Educação, Arte e História da Cultura - Teses - CEFT Higienópolis

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 167
  • Tese
    Rastros rizomáticos : um estudo curatorial
    Adão, Edson Elidio (2024-02-22)

    Centro de Educação, Filosofia e Teologia (CEFT)

    A dimensão de uma poética e artisticidade de professoras-pesquisadoras-artistas da Universidade Presbiteriana Mackenzie tem uma presença relevante com seus percursos de criação e rastros imagéticos. Isso possibilita um arcabouço teórico e metodológico nas pesquisas contemporâneas e no construto relevante de práxis que reverberam um legado rizomático como produtor de linguagem e tecnologias. Estas, por sua vez (participantes de projetos de pesquisas no campo das visualidades que dialogam com o Programa de Pós Graduação em Educação, Arte e História da Cultura, vinculado ao Centro de Educação, Filosofia e Teologia - CEFT da Universidade Presbiterana Mackenzie, atuando com suas interfaces do ensino-aprendizagem-pesquisa no Mestrado e Doutorado), também têm atuação nos diversos cursos de Graduação da Instituição com obras advindas da pesquisa e relações interpessoais no campo do conhecimento. Apresentada em duas partes: 1ª - uma tese – catálogo; 2ª - projeção exposição - Rastros Rizomáticos: territórios expandidos. A presente tese teve como objetivo resgatar e inventariar o arco temporal de 2003-2023, a trajetória artística e a metodológica de professoras-pesquisadoras-artistas que trabalham na Universidade Presbiteriana Mackenzie, na Graduação e na Pós-graduação. Procurou-se observar como tal grupo cria latente expressividade artística e atmosfera de aprendizagem com formação crítico-criativa em suas aulas com relação aos seus projetos de pesquisas, dialogando com essas interfaces de relacionamento docente-discente. Foram acompanhadas 8 professoras-artistas-pesquisadores. O método desenvolvido foi de um estudo qualitativo, com a realização de entrevistas com questionário semiestruturado, dividido em dois blocos – questões matriciais e questões segmentadas. O questionário foi elaborado pelo pesquisador, seguido de encontros para coleta de dados de suas vivências com dimensões teóricas, metodológicas e imagéticas. As entrevistas foram respondidas de acordo com adequação das participantes, sendo por e-mail, áudio-transcrição por aplicativo (Inteligência Artificial [Take Blip – Vira texto]) e coleta imagética de suas criações artísticas. Na Construção de Tese-Catálogo foi elaborada uma curadoria-experimental de exposição de obras das professoras-artistas-pesquisadoras que fundamentam o desenho teórico-metodológico crítico-criativo-inventivo. Os processos criativos em pesquisas artísticas contemporâneas, compostas por produções de obras de arte (as quais foram desenvolvidas com as professoras-artistas-pesquisadoras), apresentam muitas conexões, expressividades, camadas, gavetas, peles, arquivos, traços, linhas que desenham e [re]desenham as múltiplas facetas e proposições culturais, pois advêm do construto de um campo artístico interdisciplinar que possibilita um panorama com envergadura de processos, visualidade & tecnologia, com interfaces de uma aprendizagem rizomática aos envolvidos da Graduação e da Pós-Graduação. A Tese-Catálogo é intitulada como “Rastros Rizomáticos: um Estudo Curatorial”, com o eixo curatorial de professoras(es)-artistas-pesquisadoras(es) a partir do conceito Artista-Curador com a Exposição, Rastros Rizomáticos: territórios expandidos.
  • Dissertação
    Ao redor da mesa dos bisbilhos com docentes das escolas das águas no Pantanal Sul-Mato-Grossense
    Americano, Renata Queiroz de Moraes (2023-12-14)

    Centro de Educação, Filosofia e Teologia (CEFT)

    As Escolas das Águas do município de Corumbá e seus processos de formação continuada formam o corpo desta tese de doutorado, que provoca, com Mesas de Bisbilhos, modos outros de promover encontros formativos. Entendidas como objetos propositores, essas mesas foram criadas para provocar reflexões por meio de experimentações e experiências sobre como ensinamos e como aprendemos. Suas materialidades sofreram mudanças ao longo dos processos vividos, visualizando a perspectiva das metodologias artográfica e cartográfica que as compunham, gerando desafios e conexões com afetos, memórias e alimentos estéticos polissensoriais, tanto para os professores e gestores envolvidos como para a própria pesquisadora. Elas proporcionaram um espaço de ações poéticas para a criação, a experiência e a investigação, onde o diálogo e a partilha condensaram conceitos e modos de ser professor e professora no Pantanal. Os resultados evidenciaram a importância dos contextos de aprendizagem na formação dos docentes para conseguir uma escuta sensível e mais profunda sobre sua prática pessoal. Posicionaram a dimensão pessoal dos professores e professoras como fundamental para a formação da identidade profissional de cada um. Entende-se que a pesquisa baseada em arte possa ser um caminho de mão dupla para a investigação sobre formação dos professores, tanto no sentido de contribuir para o desenvolvimento profissional docente como para apoiar a reflexão da pesquisadora, que se faz na ação, junto com os participantes.
  • Tese
    Memórias do curso de jornalismo do Mackenzie desafios contemporâneos (2000-2023)
    Souza, Vanderlei Dias de (2024-02-23)

    Centro de Educação, Filosofia e Teologia (CEFT)

    Existem diversas maneiras de se contar uma história. No jornalismo é muito comum ouvirmos dizer que existem múltiplas versões de uma mesma história. Independentemente da maneira que uma história será lembrada, uma coisa é essencial para que o registro aconteça: a memória de quem está contando-a. Por meio da memória individual e coletiva, de documentos oficiais e de questionários, este trabalho conta e analisa a trajetória do Curso de Jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), no período 2000-2023. Grande parte do material aqui apresentado nasceu do projeto “Memória Jornalismo”. Criado pelo autor do trabalho, o projeto traz uma série de entrevistas audiovisuais com ex-alunos (e professores), que apresentam suas versões e visões da vivência que tiveram durante os anos de estudo no Curso. Em análise, o porquê da escolha pelo Jornalismo, como chegaram ao Mackenzie, o papel que o Curso representa na sociedade, a convivência, e a formação oferecida, que inclui dar ao aluno, uma capacidade de criação, produção, distribuição, recepção e análise crítica, referentes às práticas profissionais e sociais. Também discutem a importância e o impacto que o Curso e a universidade tiveram em suas vidas, sobre sua atuação profissional, formação, mudanças ocorridas no jornalismo/comunicação nos últimos anos, e o que esperam da área no futuro, mercado de trabalho, e o futuro da profissão. O trabalho traz também reflexões sobre as transformações pelas quais passa a profissão do jornalista, a concorrência cada vez mais acirrada no mercado educacional, a importância da história oral e os modos de captação da entrevista, entre outras questões consideradas importantes para o desenvolvimento da pesquisa. Como recorte para a elaboração desta tese foram utilizados apenas as entrevistas de 28 dos ex-alunos.
  • Tese
    A expressão cromática: como os artistas se encantam com as cores
    Novaes, Gilson Alberto (2024-02-21)

    Centro de Educação, Filosofia e Teologia (CEFT)

    O presente trabalho é fruto de uma pesquisa sobre as cores! As cores encantam as pessoas de todas as idades: crianças, jovens, adultos, idosos... Um olhar mais cuidadoso sobre os grandes mestres da pintura e logo percebe-se como, cada um em sua modalidade de atuação, manifestou sua preferência por determinada cor, manifestações essas no tempo, no espaço e em diferentes materialidades e técnicas artísticas. Essa pesquisa estuda a “Teoria da Cor”, basicamente, nas obras de Leonardo da Vinci, Isaac Newton, Johann Wolfgang von Goethe, Michel Eugène Chevreul, Konrad Fiedler e Johannes Itten, oferecendo ênfase aos discos das cores criados por alguns deles, buscando sintetizar cada teoria, no seu devido tempo, na profissão de cada um, bem como em suas regiões geográficas e como fizeram abordagens diferentes sobre o tema “Teoria das Cores”. Adotou-se como campo de estudo, um fenômeno de interesse interdisciplinar. As diferentes teorias das cores desses estudiosos da visualidade foram desenvolvidas em diferentes campos do conhecimento, o que mostra claramente a potência interdisciplinar do presente objeto de estudo, cujo argumento é a cor. Leonardo era um artista italiano, Newton, um físico inglês, Goethe, um filósofo alemão, Chevreul, um químico francês, Fiedler, um escritor e artista belga e Itten, um pintor, professor e escritor suíço. Apresentadas as teorias, a pesquisa vai mostrar no tempo e no espaço, uma relação “Artista/Cor”, buscando n’a expressão cromática, como os artistas se encantam com as cores. Por meio de revisão bibliográfica e análise de documentos, pesquisou-se as cores primárias — amarelo, vermelho e azul — e as secundárias — roxo, verde e laranja —, além de uma cor terciária — o marrom. Para cada cor, identificou-se um artista que a tenha usado com mais frequência em sua obra, usando-a com prioridade sobre as demais, combinando e interagindo umas com as outras. As sete cores e os sete artistas pesquisados, geraram no presente trabalho, seus respectivos “discos das cores”, mostrando no círculo cromático, as cores de preferência de cada um. Estudar as cores ao longo do tempo e do espaço, permitirá conhecer como esses artistas viveram seus dias e suas opções por determinadas cores em detrimento de outras. A presente pesquisa pretende atingir artistas, estudantes de arte, acadêmicos de um modo geral, abordando um tema que até então não se tem notícia, porém sendo notória aos olhos dos críticos de arte, a predileção desses pintores e artistas sobre determinadas cores: Van Gogh, Yves Klein, Matisse, Monet, Tom Wesselmann, Iberê Camargo e Rembrandt.
  • Tese
    Realidade aumentada como complemento técnico-artístico para obras expostas em museus
    Santos, Augusto Calefo dos (2024-02-07)

    Centro de Educação, Filosofia e Teologia (CEFT)

    A pesquisa visa ampliar percepções e interpretações de obras de arte expostas em museus por meio de uma experiência em realidade aumentada, criada como um complemento técnico-artístico. Para isso, foi utilizado como objeto de estudo em realidade aumentada a obra “São Paulo” (1924) de Tarsila do Amaral. Foi analisado se há maiores aproximações com a artista e com a obra nos aspectos estéticos e associativos baseados nos conceitos iconográficos propostos por Erwin Panofsky (1976) e nas aberturas dos graus propostos por Júlio Plaza (2001). O objetivo de utilizar a realidade aumentada está diretamente relacionado ao poder dessa tecnologia em promover imersão em obras de arte por meio de dispositivos móveis por um determinado público. O público-alvo da pesquisa foi composto por grupos distintos, com o intuito de agregar diversos olhares e concepções sobre a arte. Como estudo de campo, foram realizadas visitas aos museus (do Futebol, da Língua Portuguesa e Pinacoteca do Estado de São Paulo) para encontrar exposições que utilizam a tecnologia em realidade aumentada e analisar seu espaço, interação e relevância. As experiências realizadas com os grupos foram documentadas por meio de formulários, gravações e fotografias. Como resultado, os participantes identificaram novas interpretações e significados da obra “São Paulo”, o que engrandeceu suas relações com a obra e com a artista em âmbitos individuais e coletivos. A experiência em realidade aumentada proporcionou reflexões simbólicas, sociais, artísticas e históricas da obra, estimulando a pesquisa e vínculos em diferentes áreas profissionais.