Espectro atencional e comportamental em adultos com relatos de desatenção e hiperatividade-impulsividade

Carregando...
Imagem de Miniatura
Tipo
Tese
Data
2022-11-25
Autores
Paes, Izabella Trinta
Orientador
Carreiro, Luiz Renato Rodrigues
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Seabra, Alessandra Gotuzo
Rodrigues, Camila Cruz
Reppold, Caroline Tozzi
Pinheiro, Walter Machado
Programa
Distúrbios do Desenvolvimento
Resumo
O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) caracteriza-se por níveis prejudiciais de desatenção e/ou hiperatividade-impulsividade que frequentemente persistem na vida adulta. Pode ser compreendido como um contínuo de diferentes perfis, que em decorrência de múltiplas causas genéticas/ambientais e variadas bases neurais subjacentes, apresenta heterogeneidade em relação aos sintomas, causas, comorbidades e perfil neurocognitivo (incluindo o dos processos atencionais). Devido a isso, pode ser mais bem compreendido por uma abordagem dimensional. As implicações sociais, acadêmicas, ocupacionais e intrapessoais do TDAH justificam ampliar o conhecimento sobre a variabilidade do transtorno. O presente estudo busca caracterizar habilidades atencionais e expressões comportamentais em adultos com relatos de desatenção e hiperatividade-impulsividade por meio de uma abordagem dimensional, de modo a categorizá-las em perfis com níveis baseados em agrupamentos de medidas cognitivas e comportamentais que representam diferentes expressões sintomatológicas. Além disso, busca compreender de que forma as associações entre estas medidas se relacionam com as expressões de perfis, e como estes interagem uns com os outros e com critérios clínicos de TDAH. A amostra contou com 120 participantes, entre 18 e 59 anos, no mínimo com ensino médio, com QI>80, sem prejuízo visual ou auditivo não corrigido, sem diagnóstico de síndromes genéticas, quadros neurológicos ou psiquiátricos não incluídos no estudo. Estes critérios foram verificados por: Escala de Inteligência Wechsler Abreviada (presencialmente) e ficha de dados pessoais (on-line). Os índices analisados pelo estudo foram verificados por: 1. Participação on-line em avaliação comportamental com Escala de autorrelato de sintomas de TDAH em adultos, Inventário de lateralidade de Edimburgo (dominância manual), Escala de impulsividade de Barratt (impulsividade atencional, motora e por não planejamento), Escala de avaliação de disfunções executivas de Barkley (gerenciamento de tempo, organização/resolução de problemas, autocontrole, motivação, regulação emocional), Inventário de autoavaliação para adultos de 18-59 anos (problemas comportamentais e emocionais), Escala de prejuízos funcionais TDAH (áreas acadêmica, profissional, afetivo, doméstica, social, financeira, saúde, trânsito e risco legal); 2. Participação presencial em avaliação de desempenho com Teste de cores de Ishihara (indicadores de Daltonismo); Teste neuropsicológico de atenção on-line (atenção concentrada, alternada e dividida), Tarefas neuropsicológicas experimentais de orientação da atenção espacial (automática e voluntária), temporal e de sustentação. O plano de análise incluiu: análise descritiva da amostra e resultados dos instrumentos; análise de perfis latentes e análise de rede; análise descritiva de tabelas cruzadas entre perfis, e entre perfis e critério clínico de identificação. A análise descritiva indicou predomínio de queixas de desatenção e heterogeneidade nos resultados dos instrumentos. Entre os perfis latentes foram identificados: três comportamentais; quatro neuropsicológicos atencionais integrando atenção alternada, dividida e concentrada; cinco neuropsicológicos atencionais integrando atenção automática, voluntária, temporal e sustentada. Os resultados da análise de rede contribuíram para compreender variações nos perfis a partir das associações entre indicadores de diferentes dimensões, e apontaram sintomas de desatenção, indicadores de depressão e ansiedade como núcleos sintomatológicos. A análise de interações dos perfis, e destes com a classificações de TDAH (segundo DSM-5), corroborou a relevância da abordagem dimensional para caracterizar o quadro. O estudo acrescentou relevantes achados para a compreensão do TDAH, indicando uma promissora complementaridade entre as avaliações comportamental e neuropsicológica, especialmente envolvendo diferentes dimensões comportamentais e medidas computadorizadas de atenção.
Descrição
Palavras-chave
TDAH , adultos , expressão sintomatológica , comorbidades , funcionalidade , perfis comportamentais , perfis neuropsicológicos atencionais , abordagem dimensional
Citação