O Adelpha, Repositório Digital do IPM, tem como objetivos armazenar, preservar, divulgar e dar acesso à produção científica e intelectual, entre outros documentos de caráter histórico e de interesse do Instituto Presbiteriano Mackenzie, contribuindo desse modo para o aumento da sua visibilidade e impacto, garantindo a preservação da memória intelectual da Instituição.

Submissões Recentes

TCC
O profissional biólogo em aeroportos: como gerenciar o risco de fauna e reduzir colisões entre aves e aeronaves
Araújo, Bruna de Castro Silva (2022-06)

Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)

O gerenciamento do risco de fauna se refere às atividades realizadas por operadores de aeródromos e por profissionais biólogos, numa sequência de etapas, compostas por tarefas variadas e procedimentos técnicos específicos, com base em regulamentos e informações obtidas com a identificação das espécies que colidem com aeronaves em aeroportos. O objetivo primário desta pesquisa foi mostrar o papel do biólogo no gerenciamento do risco de fauna em aeroportos, e secundariamente trabalhar os dados de colisões entre aeronaves e a fauna em aeroportos brasileiros, em especial, sobre o Aeroporto Internacional de Guarulhos. Foi aplicado um questionário para buscar entender sobre as tarefas executadas pelo biólogo, além das suas qualidades, condições da sua atuação e outros aspectos atribuídos ao trabalho nessa área. Em complemento, foram analisados os dados disponíveis pelo Sistema de Gerenciamento do Risco Aviário, que mostrou as aves como principal grupo de animais envolvido nas colisões com aeronaves. As espécies Quero-quero (Vanellus chilensis), Carcará (Caracara plancus), Corujaburaqueira (Athene cunicularia), Urubu-de-cabeça-preta (Coragyps atratus) e Corucão (Chordeiles nacunda) compunham as maiores frequências de colisões entre aves e aeronaves nos aeroportos brasileiros, enquanto que os aeroportos com maiores frequências de colisão com espécies identificadas foram o Presidente Juscelino Kubitschek (Distrito Federal -Brasília, GO), o Deputado Luís Eduardo Magalhães (Salvador, BA), o Afonso Pena (São José dos Pinhais, PR), o Salgado Filho (Porto Alegre, RS) e o Governador André Franco Montoro (Guarulhos, SP). Os aeroportos que apresentaram frequências maiores de colisões foram aqueles que possuíam elevado número de movimentações aéreas e de passageiros em operações comerciais, ao passo que aeródromos privados e militares tinham menos movimentações de aeronaves e possuíam frequências de colisão menores. O aeroporto Governador André Franco Montoro foi escolhido para um exame das características físicas e ambientais que favorecem a atração das principais espécies de aves envolvidas nas colisões nesse local. As espécies Carcará, Queroquero, Urubu-de-cabeça-preta, Andorinha-pequena-de-casa (Pygochelidon cyanoleuca) e Coruja-de-igreja (Tyto furcata) evidenciaram ser espécies que costumam habitar áreas de campo, sendo atraídas pelas pistas de pouso e decolagem do aeroporto, e serem adaptadas para a vida em áreas urbanas. Em conclusão, o biólogo usa conhecimentos sobre os hábitos de vida e os comportamentos das espécies da fauna para distinguir os atrativos localizados no ambiente aeroportuário e direcionar esforços na aplicação de metodologias adequadas, visando minimizar os riscos oferecidos pela fauna às operações aéreas.
TCC
Uma contribuição ao estudo da extinção florística de angiospermas durante a barreira KPg
Saidenberg, Muriel (2022-12)

Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)

O evento terminal de extinção da barreira Cretáceo-Paleógeno teve impactos significativos sobre a vegetação do período, e induziu mudanças essenciais para o desenvolvimento da flora moderna. Este trabalho tem como objetivo central apresentar alguns destes impactos sobre o grupo das angiospermas, visto que estas constituem o tipo vegetal predominante tanto na flora terminal do Cretáceo quanto na atual. Para isso, foi realizado um levantamento bibliográfico de livros e artigos nos quais se encontram algumas das principais descobertas que moldaram o entendimento da comunidade científica sobre o tema. Ao final do estudo, constatou-se que a extinção da barreira Cretáceo-Paleógeno foi um fator fundamental para a determinação da distribuição geográfica das angiospermas modernas, atuou como um evento de seleção que favoreceu formas vegetais decíduas, e induziu um aumento na poliploidia.
TCC
Passeriformes oriundos de apreensões do comércio ilegal no Centro de Manejo e Conservação de Animais Silvestres (CeMaCAS)
Secall, Beatriz Araujo (2022-12)

Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)

O comércio ilegal da fauna silvestre representa o terceiro maior ato ilícito do mundo (superado, apenas, pelo tráfico de armas e drogas), em que mais de 38 milhões de espécimes são retirados da natureza todos os anos, passando por situações que comprometem seu bem-estar e sobrevivência, ou seja, são drogados, embriagados, mutilados, queimados e muitos vão a óbito antes mesmo de chegarem a seu destino final. As aves são as maiores vítimas, em especial, a ordem dos Passeriformes, principalmente por apresentarem capacidade de canto; e diversidade de cores e espécies. Pode-se questionar, também, uma possível relação com os criadores legalizados, principalmente no que tange às falsificações de anilhas e certificações do SISPASS, apesar de não excluir sua importância para preservação das espécies selvagens, caso seguida da forma correta. O Centro de Manejo e Conservação de Animais Silvestres (CeMaCAS), pertencente a Divisão da Fauna Silvestre da cidade de São Paulo, recebeu, em quatro anos (2018 - 2021), o total de 5.319 indivíduos (260 espécies) pertencentes a classe Aves, referindo-se a sete ordens diferentes (Passeriformes, Psittaciformes, Columbiformes, Piciformes, Strigiformes, Galliformes e Cariamiformes). A espécie mais recebida em decorrência do tráfico foi o Coleirinho (Sporophila caerulescens), seguida pelo Trinca-ferro (Saltator similis) e pelo Canário-da-terra (Sicalis flaveola); o estado de conservação mais encontrado foi o “Pouco preocupante (LC)” e a “soltura” foi a destinação predominante. Por fim, pode-se notar a grande importância da educação ambiental, a qual desenvolve o raciocínio crítico dos ouvintes, a reflexão sobre o tema e a ação em busca da mudança. Com isso, dois materiais com foco na sensibilização em relação ao tráfico de animais silvestres foram realizados para serem publicadas no Instagram do local de estudo (@faunasvma).
TCC
A aplicação da genética forense na proteção animal e elucidação de crimes contra fauna
Papa, Leticia Purcino (2022-12)

Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)

O tráfico ilegal de animais vem ganhando espaço entre as maiores atividades criminosas gerando anualmente em torno de 20 bilhões de dólares. O Brasil representa mais de 10% de participação no lucro do valor total mundial desta atividade. O aumento crescente deste comercio ilegal coloca em risco a biodiversidade do planeta. Além disso dentre os diversos riscos que estes animais sofrem, muitos deles acabam mortos durante o transporte. Para fazer frente a esta situação, tornou-se necessário o desenvolvimento e aplicação de novas ferramentas, levando ao uso da Genética Forense. Dentre as técnicas utilizadas, o DNA Barcoding se faz presente em diferentes casos solucionados, evidenciando a aplicabilidade das sequências conhecidas como “código de barras” genético de cada espécie. Podem ser utilizados diferentes genes, como por exemplo, o Citocromo Oxidase Subunidade I (COI), o Citocromo b (Cyt-b) e a região 16S rRNA (RNA ribossômico). Este trabalho busca apresentar o emprego do DNA Barcoding e sua aplicação na elucidação dos crimes contra a fauna, através de uma revisão bibliográfica da literatura. Neste estudo, são apresentados casos de crimes contra fauna, no qual foram obtidas as identificações das amostras apreendidas através do DNA Barcoding com a amplificação por PCR de genes específicos, como COI, Cyt-b, 16S rRNA. Estas análises solucionaram pelo menos 11 casos de identificação de espécies, dentre as quais algumas provaram a ocorrência de caça ou comércio ilegal. Estes estudos demonstram a importância desta ferramenta na elucidação de crimes contra fauna, além de evidenciar a necessidade de contínuo aprimoramento nas pesquisas, banco de dados e fiscalização nesta área.
TCC
Efeitos da fluoxetina nas propriedades físicas do leite de ratas lactantes e sua influência no desenvolvimento da prole
Féba, Laís Stephano (2022-12)

Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)

A fluoxetina é um antidepressivo da classe dos inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRSs), cujo mecanismo de ação se baseia no bloqueio da recaptação deste neurotransmissor pelos seus transportadores localizados nos receptores présinápticos, provocando aumento da concentração da serotonina na fenda sináptica. A fluoxetina é amplamente utilizada para o tratamento de depressão pós-parto, doença muito comum que compromete a saúde física e mental da mãe e do bebê, sempre que os benefícios de seu uso justificarem seus riscos. Embora esse medicamento seja capaz de atravessar a barreira placentária e ser excretado no leite materno, há escassez de informações acerca de seus efeitos nas propriedades do leite, bem como no desenvolvimento do recém-nascido, a curto e longo prazo. Sendo assim, esse trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos do tratamento com fluoxetina nas propriedades físicas do leite de ratas lactantes e no desenvolvimento físico e neurocomportamental de suas proles. Para isso, foram realizados dois experimentos: 1) nas mães foi feito o acompanhamento do ganho de peso e a análise de parâmetros físicos do leite; 2) na prole foi feita a avaliação do desenvolvimento físico e neurocomportamental. Os resultados do primeiro experimento indicam que a fluoxetina foi capaz de diminuir tanto o peso das ratas quanto o volume de leite produzido por elas de forma dose-dependente. Os resultados do segundo experimento mostram que a exposição indireta a fluoxetina causou diminuição do peso e do comprimento dos filhotes, tanto machos quanto fêmeas, durante a lactação. Entretanto esses animais foram capazes de suprir o atraso no ganho de peso e no comprimento durante a infância. Em relação a avaliação do desenvolvimento físico e neurocomportamental, os resultados mostraram que a fluoxetina não alterou os demais parâmetros do desenvolvimento físico e neurocomportamental. Esses dados em conjuntos indicam que a exposição a fluoxetina durante o período lactacional impacta tanto as mães quanto os filhotes, através de alterações no peso das mães, no leite e no desenvolvimento da prole.