Economia e Mercados (M. Profissional) - Dissertações - CCSA Higienópolis

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 86
  • Dissertação
    Determinantes de poupança de indivíduos certificados: um estudo da influência de variáveis sócio-demográficas
    Marchesi, André Filipe Liberali Magajewski (2024-02-05)

    Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)

    Ao analisar-se o cenário econômico brasileiro e as dinâmicas transformações pelas quais passam as instituições e ferramentas de investimento, é mister que indivíduos tenham domínio sobre conhecimento financeiro e a importância do comportamento de poupança para seus futuros, de suas famílias e de seus sucessores. Através de uma survey online e 185 respostas válidas, realizada dentro do universo de indivíduos com certificação financeira chancelada pela Associação Nacional das Entidades do Mercado Financeiro e de Capitais (ANBIMA), pôde-se avaliar o perfil de cada respondente, como seu gênero, idade, raça, bem como produtos financeiros investidos, planos para o futuro, nível de renda e influência (ou não) de variáveis sociodemográficas sobre seu comportamento de poupança individual. Os resultados obtidos corroboram com evidências do relacionamento da renda e educação com as decisões e capacidade de investimento observadas, levando à discussão sobre os impactos que esses efeitos comportamentais ocasionam e como pode-se estimular indivíduos a terem zelo sobre o seu bem-estar financeiro.
  • Dissertação
    Características das exportações brasileiras para os países da Liga Árabe entre 1997 e 2002
    Silveira, Mical Bento da (2024-02-15)

    Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)

    O objetivo do presente trabalho é identificar as características das exportações brasileiras para os países da Liga Árabe. Para tanto, parte-se de uma revisão da literatura para melhor entender a religião Islâmica e o seu impacto sobre a economia e a vida dos muçulmanos, além de sintetizar a evolução das relações internacionais entre Brasil e Oriente Médio. Em seguida, é realizada uma análise exploratória dos dados das exportações brasileiras mundiais e para Liga Árabe, com destaque especial às carnes, por ter grande representatividade na cesta de produtos que são exportados pelo Brasil para a Liga Árabe e porque, como regra geral, a carne importada pelos países pertencentes a Liga Árabe é essencialmente um produto halal. As análises identificaram o possível impacto do aumento do preço das commodities, do crescimento do PIB per capita e da população da Liga Árabe nas exportações brasileiras em geral – e de carnes em particular –, para o mundo árabe. As análises realizadas apontam que a Liga Árabe, quando vista como um bloco, é um parceiro comercial relevante nas exportações do Brasil. Quando é observada a importação de carne feita pela Liga Árabe, vemos que o Brasil é um de seus principais fornecedores. A carne é responsável por uma média de 25,60% de tudo que é exportado pelo Brasil para a Liga Árabe, o que pode ser associado à importância das relações internacionais mantidas entre eles e à conformidade do Brasil às exigências que regem os produtos halal, necessárias para que ele se mantenha como um dos principais parceiros comerciais da Liga Árabe no fornecimento de proteína animal.
  • Dissertação
    O papel do BNDS na internacionalização de empresas brasileiras: o caso da JBS
    Lourenço, Luis César Antonini (2024-02-06)

    Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)

    O Brasil integrou os fluxos internacionais de investimento de maneira tardia, sendo considerado pelas principais teorias de internacionalização como atrasado, principalmente em relação aos países desenvolvidos. De fato, a internacionalização de empresas brasileiras ganha força a partir da década de 1990, com políticas e reformas que facilitaram a inserção de empresas brasileiras nos fluxos de investimentos diretos no exterior (IDE). Ainda que os anos 1990 tenham sido fundamentais para esta inserção, foi a partir de meados dos anos 2000 que as empresas brasileiras efetivamente iniciaram com mais agressividade a expansão internacional por meio de investimentos, contando com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento e Social (BNDES), essencialmente por meio de suas políticas flexíveis e democráticas de acesso a crédito e financiamento. O Brasil adotou políticas interessantes para a expansão, modernização, consolidação e internacionalização de empresas nacionais de setores considerados estratégicos, como a JBS, multinacional brasileira do setor de carnes com operações em dezenas de países. Dialogando com as principais teorias tradicionais de internacionalização de empresas e analisando as ferramentas e mecanismos de apoio do BNDES no processo de expansão internacional da JBS, nota-se um perfil altamente agressivo de investimentos diretos no exterior por meio da aquisição de competidores, fornecedores e empresas já consolidadas no setor de proteína. A maioria das empresas brasileiras não possui como hábito a expansão internacional de forma agressiva, por meio de aquisições diretas de concorrentes no mercado, essencialmente devido a sua cautela em relação ao risco do investimento direto no exterior e, também, por não serem administrativa e financeiramente consolidadas como a JBS, presente em um setor altamente competitivo e tecnológico no Brasil. Tais operações com foco principal na internacionalização da JBS contaram com financiamentos importantes do BNDES, desempenhando papel fundamental na consolidação da empresa no Brasil e no exterior, contribuindo positivamente com seus resultados mensuradores de sucesso e crescimento de suas operações em outros países.
  • Dissertação
    Treinamento financeiro corrige vieses cognitivos?: uma análise das decisões de consultores de investimentos de um banco brasileiro informada pelas finanças comportamentais
    Mayorga, Willyam de Melo (2024-02-07)

    Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)

    O objetivo desta dissertação foi investigar se o treinamento de indivíduos que atuam como consultores financeiros na área de investimentos de um grande banco brasileiro reduz as identificadas heurísticas da ancoragem e aversão à perda em seus julgamentos e decisões sob risco e incerteza. Para efetuar tal tarefa, 198 consultores de investimentos divididos em grupos A e B responderam questionários de opinião com cinco questões de cada viés. Os resultados indicam que a capacitação reduziu os vieses investigados apontando para a eficácia do treinamento como uma estratégia promissora de debiasing. Adicionalmente, a pesquisa encontrou evidências que mulheres, os mais jovens e consultores experientes escolheram por opções com menos viés após o treinamento. O trabalho oferece reforço empírico para a visão de que os consultores são limitadamente racionais e a educação tem capacidade de melhorar qualidade de suas escolhas e orientações financeiras.
  • Dissertação
    Tomada de decisão e remuneração de carteiras de investimento de clientes homens e mulheres de um banco brasileiro: uma análise informada pelas finanças comportamentais
    Iljonski, Fabio Felippe Chamma Cakas (2024-02-06)

    Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)

    Esta dissertação oferece uma investigação empírica, informada pelas finanças comportamentais, da tomada de decisão e remuneração de carteiras de investimento em renda variável de homens e mulheres clientes de um grande banco brasileiro, no período de 2018 e 2022. Para tanto foram examinadas a totalidade de transações efetivadas referentes à compra e venda de ativos de renda variável de 5.378 investidores, sendo conferido a cada investidor uma média de rendimentos ponderada ao capital investido. Para tal, foram realizados testes de variância e de média sobre os rendimentos obtidos separadamente por grupos de homens e mulheres. Os resultados indicaram maior rentabilidade auferida pelas mulheres em relação aos homens. As investidoras efetuaram, em média, um menor número de negociações de compra e venda de ativos, arcando com menores custos de transação. Além do gênero foram observadas outras características sociodemográficas dos investidores tais como idade, estado civil, renda, escolaridade e perfil de investidor: conservador, moderado, arrojado e agressivo. As evidências encontradas estão alinhadas com a literatura de economia e finanças comportamentais sobre preferências de risco, heurísticas e vieses que sugere que os homens geralmente efetuam transações com maior frequência do que as mulheres.