De volta á folia: o carnaval de rua e o Bixiga na retomada dos espaços públicos em São Paulo

Imagem de Miniatura
Tipo
TCC
Data
2019
Autores
Chamma, Samira Abdelnur
Orientador
Jorge, Paula Raquel
Cecco, Angelo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Programa
Resumo
Este trabalho fala sobre espaço público e sua apropriação, entendendo-o como algo essencial para a formação e desenvolvimento da cidade, e percebendo-o, principalmente, como lugar de encontro, onde há trocas sociais, alteridade e onde a urbanidade floresce. A condição de pedestre, e, portanto, a dimensão humana – negligenciada inúmeras vezes durante a formação das cidades, incluindo São Paulo –, é fundamental para a percepção desse universo de possibilidades que a cidade pode oferecer. Algumas formas de apropriação do espaço público são as festas de rua, como o carnaval, que além de contribuírem para a apreensão da cidade como lugar de encontro, são expressões culturais legítimas e instrumentos de afirmação e resistência para diversos grupos sociais. Tais movimentos, apesar de terem um grande valor imaterial e relevância histórica, são diversas vezes reprimidos por políticas públicas, que acabam por gerar consequências como a descaracterização e a perda de espaço e, portanto, de grupos na sociedade. O objetivo geral deste trabalho consiste em propor uma intervenção no bairro do Bixiga que contribua para a geração de urbanidade, confira caminhabilidade e que dê suporte às festas de rua, incluindo o carnaval, numa tentativa de potencializar as apropriações e festejos que ali acontecem com tanta força e que são reflexo das manifestações culturais no bairro. Para isso, foi realizada pesquisa bibliográfica sobre os três universos que compõem o trabalho – espaços públicos e sua apropriação, principalmente em São Paulo, carnaval de rua e o bairro do Bixiga – e também uma pesquisa a campo, culminando numa proposta projetual. Ao fim do desenvolvimento deste trabalho, percebe-se como as políticas públicas podem atuar sobre o ambiente urbano de forma excludente, tanto no que diz respeito à morfologia da cidade, quanto à comportamentos sociais, e como as manifestações culturais, por vezes tolhidas por tais políticas, servem de instrumento de afirmação e resistência de diversos grupos a esse modelo. Percebe-se também a força e a importância dos ativismos urbanos, incluindo a retomada do carnaval de rua, num movimento maior de reapropriação dos espaços públicos e de tentativa de mudança na lógica do pensar a cidade. Nota-se, ainda, a recorrente tendência de limitar e mercantilizar apropriações culturais espontâneas que se popularizam, assim como conclui-se que o olhar crítico ao longo da história para tais movimentos num território pode servir de instrumento para colocar em pauta a discussão da marginalização de grupos e culturas que merecem ser valorizadas
Descrição
Palavras-chave
espaço público , carnaval de rua , Bixiga , manifestações culturais , ativismos urbanos
Citação