Perfil epidemiológico dos pacientes com fratura exposta no hospital universitário Evangélico Mackenzie

Imagem de Miniatura
Tipo
TCC
Data
2022
Autores
Marucco, Gabriel Rocha
Rodrigues, Rodrigo Voichki
Orientador
Zini, Cassio
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Programa
Resumo
INTRODUÇÃO: Fraturas expostas são aquelas que apresentam alguma comunicação com o meio externo por meio de lesões de pele e tecidos moles adjacentes. A exteriorização do tecido ósseo faz com que o cenário, antes interiorizado e estéril, se torne contaminado. Como consequência, essas lesões são de difícil abordagem clínica e pior prognóstico. A incidência de fraturas expostas é de cerca de 11,5 por 100.000 habitantes por ano na Europa. Dessa forma, fraturas expostas são importantes fontes de morbidades e mortalidade em relação ao trauma adulto OBJETIVO: O objetivo do presente trabalho, é classificar as fraturas expostas e avaliar o perfil epidemiológico dos pacientes e comparar os dados do Hospital Universitário Evangélico Mackenzie (HUEM) com os da literatura. METODOLOGIA: Estudo transversal observacional com base em amostragem consecutiva, realizado no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, com os dados coletados de prontuários no período de janeiro de 2020 á dezembro de 2020. RESULTADOS: No estudo foram contemplados 218 pacientes portadores de 256 fraturas expostas. O sexo mais acometido foi o masculino com faixa etária entre 21 a 30 anos. Os mecanismos de trauma mais presentes foram acidentes motociclísticos e queda de nível. De acordo com a classificação de Gustillo e Anderson o tipo de fratura mais prevalente foi a do tipo IIIA e em seguida pela do tipo II. CONCLUSÃO: Nos resultados obtidos houve predomínio de jovem do sexo masculino, acometido por acidente automobilístico com acometimento da tíbia do tipo IIIA.
Descrição
Palavras-chave
fraturas expostas , epidemiologia descritiva , ortopedia , traumatologia
Citação