software SmartPLS 4.0. A escolha do SmartPLS se deu pela flexibilidade em lidar com pressupostos de normalidade e multicolinearidade, além de permitir o teste de bootstrapping para verificar a significância dos coeficientes. A confiabilidade foi avaliada usando Alfa de Cronbach, Confiabilidade Composta e R2 , com ênfase na confiabilidade composta para atender ao critério de Hair e colaboradores (2005) com índice >0,7. A finalidade do questionário foi mensurar a inter-relação entre os domínios cognitivos e afetivos da Taxonomia de Bloom sob a conceituação de Anderson e Krathwohl (2001), psicomotor, de acordo com Dave (1970) e Inteligência Coletiva, conforme Kaur e Shah (2018). Os resultados sugerem maiores avanços para a Inteligência Coletiva quando valores, atitudes e ações são incentivados e valorizados no ambiente corporativo. Ainda, atividades de formação pautadas em metodologias ativas também parecem favorecer a formação de tal atributo, sobretudo por proporcionarem novas possibilidades de interação e colaboração entre os aprendizes. Por outro lado, em casos de baixo nível de interação, a inteligência individual parece não colaborar para a inteligência coletiva. Logo, o desenvolvimento de habilidades cognitivas, afetivas e psicomotoras orientado pela educação corporativa e planejada sob a perspectiva dos domínios de aprendizagem da Taxonomia de Bloom, se reflete na promoção da inteligência coletiva para gestores e organizações preocupados com o destaque em um contexto competitivo e em transformação.
  • Tese
    Impactos da maturidade da transformação digital e da aprendizagem organizacional na capacidade de inovação das organizações da área de serviços
    Vargas, Claudio Jardim (2024-04-23)

    Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)

    O objetivo desta pesquisa foi analisar as relações entre a maturidade da transformação digital (MTD), a aprendizagem organizacional (AO) e a capacidade de inovação em serviços (CIS). A pesquisa foi realizada em diferentes organizações, operando no Brasil. Foi realizada uma extensa revisão da literatura em relação aos temas do trabalho para entender conceitos e criar a base teórica para o estudo. Neste processo, foram analisadas a transformação digital, a maturidade da transformação digital, a inovação em serviços, a capacidade de inovação, a capacidade de inovação em serviços, as relações entre a MTD e a CIS, a aprendizagem organizacional e as relações entre a MTD, a AO e a CIS. Posteriormente, foi realizada uma pesquisa empírica, utilizando o método misto (qualitativo e quantitativo). A primeira etapa (qualitativa) focou-se na proposição de dimensões para uma escala adaptada de mensuração para CIS, tomando – como ponto de partida – duas escalas prévias da teoria: Janssen et al. (2016) e Wang e Ahmed (2004). Estas escalas foram combinadas com uma pesquisa qualitativa baseada em entrevistas em profundidade com sete gestores da área de serviços. Estas entrevistas passaram por um processo de análise de conteúdo e, deste processo, emergiram quatro dimensões relacionadas a CIS: organização inovadora, informações de mercado, cultura para a inovação e conhecimento organizacional em inovação. Para a parte quantitativa, foram coletados dados de respondentes, via questionários do tipo survey on-line, utilizando-se uma escala do tipo Likert de sete pontos. No total, foram 206 respondentes, sendo 202 considerados válidos para os objetivos da pesquisa. Estes dados foram processados no SmarPLS 4 ®. Em uma primeira análise, buscou-se validar os três construtos: MTD, CIS e AO. Posteriormente, passou-se para a análise do modelo estrutural e o teste das hipóteses. Os resultados da pesquisa indicam uma relação positiva e significativa entre a maturidade da transformação digital e a capacidade de inovação em serviços e propõe um modelo que relaciona os três construtos: o impacto direto da maturidade da transformação digital e da aprendizagem organizacional na capacidade de inovação em serviços. Em adição, a escala adaptada de mensuração de CIS proposta e validada pode ser usada em novos estudos. Acredita-se que este trabalho abra a possibilidade de aprofundamento em pesquisas futuras dos temas analisados e traga contribuições tanto acadêmicas quanto profissionais ao relacionar os três temas de maneira inovadora.
  • Tese
    Projeção de preço para ações brasileiras utilizando-se dados em alta frequência
    Mattos, João Vitor de (2024-02-19)

    Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)

    O objetivo deste trabalho é investigar o poder preditivo de modelos econométricos e machine learning quando aplicados a séries temporais financeiras em alta frequência. Este tema é pertinente aos agentes econômicos atuantes no mercado financeiro brasileiro, que anseiam por ferramentas capazes de sustentar sua tomada de decisão em meio às inovações de conjuntura. Esta pesquisa está subdividida em três partes: a primeira conta com uma análise bibliométrica – combinada a uma revisão sistemática – da literatura empírica sobre Projeção de preço para ações brasileiras utilizando-se dados em alta frequência. Em seguida passa-se a utilizar o arcabouço econométrico e de machine learning existente aplicado a séries em alta frequência para algumas ações negociadas no ambiente da B3. Por fim, o desempenho dos modelos será mensurado e avaliado de modo crítico através do procedimento Model Confidence Set, possibilitando um veredito conclusivo a respeito das vantagens e obstáculos impostos a cada abordagem.
  • Tese
    Efeito da mediação moderada da transformação digital na gestão da cadeia de suprimentos na perspectiva da teoria do custo de transação
    Terra, Marcelo Sansini (2024-02-22)

    Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)

    A Transformação Digital, ou aplicação das Tecnologias Digitais, passou a ser pauta imperativa nas organizações. As tecnologias rompem paradigmas organizacionais sobre forma, modelo, meios e estrutura de promoção de valor. Nesse contexto, mercados de todo o mundo são submetidos a identificar soluções para sua sobrevivência. Na contemporaneidade, a atuação isolada de uma organização oferece pouca eficiência e eficácia, cabendo atuar a partir de um conjunto de parceiros complementares ao seu objeto fim, promovendo as cadeias de suprimentos. Contudo, a efetivação da cadeia de suprimentos requer a investigação sobre custos de transação, de maneira a minimizar os efeitos dos pressupostos comportamentais e considerar as dimensões da transação. Ao longo do tempo, o desafio das organizações passou a ser por melhores desempenhos operacionais e financeiros, com os quais esta pesquisa contribui. Assim, este trabalho teve como objetivo avaliar mediação moderada entre a transformação digital e o desempenho da cadeia de suprimentos, em função do custo de transação das empresas. Esta pesquisa, de natureza multimétodos, foi constituída em três fases. A primeira, de pesquisa bibliométrica, por meio de consultas em base dados. A segunda, de natureza exploratória, utilizou amostra de cinco respondentes, tendo sido os dados coletados por meio de entrevistas individuais, gravadas em áudio e avaliadas por meio de análise de conteúdo, tabulações cruzadas simples e análises univariadas. A terceira, de natureza descritiva, em que se utilizou uma amostra de 1500 respondentes, cujos dados foram coletados por meio de questionários estruturados, tendo um retorno de 105 respondentes (7% de retorno) e avaliados por estatística descritiva, análise fatorial e validação do modelo. Em ambas as fases, as amostras da população foram delimitadas a respondentes pertencentes aos CNAE 10 a 33, sediados no Brasil, de origem nacional ou multinacional. Os resultados dos testes de hipóteses mostraram que o Custo de Transação medeia a relação entre Orientação Estratégica da Cadeia de Suprimentos e o Desempenho da Empresa (H1) e que a Transformação Digital modera a relação entre Orientação Estratégica da Cadeia de Suprimentos e o Desempenho da Cadeia de Suprimentos (H1). Diante do resultado obtido, a pesquisa concluiu que os benefícios da cadeia de suprimentos constituídos com a aplicação das tecnologias digitais tornam-se necessários com a realidade do mercado, promovendo oportunidades e diferenciais competitivos às empresas. Este trabalho contribui com uma melhor compreensão do setor de transformação da indústria brasileira e disponibiliza ao corpo acadêmico e à sociedade em geral uma visão inédita da relação dos constructos pesquisados.
  • Tese
    Adoção do modelo de clubes-empresas no Brasil e suas consequências do ponto de vista de governança e gestão
    Yagui, Paulo Henrique Zanon (2024-02-06)

    Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)

    O mercado do futebol vem crescendo de forma consistente e rápida em todo o mundo, exigindo melhores práticas de gestão. Nas cinco principais ligas europeias de futebol, quase todos os clubes passaram do formato associativo para o formato empresarial, voluntariamente ou por imposição legal, desde a década de 1980, levando à atual posição de destaque. O futebol brasileiro passa por situação semelhante em termos de crescimento de renda e posição dominante na América Latina, porém, a maior parte dos clubes brasileiros ainda possui o formato associativo, o que tem sido apontado como um dos principais motivos das más práticas de gestão que levaram muitos clubes a condições insustentáveis. Em 2021, a promulgação da Lei 14.193/2021 da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) abriu a possibilidade para clubes de futebol adotarem um modelo de clube-empresa com baixas alíquotas de impostos. O pressuposto de que melhores práticas de gestão e governança no futebol são realizadas nos clubes-empresas e não nas associações, nortearam a investigação e as discussões deste estudo. A lacuna no conhecimento sobre as práticas de gestão e governança dos clubes de futebol brasileiro, bem como a falta de estudos que investiguem em profundidade uma gama mais ampla de clubes, especialmente incluindo clubes que adotaram o modelo SAF, justificaram esta pesquisa. O objetivo geral desta tese foi: Verificar como a adoção do formato clube-empresa no futebol brasileiro influencia nas práticas de governança corporativa com relação ao modelo associativo. Para isso, optou-se por pesquisa qualitativa exploratória descritiva tendo como instrumento de coleta o roteiro de entrevista semiestruturado. Para análise dos dados qualitativos obtidos nas entrevistas em profundidade, foram utilizadas as técnicas de codificação e análise de conteúdo. Foram realizadas 20 entrevistas com clubes de futebol brasileiros diferentes, dos quais 19 disputaram a primeira divisão (Série A) durante 2022 ou 2023 do Campeonato Brasileiro, e um clube disputou a segunda divisão. As discussões incluem as práticas de governança adotadas nos clubes associativos e nos clubes SAF, e as diferenças encontradas de acordo com o formato jurídico dos clubes. Os resultados obtidos mostram que, há uma maior tendência à homogeneidade quanto às práticas de gestão e governança nos clubesempresas, enquanto nos de modelo associativo, há no momento maior heterogeneidade, incluindo clubes em situações muito precárias, passando por outros em níveis melhores, enquanto alguns em patamares de excelência para o setor de futebol, provando que o modelo associativo pode ter práticas tão boas quanto os clubes-empresas. Em geral os clubes associativos estão melhorando suas práticas, no entanto há alguns problemas inerentes a este modelo jurídico.