"Construindo pontes em vez de muros": acolhimento de estudantes refugiados e migrantes forçados na educação básica

Carregando...
Imagem de Miniatura
Tipo
Dissertação
Data
2021-12-10
Autores
Rodrigues, Renata Ramos
Orientador
Brito, Regina Helena Pires de
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Bueno, Alexandre Marcelo
Pereira, Giselda Fernanda
Programa
Letras
Resumo
Com o crescente fluxo de deslocamento forçado, assistimos às taxas de matrícula de crianças e adolescentes migrantes aumentarem nas escolas. Embora a legislação brasileira garanta o direito do migrante à educação, sabe-se que o acesso nem sempre é efetivo e que, de forma geral, as escolas ainda se encontram despreparadas para realmente acolher alunos migrantes na Educação Básica, sobretudo, os que se encontram em situação de refúgio e de migração forçada. Depois que o entrave inicial é ultrapassado e o estudante começa a frequentar as aulas, outra barreira surge: a dificuldade com a língua-alvo — que prejudica não apenas nas aulas de Língua Portuguesa (LP), mas de todas as demais disciplinas; o que se intensificou ainda mais neste período de pandemia causada pela COVID-19. É a partir deste cenário que a presente dissertação objetiva apresentar relatos de experiências de professores da Rede Municipal de Ensino de São Paulo e de professoras voluntárias da ONG IKMR, a fim de elencar propostas de atividades, a partir da perspectiva da educação intercultural e dialógica, para o acolhimento de alunos refugiados e migrantes forçados, as quais visam à integração e inclusão desses estudantes. Para tanto, alinhada à linguística aplicada, a pesquisa parte dos estudos de ensino de português como língua de acolhimento (PLAc), apoiando-se em Ançã (2008, 2006, 2005), Amado (2013, 2011, 2008), Grosso (2010), Pereira (2017) e São Bernardo (2016), por meio da interculturalidade (CANDAU, 2016, 2014; WALSH, 2019) e da prática educativa dialógica e democrática (FREIRE, 2019, 2003, 1997). Com a pesquisa, inserida na Linha de Pesquisa Estudos Lusófonos, Relações Culturais, Linguísticas e Identitárias, do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie, pretendeu-se ressaltar a urgente necessidade de se refletir acerca de ações que promovam a inclusão dos alunos refugiados e migrantes forçados nas escolas brasileiras, a partir da perspectiva da interculturalidade; em especial, na área de ensino-aprendizagem de PLAc para essas crianças e jovens.
Descrição
Palavras-chave
português como língua de acolhimento , ensino de língua portuguesa , educação básica , educação intercultural , refúgio e migração forçada , estudos lusófonos
Citação