Eventos traumáticos na infância e psoríase : um estudo transversal observacional

Carregando...
Imagem de Miniatura
Tipo
TCC
Data
2020
Autores
Akamine, Andreia Akina
Rusch, Gabriela de Souza
Orientador
Skare, Thelma Larocca
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Programa
Resumo
Introdução: A psoríase é uma doença cutânea autoimune e de etiologia desconhecida. Fatores genéticos e ambientais desempenham papel fundamental na sua etiopatogenia. Postula-se que fatores emocionais podem precipitar e/ou exacerbar a doença. Objetivos: Estudar a associação entre eventos traumáticos na infância e aparecimento posterior de psoríase. Verificar se a gravidade da lesão cutânea está ligada ao número de eventos adversos na infância. Verificar se a idade de aparecimento da psoríase está ligada a ocorrência de eventos traumáticos na infancia. Metodología: Foi realizado um estudo transversal observacional caso controle com 318 pacientes, desses 104 com psoriase e 214 do grupo controle no período de junho de 2019 à outubro de 2020. Os dados clínicos foram coletados através de entrevista direta com os participantes no ambulatório do Hospital Universitário Evangélico Mackenzie (HUEM) e preenchimento de formulário em GOOGLE FORMS. Pacientes e controles responderam às perguntas do questionário de ACEs (adverse childhood events): Questionário sobre traumas na infância) sobre experiências de abuso infantil, negligência, violência doméstica e disfunções domésticas. A pontuação do questionário varia de zero (melhor resultado) a 8 (pior cenário). Os prontuários dos pacientes com psoríase foram revisados para dados epidemiológicos, clínicos e de tratamento. O PASI (Índice de Gravidade da Área de Psoríase) foi medido simultaneamente com o questionário. Resultados: Os pacientes com psoríase apresentaram um número mediano de ACEs de 4 (IQR=3-5) enquanto os controles apresentaram um valor mediano de 3 (IQR= 2-4) com p = 0,0001. O número de ACEs não se associou ao PASI, idade de início da doença, subtipo de psoriase nem com a presença de artrite associada (todas p>0,5). Pacientes femininos com psoríase apresentaram mais ACEs do que os do sexo masculino (p=0,04). Conclusão: Neste estudo, houve uma maior prevalência de eventos adversos na infância nos pacientes com psoríase em relação aos pacientes do grupo controle. Não foi possivel associar o número de ACEs com subtipo de psoriase ou gravidade da lesão cutânea.
Descrição
Palavras-chave
Psoríase , Experiências adversas na infância , Qualidade de vida , Doenças autoimunes
Citação