Correlação entre a espessura da gordura epicárdica em torno das principais artérias coronárias e a severidade da doença arterial coronariana

Carregando...
Imagem de Miniatura
Tipo
TCC
Data
2019
Autores
Corrêa, Isabelle Terumi Tanioka
Araújo, Kelre Wannlen Campos Silva
Orientador
Kubrusly, Luiz Fernando
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Programa
Resumo
RESUMO As doenças cardiovasculares são responsáveis pela principal causa de morbimortalidade da população mundial. Dentre as inúmeras doenças cardiovasculares, a Doença Arterial Coronariana (DAC) está entre as mais comuns e de maior relevância no que diz respeito às comorbidades do sistema circulatório. É uma doença de cunho multifatorial, na qual é caracterizada fundamentalmente por acúmulo de placas ateroscleróticas devido ao trauma que ocorre ao nível do endotélio, levando ao estreitamento das artérias coronarianas. Com os avanços obtidos na parte de biomicroscopia e imunohistoquímica, é possível afirmar que a principal causa das lesões do endotélio é de origem inflamatória, sendo a gordura epicárdica (GE) elementar no desenvolvimento desse processo. Diante deste quadro, é importante quantificar a extensão e a severidade da DAC em relação a GE no intuito de diagnosticar de maneira precoce e direcionar medidas de prevenção, através do reconhecimento de fatores que possam mudar o curso da doença. Portanto, o objetivo desse trabalho é correlacionar a espessura da gordura epicárdica em torno das principais artérias que irrigam o coração com a severidade da DAC, em uma amostra de 111 indivíduos diferenciados por sexo e faixa etária, através de um estudo retrospectivo com análise dos laudos de exames de imagem angiotomográficas dos pacientes submetidos a tal exame, realizado no Centro Diagnóstico Água Verde (CEDAV), na cidade de Curitiba, Paraná, durante o período de janeiro de 2017 à dezembro de 2018. Os resultados apresentaram grande variabilidade no que diz respeito ao sexo, faixa etária e nível de acometimento nas diferentes artérias estudadas. Não houve correlação significativa quanto ao tamanho da espessura da GE em relação à severidade da DAC (exceto na Coronária Direita), apesar dos valores de GE serem crescentes na medida em que os pacientes evoluem na categoria de lesão obstrutiva, de normais à obstrução importante. Conclui-se que houve diferença na apresentação da doença em relação aos sexos e a faixa etária, porém a mensuração da espessura não foi significante na avaliação da severidade da DAC.
Descrição
Palavras-chave
Coronariopatia. , Epicárdio. , Gordura. , Angina. , Tomografia.
Citação