Falsos amigos entre o português e o espanhol: análises de livros didáticos na visão funcionalista

Carregando...
Imagem de Miniatura
Tipo
Dissertação
Data
2023-08-03
Autores
Pessoa, Sara Liza Fleitas
Orientador
Trevisan, Ana Lúcia
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Batista, Ronaldo Oliveira
Nogueira, Márcia Teixeira
Programa
Letras
Resumo
O objetivo de todo aprendiz de uma língua estrangeira é ter a capacidade de expressar significados. Português e Espanhol são as línguas a serem consideradas aqui. Ambas as línguas em foco compartilham semelhanças por possuírem a mesma origem, o latim. O presente trabalho concentra-se no estudo dos tradicionalmente denominados “falsos amigos” partindo do ponto de vista do paradigma denominado Funcionalismo e seguindo, especificamente, as proposições Busca-se demonstrar que, para entender o significado de termos semelhantes, em duas línguas, mas com acepções diferentes na língua meta, não basta apenas adquiri-los e decodificá-los, mas é necessário inseri-los e entendê-los dentro de um real contexto de comunicação. Também é objetivo desta pesquisa, realizar uma revisão e reflexão de estudos já existentes sobre esses termos a fim de aportar aspectos relevantes tanto teóricos quanto de caráter prático. Para atingir esse objetivo, propõe-se responder às perguntas que reforçam a finalidade deste trabalho: Como são tratados os falsos amigos nos livros didáticos Español (Editora SAS) do oitavo e novo ano do ensino fundamental? Esses livros ensinam os falsos amigos da maneira como a língua é utilizada em contextos reais de comunicação? Dentro de um contexto de uso real e prático, esses termos são de fato enganadores? Como suporte para as análises, usou-se a referenciação dos termos descritas no Diccionario de Falsos Amigos Espanhol – Português / Português – Espanhol (1988), bem como as mostras autênticas no CORPES Corpus del Español del Siglo XX
Descrição
Palavras-chave
falsos amigos , funcionalismo , português , espanhol
Citação