Estudo experimental comparativo entre as telas de polipropileno microporoso, polipropileno/poliglecaprone e polipropileno macroporoso utilizadas na correção de defeito na parede abdominal de ratos

Carregando...
Imagem de Miniatura
Tipo
Tese
Data
2019-01-02
Autores
Utrabo, Carlos Alberto Lima
Orientador
Czeczko, Nicolau Gregori
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Gomes, Ricardo Zanetti
Lipinski, Leandro Cavalcante
Busato, Cesar Roberto
Nassif, Paulo Afonso Nunes
Programa
Princípios da Cirurgia
Resumo
Introdução. O reparo de defeitos da parede abdominal é uma das cirurgias mais realizadas na atualidade. Com o aumento considerável de novas telas para utilização no tratamento das hérnias, existe uma incessante busca pela tela ideal. O uso de telas apresenta, em alguns casos, risco de infecção, seroma, fístula, dor crônica, e de retração da parede tratada. Esta pesquisa tem como objetivo avaliar o processo de cicatrização de defeito produzido em parede abdominal de ratos comparando-se o reparo com a utilização das telas polipropileno microporosa, polipropileno/poliglecaprone macroporosa e polipropileno macroporosa, avaliando-se a parede abdominal tratada no 30º, 60º e no 120º dia de pós-operatório visando: avaliação macroscópica, avaliação tensiométrica, e avaliação microscópica. Material e método: Foram utilizados 90 ratos da raça Wistar (Rattus norvergicus albinus), machos, adultos jovens, com três meses com peso variando de 280 a 300 gramas. Os animais foram distribuídos em três grupos de trinta ratos. Cada grupo foi dividido em três subgrupos de 10 ratos, que foram submetidos a procedimentos cirúrgicos semelhantes, com lesão da parede abdominal, mantendo a integridade do peritônio parietal e correção utilizando as telas estudadas. Realizou-se a eutanásia aos 30,60 e 120 dias de pós-operatório. Os segmentos parede abdominal dos animais foram submetidos à análise tensiométrica, histológica com utilização de hematoxilina/eosina e tricômio de Masson, imunoistoquímica, e avaliação do colágeno com o picrossírius Red. Resultados: O presente estudo demonstrou uma maior resistência dos tecidos reparados, nas telas macroporosas em relação às telas microporosas. O escore do processo inflamatório demonstrou prevalência significativa de processo subagudo no início e no final do estudo. Nas telas microporosas o encapsulamento é em bloco e nas telas macroporosas o encapsulamento é prevalentemente filamentar. O estudo imunoistoquímico com o marcador MMP9 teve redução constante durante todo o período de estudo no grupo G2 (polipropileno/poliglecaprone). Conclusão: As telas mais resistentes ao final do estudo foram as telas macroporosas. Nas telas microporosas o encapsulamento é em bloco e nas macroporosas prevalece o encapsulamento filamentar. Todas as telas estudadas mostraram resistência suficiente para a manutenção da correção do defeito de parede no período avaliado.
Descrição
Palavras-chave
tela de polipropileno , hérnia abdominal , análise tensiométrica , imuno-histoquímica
Citação
UTRABO, Carlos Alberto Lima. Estudo experimental comparativo entre as telas de polipropileno microporoso, polipropileno/poliglecaprone e polipropileno macroporoso utilizadas na correção de defeito na parede abdominal de ratos. 2019. 94 p. Tese(Princípios da Cirurgia) - Faculdade Evangélica Mackenzie do Paraná, [Curitiba] .