Aberturas adaptáveis e sua influência no desempenho e conforto térmico em salas de aula: proposta metodológica para novos projetos.

Imagem de Miniatura
Tipo
Tese
Data
2023-08-14
Autores
Freitas, Natacha Viana Seabra de
Orientador
Pisani, Maria Augusta Justi
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Risso, Erika Ciconelli de Figueiredo
Abreu-Harbich, Loyde Vieira de
Costa Filho, Amando Candeira
Leite, Renan Cid Varela
Programa
Arquitetura e Urbanismo
Resumo
A satisfação dos usuários em relação ao desempenho e conforto térmico está diretamente ligada as questões de conforto ambiental. Melhorias na concepção, design e construção das salas de aula visam propiciar um ambiente adequado de ensino, reduzir o consumo de energia e melhorar as condições térmicas dos ambientes internos. A presente tese iniciou da hipótese de que aberturas adaptáveis em uma edificação são capazes de diminuir ou aumentar a dependência de sistemas artificiais de condicionamento para a obtenção do conforto e desempenho térmico no interior de salas de aula. Neste contexto, o objetivo principal deste trabalho é desenvolver um método de análise do potencial de desempenho e conforto térmico de aberturas adaptáveis para salas de aula. Os procedimentos metodológicos utilizados foram: em revisão sistemática de literatura, coleta de dados, estudos de caso e extensas modelagens/simulações de desempenho e conforto térmico em salas de aulas para adaptação do percentual de abertura na fachada. O modelo estático/racional foi utilizado como métrica do índice PMV-PPD para obter a porcentagem prevista de satisfeitos e o modelo adaptativo foi utilizado como métrica de desempenho através do número de horas de desconforto. O modelo experimental foi definido com base em duas salas de aula ventiladas naturalmente, situadas na cidade de Campo Grande, cujo clima é o tropical úmido, totalizando 8 cenários; e o modelo final foi baseado em duas salas de aula ventiladas naturalmente, situadas na cidade de São Paulo, cujo clima é o subtropical úmido, totalizando 16 cenários. Os resultados obtidos atestam a hipótese central dessa pesquisa, de que aberturas adaptáveis em uma edificação são capazes de diminuir ou aumentar a dependência de sistemas artificiais de condicionamento para a obtenção do conforto térmico e desempenho térmico no interior de salas de aula. Para os estudos de casos em Campo Grande e São Paulo, propõe-se que as salas operem com as suas aberturas a 100% (nas salas CG1, CG2, SP1 e SP2). As salas SPA1 e SPA2 de São Paulo deverão operar com suas aberturas a 50%, para que possuam um bom desempenho térmico e um ambiente confortável termicamente para seus usuários. Por fim, são propostas estratégias projetuais de avaliação, relacionadas as aberturas adaptáveis, buscando proporcionar um ambiente térmico melhor de salas de aula.
Descrição
Palavras-chave
aberturas adaptáveis , conforto térmico , desempenho térmico , salas de aula , clima tropical úmido , clima subtropical úmido
Citação