Correlação entre habilidades executivas e rastreamento ocular em crianças e jovens com transtorno invasivo do desenvolvimento

Tipo
Dissertação
Data
2007-02-09
Autores
Orsati, Fernanda Tebexreni
Orientador
Macedo, Elizeu Coutinho de
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Mello, Claudia Berlim de
Mercadante, Marcos Tomanik
Programa
Distúrbios do Desenvolvimento
Resumo
O autismo está inserido dentro dos Transtornos Invasivos do Desenvolvimento (TID) sendo caracterizado por uma tríade de comprometimentos que atinge a interação social, comunicação e comportamento. Atualmente o diagnóstico é realizado por observação e relatos comportamentais sem que haja um marcador biológico único para caracterizá-lo. Novas possibilidades de determinar esse marcador preciso vêm sendo amplamente discutidas na literatura tais como: achados de ressonância magnética funcional, histológicos, neuropsicológicos e de movimento ocular. Desta maneira, a avaliação de funções executivas e de anormalidades do movimento ocular são meios de investigação das bases de funcionamento neubiológico e contribuem para maior precisão no desenvolvimento de intervenções nesse distúrbio. O presente trabalho objetiva avaliar as Habilidades Executivas e correlacioná-las ao movimento ocular em crianças e adolescentes com TID. MÉTODO: Foram avaliadas 10 crianças e jovens com TID, com idade média de 11,9 (DP=3,22), pareados por idade e sexo com 10 crianças e jovens com desenvolvimento típico. Avaliou-se a inteligência através do WISC III; as Habilidades Executivas através do Trail Making, Figura Complexa de Rey e Torre de Hanói. As habilidades de rastreamento ocular foram avaliadas através das Tarefas de Sacada Preditiva (SP), Anti-Sacada (AS), Acompanhamento e Rastreamento de Faces. RESULTADOS: Observa-se diferenças significativas de desempenho entre grupos no QI Geral, QI de Execução, no Trail Making parte B, na reprodução de Memória com 3 e 30 minutos da Figura Complexa de Rey e na execução da Torre de Hanói. Observam-se diferenças também nas provas de rastreamento ocular: nos acertos, erros e latência para a Tarefa SP; nos erros seguidos de acerto para a Tarefa AS; no número de sacadas intermediárias para a Tarefa de Acompanhamento e no número de fixações na região dos olhos entre faces com Olhos Presentes e Ocultados no Rastreamento de Faces. Foram também encontradas correlações significativas entre índices de QI, resultados de FE e medidas de movimentos oculares. DISCUSSÃO e CONCLUSÕES: Encontrou-se um perfil de alterações neuropsicológicas nos indivíduos pesquisados que se correlaciona aos padrões de movimento ocular. Esse padrão comum é delineado por uma falta de regulação da atenção voluntária, dificuldade em inibir um comportamento e direcioná-lo ao objetivo proposto na tarefa, alteração no planejamento de ação, dificuldade para iniciação de resposta, dificuldade na flexibilidade cognitiva; e habilidade de visuo-construção preservada. As alterações em habilidades executivas refletem nas relações sociais do indivíduo com o meio e com outras pessoas. A determinação desse perfil de dificuldades pode contribuir para o desenvolvimento de intervenções mais eficazes para essa população.
Descrição
Palavras-chave
autismo , transtorno invasivo do desenvolvimento , avaliação neuropsicológica , movimento ocular , autism , pervasive developmental disorder , neuropsychological assessment , eye tracking
Citação
ORSATI, Fernanda Tebexreni. Correlação entre habilidades executivas e rastreamento ocular em crianças e jovens com transtorno invasivo do desenvolvimento. 2007. 125 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2007.