Intervenções para promoção de resiliência em crianças e adolescentes: revisão sistemática da literatura e desenvolvimento de um programa para escolares

Carregando...
Imagem de Miniatura
Tipo
Dissertação
Data
2021-02-23
Autores
Pinto, Tatiana Matheus
Orientador
Macedo, Elizeu Coutinho de
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Teixeira, Maria Cristina Triguero Veloz
Araujo, Ceres Alves de
Boggio, Paulo Sérgio
Mecca, Tatiana Pontrelli
Programa
Distúrbios do Desenvolvimento
Resumo
A resiliência pode ser definida como a capacidade de enfrentamento e recuperação em situações de adversidades que envolvem estresse, trauma, desafios ou dificuldades. Essa habilidade não seria um traço fixo e imutável de personalidade, mas sim uma característica pessoal capaz de sofrer alterações a depender da exposição a fatores de risco e fatores protetores. A exposição aos fatores de risco pode promover maior desadaptação e menor capacidade resiliente, por outro lado, a exposição aos fatores protetores promoveriam maior adaptação e capacidade resiliente. Assim, estratégias que fortalecem os fatores protetores, principalmente aspectos cognitivos e comportamentais funcionais, seriam capazes de aumentar a resiliência dos indivíduos, especialmente em crianças e adolescentes. Programas estruturados de intervenção focados em resiliência têm sido desenvolvidos ao longo dos anos. Esses programas podem ser destinados para diversas populações, serem implementados em diferentes contextos e apresentar ampla diversidade de características em seu formato. Entretanto, apesar do aumento de interesse científico no tema sobre resiliência e estratégias de promoção, pode-se observar uma defasagem de estudos brasileiros que se proponham a desenvolver programas para promoção de resiliência específicos para a população de jovens do país. Dessa forma, a presente dissertação é composta por dois estudos. O primeiro estudo de revisão sistemática da literatura teve o objetivo de analisar a eficácia de programas psicoterapêuticos focados em resiliência, em comparação com grupos controle, na promoção de resiliência em crianças e adolescentes, bem como sumarizar suas principais características. Dezessete ensaios clínicos randomizados foram incluídos na revisão e treze foram incluídos na meta-análise. Os resultados qualitativos indicaram maior frequência de programas com abordagem cognitivo-comportamental realizados de forma presencial e em grupo, implementados no ambiente escolar, com cinco a dez sessões. Os resultados da meta-análise indicaram eficácia geral dos programas na promoção de resiliência, especialmente para a população de adolescentes. Esses resultados parecem se manter por pelo menos seis meses. O segundo estudo teve o objetivo de desenvolver um novo programa focado em resiliência destinado para adolescentes. Inicialmente esse programa foi desenvolvido para ser implementado de forma presencial, em grupo e durante horário escolar, entretanto, o programa teve de ser readaptado para um formato online e autoguiado. O novo programa online foi composto por oito módulos, sendo que dois módulos eram liberados por semana aos participantes. Como houve perda amostral substancial, não foi possível avaliar a efetividade desse programa, e buscou-se investigar possíveis motivos para evasão de participantes. Assim, foram feitas análises de correlação entre os escores de resiliência, depressão e satisfação de vida com o módulo do programa até o qual os participantes completaram. Embora não significativa, verificou-se correlação inversa e fraca entre a sub escala RA – Sensibilidade da ERCA, o CDI e Self comparado da EMSVA, com o módulo máximo de participação no programa. Com as análises de correção de FDR, as correlações não foram verificadas. Os estudos apresentados contribuem para o crescimento de evidências científicas no campo de programas de intervenção focados em resiliência para crianças e adolescentes e podem auxiliar no direcionamento de novas intervenções. Ressalta-se, entretanto, que mais pesquisas com esses temas são necessárias e de suma importância.
Descrição
Palavras-chave
resiliência , programa , intervenção , adolescentes , crianças
Citação
PINTO, Tatiana Matheus. Intervenções para promoção de resiliência em crianças e adolescentes: revisão sistemática da literatura e desenvolvimento de um programa para escolares. 2021. 151 f. Dissertação (Mestrado em Distúrbios do Desenvolvimento) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2021.