Realização de valores pessoais no ambiente organizacional e a influência no comprometimento organizacional

Carregando...
Imagem de Miniatura
Tipo
Dissertação
Data
2015-02-05
Autores
Dutra, Samantha Silva
Orientador
Domenico, Silvia Marcia Russi de
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Teixeira, Maria Luisa Mendes
Leite, Nildes Raimunda Pitombo
Hanashiro, Darcy Mitiko Mori
Martins, Maria do Carmo Fernandes
Programa
Administração de Empresas
Resumo
O constructo Comprometimento Organizacional passou a ser intensamente investigado entre o final dos anos 1970 e início da década de 1990 (MEYER; ALLEN, 1997; BASTOS, 1998). Pesquisadores comumente examinam as relações entre comprometimento e potenciais variáveis antecedentes, como características pessoais e valores pessoais, visando identificar quais dessas variáveis podem influenciar o comprometimento (MEYER; ALLEN, 1991; TAMAYO, 2005; MEYER; HERSCOVITH, 2001; COHEN, 2009). Este estudo visou verificar a influência da Realização de Valores Pessoais no Ambiente Organizacional (RVP) no Comprometimento Organizacional (CO), definindo-se Comprometimento Organizacional como o ‘estado psicológico’ das pessoas, contemplando seus sentimentos e/ou crenças sobre o relacionamento com a organização em que atuam, implicando ou não no estabelecimento de um vínculo (MEYER; ALLEN, 1991) e Realização de Valores Pessoais no Ambiente Organizacional como a percepção de realização das metas motivacionais pessoais na organização em que as pessoas trabalham ao desempenharem suas atividades cotidianas (MAURINO; DOMENICO, 2012). Adotou-se a abordagem multidimensional para CO, considerando-se seus três componentes: afetivo, normativo e instrumental (MEYER, ALLEN, 1991), enquanto RVP tem como base a teoria de valores básicos de Schwartz (1992). Nesta pesquisa, de natureza exploratória-descritiva, foi utilizado o método quantitativo a partir da aplicação de um instrumento composto por dois questionários, IRVP – Inventário de realização de valores pessoais no ambiente organizacional (MAURINO; DOMENICO, 2012) e a escala reduzida de Comprometimento Organizacional de Meyer, Allen e Smith (1993) na versão para o Brasil (MEDEIROS, 1997). A amostra, caracterizada como não probabilística, contou com 159 casos válidos, sendo composta em sua maioria por mulheres, com 39 anos em média, que atuavam, em sua maior parte, como gestoras de pessoas. Para o tratamento de dados foi utilizada estatística descritiva, bivariada e multivariada. Os resultados mostraram que valores de autotranscendência foram aqueles percebidos como os mais realizados no ambiente organizacional, enquanto o Comprometimento afetivo obteve a maior média de respostas. Por sua vez, não houve correlações negativas, como hipotetizado, entre a percepção de realização de valores de segunda ordem opostos. Quanto mais as pessoas perceberam realizar seus valores pessoais - de autopromoção, abertura à mudança, autotranscendência, e conservação -, mais presença de Comprometimento afetivo e normativo nas organizações em que trabalhavam. A partir da análise de regressão, foi possível afirmar que RVP consegue explicar 13,3% da variância de Comprometimento afetivo e 12% no caso do Comprometimento normativo, alcançando-se o objetivo geral da presente pesquisa.
Descrição
Palavras-chave
realização de valores pessoais no ambiente organizacional , comprometimento organizacional , valores pessoais
Citação
DUTRA, Samantha Silva. Realização de valores pessoais no ambiente organizacional e a influência no comprometimento organizacional. 2015. 113 f. Dissertação (Administração de Empresas) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.