Ciências do Desenvolvimento Humano -Teses - CCBS Higienópolis (a partir de 2024)

URI Permanente para esta coleção

Antigo curso de Disturbios do Desenvolvimento

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 4 de 4
  • Tese
    Adaptação transcultural e avaliação dos efeitos de um programa de intervenção com jogos no desempenho motor, acadêmico e das funções executivas em crianças
    Ferreira, Rodrigo Carlos Toscano (2024-03-26)

    Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)

    A literatura científica tem demonstrado correlações positivas entre o desenvolvimento motor e as habilidades cognitivas, mais especificamente as funções executivas e o desempenho acadêmico. O objetivo geral deste estudo foi adaptar transculturalmente e avaliar os efeitos de um programa de intervenção motora no desempenho motor, acadêmico e das funções executivas em crianças. O estudo foi dividido em duas partes. Primeiramente, foi realizada a adaptação transcultural e a análise dos juízes quanto à carga de demandas cognitivas do programa de jogos e atividades propostos no livro “Melhorando a cognição da criança com jogos de atividade física”, do Dr. Phillip Tomporowski, que apresenta 18 jogos para o aprimoramento da cognição. Após a adaptação transcultural e validação dos juízes, foi aplicada a intervenção em uma amostra da população brasileira, composta por 48 crianças de 7 e 8 anos, divididas em grupo controle e grupo experimental, dos 2º e 3º anos do Ensino Fundamental – anos iniciais, de um colégio particular de São Paulo. Foram utilizados os seguintes instrumentos: para a avaliação do desenvolvimento motor foi utilizada a Bateria de Avaliação de Movimento para Crianças - Movement Assessment Battery for Children – Second Edition (MABC-2); Para a avaliação das funções executivas foram utilizados o Teste de Trilhas para Escolares (Trilhas), o Teste de Atenção por Cancelamento (TAC), o Teste de Atenção Visual (Tavis-4) e o Inventário de Funções Executivas e Regulação Infantil (IFERA-I); e para avaliar o desempenho acadêmico foram utilizadas as avaliações escolares e notas trimestrais. Na análise de dados, inicialmente utilizou-se o teste t pareado presente em R base para comparar as médias do grupo controle e experimental nos momentos pré e pós-intervenção. Em seguida, calculou-se a diferença entre essas médias, comparando o r de Pearson do grupo controle e do grupo experimental por meio do teste Z de Fisher, para compreender o efeito da proposta de intervenção para promoção do desenvolvimento cognitivo e motor em crianças com base nos jogos do livro do Tomporowski, McCullick e Pesce. Os resultados apresentados neste estudo apontam que não houve diferenças significativas entre as médias do grupo controle e experimental, possivelmente pelo fato do grupo controle ser ativo e obter um programa bem estruturado nas suas aulas regulares de Educação Física. Além disso, ressalta-se que a pesquisa foi realizada em uma escola particular da Zona Oeste de São Paulo, em alunos com alto poder aquisitivo, diferentemente da maioria das crianças da população brasileira. Mesmo assim, notou-se diferenças qualitativas em relatos de pais e professores, como por exemplo no IFERAI. Novas pesquisas são necessárias para dar continuidade ao efeito de intervenções motoras com demandas cognitivas nas habilidades cognitivas das crianças.
  • Tese
    Modelo de tomada de decisão para o uso de professores dos anos iniciais do ensino fundamental na identificação de sinais de desatenção e hiperatividade/impulsividade compatíveis com TDAH
    Gomes, Andréia dos Santos Felisbino (2024-03-27)

    Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)

    O aprendizado acadêmico demanda do aluno diversos repertórios sociocomportamentais e habilidades cognitivas compatíveis com as exigências das atividades escolares e sociais no contexto escolar, portanto o professor precisa conhecer os sinais indicativos de transtornos do neurodesenvolvimento e os instrumentos adequados que lhe permitam identificar sinais destas condições e fazer encaminhamentos adequados. O Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) é caracterizado por um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade-impulsividade. O estudo foi do tipo transversal, desenhado em 3 fases. Amostra: seguiu critérios de seleção não probabilísticos, participaram 60 professores de Ensino Fundamental – Anos Iniciais que lecionam em salas de aula de 2º e 4º anos, alunos indicados por eles com suspeita de TDAH e seus responsáveis. Participaram 41 alunos do grupo com queixas compatíveis com TDAH e 25 do grupo controle sem indicadores de TDAH. Instrumentos: Checklist dos sintomas de TDAH baseado no DSM 5, Teste Wasi para verificação da inteligência, TAVIS-4 e TAC para verificação de habilidades atencionais e BPM para verificação de problemas emocionais e comportamentais (internalizantes, externalizantes e problemas de atenção). O objetivo geral deste trabalho foi de analisar os resultados da implementação de um modelo de identificação e intervenção para alunos com queixas compatíveis com TDAH matriculados no Ensino Fundamental – Anos Iniciais, a partir da implementação de recursos Big Data e protocolos de rastreio para reconhecimento de indicadores de TDAH nos alunos. O objetivo da fase 1 é apresentar e discutir o fluxo de processos para identificação das queixas compatíveis com TDAH, que possa ser utilizado de maneira autônoma pelas escolas. Para cumprir este objetivo os professores e gestores receberam treinamento para identificação das queixas de TDAH, para o uso de uma plataforma online para preenchimento de inventários sobre sinais do TDAH. Após os professores responderem o checklist para o TDAH, 41 alunos identificados passaram para a Fase 2 cujo objetivo foi de comparar o desempenho neuropsicológico na avaliação da atenção, entre eles e o grupo controle (n=25) formado por alunos sem queixas de TDAH, após os resultados da avaliação neuropsicológica destes alunos, 18 receberam a intervenção em sala de aula, dando início à fase 3 na qual o objetivo foi de descrever e analisar a frequência de implementação do programa de intervenção em sala de aula, bem como avaliar os seus efeitos/resultados. Resultados: Na Fase 1 foi feita a análise de comparação de médias utilizando-se o teste t para amostra independentes nos grupos TDAH e controle. Na fase 2 das 41 alunos identificadas com queixas de TDAH por seus professores, dos quais 18 foram indicadas para receber intervenção. Na fase 3, os alunos receberam a intervenção em sala de aula. Verificou-se que antes da intervenção esse grupo possuía um valor médio de 55,6 pontos no Checklist para o TDAH e após a intervenção realizada na fase 3 esse valor reduziu para 48,9 pontos. Das 17 crianças 15 tiveram redução nos relatos de queixas. Conclusão: Todas as fases da pesquisa foram importantes visto que houve diminuição das queixas e sintomas de TDAH nas crianças com o transtorno.
  • Tese
    Preditores de crenças em teorias conspiratórias relacionadas à Covid-19 em amostra brasileira quilombola e não quilombola
    Barbosa, Ana Luísa de Freitas (2024-02-24)

    Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)

    A pandemia da COVID-19, como evento de grande impacto socioeconômico, propiciou um ambiente fértil para surgirem teorias conspiratórias (TCs). Essas teorias, em grande parte, atribuíram a pandemia à ação de grupos secretos e poderosos com objetivos egoístas ou maléficos, geralmente em detrimento de grupos com que os adeptos das TCs se identificam. As crenças em TCs representaram um risco à prevenção da doença, uma vez que foram associadas à menor aderência às medidas preventivas, como uso de máscaras, distanciamento social e vacinação. Uma solução para evitar a propagação de TCs é entender os seus preditores psicológicos e sociais, o que pode ajudar a implementar intervenções mais eficazes. Além disso, a maioria dos estudos nessa área foi realizada com amostras WEIRD (acrônimo anglicista para “Ocidentais, Escolarizadas, Industriais, Ricas e Democráticas”), sendo essencial investigar se há diferença nos preditores dessas teorias entre amostras WEIRD e não-WEIRD. A partir disso, este estudo buscou explorar preditores de crenças em TCs relacionadas à COVID-19, a partir de duas amostras brasileiras, uma quilombola (GQ) e outra não quilombola (GNQ). Nos dois grupos, foram analisadas características psicológicas e sociais (por exemplo, ideologia política, identidade nacional, narcisismo individual e coletivo, abertura de mente, engajamento em pensamento analítico), bem como características demográficas (idade e sexo) que poderiam predizer a crença em TCs. Foram coletados dados de brasileiros quilombolas (n = 163) e não quilombolas (n = 1.719), de ambos os sexos. Usando um modelo de regressão linear forward stepwise, com o GQ como intercepto, os resultados mostraram efeito estatisticamente significativo positivo para idade, narcisismo (individual e coletivo) e ideologia política de direita. Isso sugere que, quanto maior a idade e os escores de narcisismo individual e coletivo, e quanto mais à direita a ideologia, maior a probabilidade de crença em TCs relacionadas à COVID-19. Por outro lado, encontrou-se um efeito significativo negativo para pensamento analítico e abertura de mente, indicando que maiores escores nesses aspectos reduzem a probabilidade da crença em TCs. Adicionalmente, uma análise exploratória identificou potencial interação entre abertura da mente e ideologia política, sugerindo potencial moderação da abertura da mente sobre a ideologia política e as crenças em TCs. Com base nos resultados, concluiu-se que ser quilombola aumentou significativamente a crença em TCs durante a pandemia. Esses resultados alinham-se à literatura, que prevê maior predisposição à crença em TCs em grupos historicamente marginalizados, economicamente desprivilegiados e menos escolarizados. Este estudo contribui também para destacar a heterogeneidade populacional brasileira, reforçando a necessidade de maior atenção às populações frequentemente não acessadas por pesquisas científicas. Além disso, contribui para o emergente campo de estudos sobre a influência de fatores identitários e histórico-culturais na modulação da suscetibilidade à crença em TCs, em diferentes populações.
  • Tese
    Teste caixa e blocos virtual: avaliação da destreza motora, usabilidade e evidências de validade para pessoas com e sem doenças neurológicas
    Kintschner, Natália Regina (2024-02-05)

    Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)

    Introdução: O Teste Caixa e Blocos (TCB) é utilizado para avaliar e quantificar a destreza manual grossa unilateral em crianças e adultos. Consiste em mover o maior número possível de cubos de um compartimento para outro em uma caixa de madeira, um por um, durante um minuto. Estudos envolvendo o TCB em sua versão virtual (TCBV) estão surgindo no âmbito da reabilitação em pacientes com doenças neurológicas, uma vez que limitações funcionais da mão podem comprometer atividades de rotina e participação social. Objetivo: avaliar o desempenho da destreza manual e a usabilidade do Teste Caixa e Blocos Virtual (TCBV), controlado pelo sensor LMC em pessoas com e sem alterações motoras. Método: Participaram do estudo 60 pessoas divididas em dois grupos: um grupo foi composto por 30 adultos entre 25 e 45 anos, de ambos os sexos, com diagnóstico de esclerose múltipla e um outro grupo foi composto por 30 pessoas na mesma faixa etária, sem o diagnóstico de qualquer doença neurológica e/ou ortopédica, denominado grupo controle. Foram realizados os testes em duas sessões, com tempo estimado de 30 minutos cada, a fim de não causar fadiga nos participantes. Os dados foram coletados por meio de um questionário de classificação socioeconômica, um questionário de usabilidade (System Usability Scale), pela avaliação de medida de independência funcional, dinamometria e pelo TCB e TCBV. Resultados: os dados foram analisados estatisticamente, a partir da descrição do desempenho obtido nas avaliações do TCB e TCBV. Foram identificadas diferenças no desempenho entre o TCB e o TCBV para os dois grupos, com número de blocos transferidos por minuto inferior no teste virtual. Não foi confirmada a validação concorrente entre o TCB e o TCBV em sua versão não imersiva para a população estudada. Conclusão: o TCBV, embora com alguns apontamentos para ajustes, demonstrou ser uma ferramenta auxiliar para avaliação e reabilitação da destreza manual e apresentou usabilidade considerada boa para ambos os grupos.