Práticas de governança corporativa e compliance nas cooperativas operadoras de planos de saúde

Carregando...
Imagem de Miniatura
Tipo
Dissertação
Data
2021-08-05
Autores
Marino, Rogerio
Orientador
Vasconcelos, Ana Lucia Fontes de Souza
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Segura, Liliane Cristina
Almeida, Edjane Melo de
Programa
Controladoria e Finanças Empresariais
Resumo
O objetivo da pesquisa é implementar um processo intervencionista para formação profissional dos gestores das cooperativas de planos de assistência à saúde (Operadoras), segundo os ditames da Resolução Normativa nº 443/19 da ANS. Quanto a abordagem do problema, a pesquisa classifica-se como qualitativa por buscar mensurar o valor agregado de conhecimento dos participantes na formação profissional aplicado em suas organizações. A metodologia aplicada é a pesquisa-ação, aquela em que o pesquisador interfere no fenômeno, com procedimento de acompanhamento de formação em exercício (work in progress), do processo de implementações, buscando compreender a percepção desses gestores quanto a sua qualificação técnica para aplicar a RN 443/19 conforme necessidades especificas de cada Operadora. O resultado esperado é a melhoria – à luz da RN 443/19 – das práticas de governança corporativa compreendendo os controles internos, gestão de riscos e compliance nas Operadoras, por meio das lideranças capacitadas. A implicação prática esperada é a implementação de uma estrutura de boas práticas de governança corporativa, com autogestão, senso de justiça, transparência, educação, controles internos e gestão de riscos, além de representar um passo relevante para a melhoria da gestão das Operadoras, também pode contribuir para o desenvolvimento de uma cultura de formação contínua que atendam à regulamentação vigente. Gestores sentirem-se aptos para aplicar os ditames da RN 443/19 é a grande questão e o resultado da pesquisa aponta para uma evolução no conhecimento e na capacitação das lideranças. O Porte da Operadora e o Nível de Formação do participante foram os resultados mais significativos, enquanto as demais, das 7 variáveis do processo inquisitivo, Posição Hierárquica, Tempo de Casa e na Função, Nível de formação e Localização da Operadora, apresentaram evolução, porém não significativas à 0,10. A posição hierárquica na Operadora apresentou desvios menores entre a percepção inicial e a final, após o processo intervencionista, porém não significativos à 0,10. Após o processo intervencionista, de maneira geral, os Participantes se sentem mais capacitados à implementação de Governança Corporativa e ao Programa de Integridade que compreende lavagem de Dinheiro e Anticorrupção, sendo que Gestão de Riscos, Controles Internos e Auditoria Interna não retornaram significativos a 0,10. A percepção da Operadora se mostrou significativo a 0,10, apenas em Gestão de Riscos e Auditoria Interna. O resultado da pesquisa aponta para uma evolução no conhecimento e na capacitação das lideranças, entretanto, o progresso efetivo das implementações não se mostrou expressivo, em virtude do curto período decorrido.
Descrição
Palavras-chave
compliance , cooperativas médicas , governança corporativa
Citação
MARINO, Rogerio. Práticas de governança corporativa e compliance nas cooperativas operadoras de planos de saúde. 2021. 79 f. Dissertação (Controladoria e Finanças Empresariais) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo. 2021.