Show simple item record

dc.creatorGarcia, Fernanda
dc.date.accessioned2020-10-09T16:03:27Z
dc.date.accessioned2020-12-07T15:07:04Z
dc.date.available2020-12-07T15:07:04Z
dc.date.issued2020-02-04
dc.identifier.citationGARCIA, Fernanda. Análise fatorial e normatização preliminar da versão brasileira do Inventário de Comportamento Motor (MBC) para uma amostra de crianças do Ensino Fundamental I. 2020. 121 f. Dissertação (Distúrbios do Desenvolvimento) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.por
dc.identifier.urihttp://dspace.mackenzie.br/handle/10899/26489
dc.description.abstractTo assess cognitive and behavioral difficulties throughout the child's development, parents and teachers are often requested to answer questionnaires and inventories about their children and students. This procedure can often reveal important information about the behavior of these individuals in different environments and under different points of view. From this perspective, the Motor Behavior Checklist (MBC) was developed. The instrument assesses motor behavior and must be completed by observing the child in a play situation or in physical education (PE) classes. Although MBC for children was not designed to be used as a diagnostic tool in clinical settings, the data provided by the instrument is useful as complementary information during assessment procedures. Research has found its effective contribution to core discrimination of symptoms of some neurodevelopmental disorders such as Attention Deficit Hyperactivity Disorder (ADHD), Conduct Disorder (CD) and Autistic Spectrum Disorder (ASD). This instrument has already been translated into Portuguese and has undergone a process of crosscultural adaptation and it is now necessary to seek preliminary standardization and evidence of external validity. Thus, the objective of this research was to establish the preliminary rules of the Motor Behavior Checklist (MBC) for a sample of children according to age and education. The sample consisted of 332 students from Elementary School I, from public and private schools from the cities of São Paulo and Embú das Artes, who were evaluated by physical education teachers, classroom teachers and parents. In addition to the MBC, the Brief Problem Monitor (BPM-P) for parents and (BPM-T) for teachers, and the Executive Function and Child Regulation Inventory (IFERA-I) were used. To standardize the MBC score for the age group between 6 and 11, a factor analysis of the translated items was made, followed by the application of the Item Response Theory (Rasch Model) and the mean and standard deviation of the instrument's gross score distributions for each of the age levels. Factorial analysis described that items were better distributed in a 6-subscale model rather than 7, as in the original inventory, generating subscales of Rule Breaking Problems, ADHD Problems, Low Energy Problems, Empathy and Stereotypy Problems, Social Interaction and Self-Regulatory Problems. Besides that, some items were redistributed between the scales and others excluded because they did not discriminate according to the answers. To obtain the standard score corresponding to each gross MBC score, they were submitted to the following sequence: from each score the mean of the corresponding distribution was subtracted, and the remainder was divided by the standard deviation of that distribution. This ratio was then multiplied by 15, and to this product was added 100. The formula can be represented as follows: standard score = ([SCORE - mean] /standard deviation) 15 + 100. The results of the new factorial structure of the adapted scale to Brazilian Portuguese came to better reflect the sample evaluation used in this instrument. It was also possible to present preliminary rules of the translated version of the Motor Behavior Inventory (MBC). Finally, correlation analyzes with other instruments that have scales with compatible constructs with MBC, such as IFERA-I and BPM, showed that all index between the MBC subscales and the selected BPM and IFERA-I teachers subscales were positive and statistically significanteng
dc.description.sponsorshipInstituto Presbiteriano Mackenziepor
dc.formatapplication/pdf*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Presbiteriana Mackenziepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
dc.subjectanálise fatorialpor
dc.subjectnormatizaçãopor
dc.subjectinventáriopor
dc.subjectcomportamentopor
dc.subjectescolapor
dc.subjecteducação físicapor
dc.titleAnálise fatorial e normatização preliminar da versão brasileira do Inventário de Comportamento Motor (MBC) para uma amostra de crianças do Ensino Fundamental Ipor
dc.typeDissertaçãopor
dc.publisher.departmentCentro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)por
dc.publisher.programDistúrbios do Desenvolvimentopor
dc.publisher.initialsUPMpor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIApor
dc.description.resumoPara a avaliação de dificuldades cognitivas e comportamentais ao longo do desenvolvimento da criança, frequentemente pais e professores são solicitados a responderem questionários e inventários sobre seus filhos e alunos. Esse procedimento consegue fornecer, sob o ponto de vista destes participantes, informações fundamentais sobre o comportamento destes indivíduos em diferentes ambientes e sob diferentes pontos de vista. Nesta perspectiva foi desenvolvido o Motor Behavior Checklist (MBC), que avalia o comportamento motor e deve ser preenchido observando-se a criança em uma situação de brincar ou nas aulas de educação física (EF). Embora o MBC para crianças não tenha sido projetado para ser usado como uma ferramenta de diagnóstico em contextos clínicos, os dados fornecidos pelo instrumento são úteis como informações complementares durante os procedimentos de avaliação. Uma vez que pesquisas constataram sua efetiva contribuição para a discriminação do núcleo de sintomas de alguns transtornos/alterações associadas ao neurodesenvolvimento como Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), Transtorno de Conduta (TC), e Transtorno do Espectro Autista (TEA). Este instrumento já foi traduzido para o português e sofreu processo de adaptação transcultural sendo necessário agora buscar a normatização preliminar e por evidências de validade externa. Em função disto, o objetivo desta pesquisa foi estabelecer as normas preliminares do Inventário de Comportamento Motor (Motor Behavior Checklist – MBC) para uma amostra de crianças em função da idade e escolaridade. A amostra foi composta por 332 alunos do Ensino Fundamental I, de escolas públicas e particulares das cidades de São Paulo e Embu das Artes, que foram avaliados pelos professores de educação física, professores de sala e pais. Além do MBC, o Breve Monitor de Problema (BPM-P) para pais e (BPM-T) para professores e o Inventário de Funções Executivas e Regulação Infantil (IFERA-I) foram utilizados. Para a normatização da pontuação no MBC para a faixa etária entre 6 e 11 anos, primeiramente foi feita uma análise fatorial dos itens traduzidos, seguida da aplicação da Teoria de Reposta ao item (Modelo Rasch) e a média e o desvio-padrão das distribuições das pontuações brutas no instrumento para cada um dos níveis etários. A análise fatorial descreveu que os itens se distribuíram melhores em um modelo de 6 subescalas ao invés de 7 como no inventário original gerando subescalas de Problemas Quebra de Regras, Problemas de TDAH, Problemas de Baixa Energia, Problemas de Empatia e Estereotipia, Problemas de Interação Social e Problemas de Autorregulação. Além disso, alguns itens foram redistribuídos entre as escalas e outros excluídos por não apresentarem discriminação em função das respostas. Para a obtenção da pontuação padrão correspondente a cada pontuação bruta no MBC, as pontuações foram submetidas à seguinte sequência: de cada pontuação foi subtraída a média da distribuição correspondente, e o resto foi dividido pelo desvio-padrão dessa distribuição. Tal razão foi multiplicada então por 15, e a este produto foi finalmente acrescido 100. A fórmula pode ser assim representada: pontuação-padrão= ([PONTUAÇÃO – média] /desvio-padrão) 15 + 100. Os resultados da nova estrutura fatorial da escala adaptada para o português do Brasil passaram a refletir melhor a avaliação da amostra utilizada nesse instrumento. Foi possível também apresentar normas preliminares da versão traduzida do Inventário de Comportamento Motor (MBC). E por fim, as análises de correlações com outros instrumentos que tem escalas com constructos compatíveis ao MBC, como o IFERA-I e BPM, mostraram que todos os índices entre as subescalas do MBC e as subescalas selecionadas do BPM e IFERA-I Professores foram positivos e estatisticamente significativospor
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/0149806562985797por
dc.contributor.advisor1Carreiro, Luiz Renato Rodrigues
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0203967709311323por
dc.contributor.referee1Paiano, Ronê
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3353051481377761por
dc.contributor.referee2Serpa, Alexandre
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/1023215520512386por
dc.bitstream.urlhttp://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/4391/5/Fernanda%20Garcia%20Faria.pdf
dc.keywordsfactorial analysiseng
dc.keywordsstandardizationeng
dc.keywordsinventoryeng
dc.keywordsbehavioreng
dc.keywordsschooleng
dc.keywordsphysical educationeng


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Acesso Aberto
Except where otherwise noted, this item's license is described as Acesso Aberto