Qualidade de vida e função em pacientes com espondiloartrites: Análise comparativa entre as formas axial, periférica pura e mista

Imagem de Miniatura
Tipo
TCC
Data
2022
Autores
Simões, Julia
Biscaro, Luana Caroline
Orientador
Skare, Thelma Larocca
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Programa
Resumo
Introdução: As espondiloartrites (EpA) correspondem a um grupo de doenças inflamatórias crônicas que tem em comum predisposição genética, gatilhos ambientais e algumas manifestações clínicas. As EpA acometem principalmente o esqueleto axial, também atingindo articulações periféricas, tendões e ligamentos em especial nos membros inferiores e podendo ser dividida em 3 formas de acometimento: axial pura, periférica e mista. Devido ao grande comprometimento físico nota-se uma importante redução da qualidade de vida que afeta os pacientes com doenças do grupo das EpA mas não se sabe se isto acontece de igual maneira nas tres formas citadas. Objetivo: Estudar a possível associação entre a qualidade de vida e funcionalidade com as apresentações de espondiloartrites, classificando-as em: com envolvimento predominantemente axial e/ou com envolvimento periférico. Metodologia: Estudo transversal observacional a partir da aplicação de questionários, análise de prontuários e entrevista com pacientes. Foram avaliados pacientes com diagnóstico de EpA, subdivididos em grupos de acordo com a forma de acometimento (axial puro, periférico e misto) e pacientes em um grupo controle. Coletaram-se dados acerca de epidemiologia, perfil clínico, comorbidades e de qualidade de vida (através do SF-12 ou Short Form Health Survey – 12 questions) . Resultados: Entre os 120 indivíduos estudados 60 do grupo de estudo e 60 controles. Os dados obtidos com o formulário SF-12 foram no quesito físico de uma mediana 38,05 para o grupo de estudo e 55,1 para o controle, tendo o P menor que 0,0001. No quesito mental as medianas foram de 42,1 e 50,1 pra os mesmos grupos sendo o P igual a 0,041. Quanto aos tres subgrupos de EpA, eles estavam pareados. A comparação do IMC tinha um P de 0,43, a presença do HLA-B2 um P de 0,0005, e as lesões cutâneas com P menor de 0,0001. O SF-12 físico e mental entre os pacientes com acometimento axial, acometimento periférico e acometimento misto obtiveram um P de 0,33 e 0,30 respectivamente. Conclusão: Foi evidenciada diferença significativa na qualidade de vida entre os grupos de estudo e controle. Não foi obtida diferença significativa na qualidade de vida entre os subgrupos das EpA.
Descrição
Palavras-chave
espondiloartrite , qualidade de vida , reumatologia
Citação