Análise da volatilidade de debêntures e sua relação com o Rating

Imagem de Miniatura
Tipo
TCC
Data
2021-06-18
Autores
Batista, Leonardo Dias
Camargo, Potyguara Ghiggi de
Chin, Roy Miachon
Orientador
Albarracin, Orlando Yesid Esparza
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Programa
Resumo
Este artigo busca observar como foi o comportamento das debêntures indexadas ao CDI + spread nos momentos de agravamento da pandemia no Brasil, causada pelo COVID-19 em 2020. Neste trabalho exploratório, podemos analisar em um cenário sem precedentes como foi o comportamento de 35 debêntures no período de 02/05/2019 a 11/01/2021, observando a volatilidade do spread negociado no mercado secundário brasileiro, afim de analisar se as debêntures classificadas com os melhores ratings foram as que apresentaram as menores volatilidades. Calculando log-retornos e utilizando de modelos auto-regressivos e de médias móveis (ARIMA), e modelos auto-regressivo de heterocedasticidade condicional (GARCH), o resultado destas 35 debêntures, no período analisado, indica que houve maior volatilidade nos melhores ratings, apresentando resultado contrário à expectativa inicial, onde esperava-se que as debêntures classificadas como de maior risco (piores ratings) apresentassem maior nível de oscilação nos spreads.
Descrição
Palavras-chave
debêntures , volatilidade , pandemia
Citação