Avaliação do grau de satisfação após miniabdominoplastia com aplicatura da aponeurose do músculo reto abdominal

Tipo
TCC
Data
2022
Autores
Robert, Arthur Forlin
Tombesi, Bruna Parissi
Orientador
Matioski, Alysson Rogerio
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Programa
Resumo
INTRODUÇÃO: O desenvolvimento de técnicas em cirurgia plástica durante o século passado permite, agora, a correção cirúrgica de deformidades de contorno corporal de forma eficiente e segura. A miniabdominoplastia passou a ser utilizada desde a década de 60, contudo teve sua popularização e divulgação no Brasil somente a partir de 1980. Essa técnica cirúrgica associada à sutura completa da diástase do músculo reto abdominal corrige a deformidade limitada ao relaxamento musculofascial do abdome inferior e também melhora o excesso regional de pele e gordura. OBJETIVO: O estudo tem por objetivo avaliar o grau de satisfação das pacientes submetidas à miniabdominoplastia com plicatura completa da aponeurose do músculo reto abdominal. METODOLOGIA: Foi realizado um estudo prospectivo para avaliar o grau de satisfação de 17 pacientes submetidos a miniabdominoplastia com plicatura total do reto abdominal. Foram utilizados os questionários “ROE-Brasil” modificado e o “questionário para avaliação das queixas do paciente”. As participantes foram divididas em grupos de acordo com seu IMC e segundo história de gestação completa e suas respostas foram analisadas. O teste U de Mann-Whitney foi utilizado para a comparação das respostas entre grupos considerando sempre o nível de significância de 5%. RESULTADOS: A média de idade dos pacientes foi de 41,8 anos, com variação entre 26 e 56 anos de idade, sendo o índice de massa corporal (IMC) mediano de 26,5. Dessas, 6 pacientes (35,3%) foram classificadas com IMC dentro do normal e 11 (64,7%) com sobrepeso ou obesidade, sendo que 8 (47%) possuíam história de gestação completa. A maior parte das pacientes (70,6%) demonstrou-se satisfeita com a aparência do abdômen após o procedimento, no entanto, 58,7% expressou insatisfação quanto à retirada de gordura e pele, e 64,7% ainda gostaria de modificar a aparência do abdômen com uma nova cirurgia. Mais da metade das pacientes (53%) referiram se deparar com problemas ao vestir trajes de banho e a maioria se sente desconfortável devido a aparência da sua parede abdominal quando despida em frente ao espelho ou em frente ao parceiro (a). As participantes com IMC normal, assim como as gestantes demonstraram maior satisfação que as demais quanto à retirada de gordura e pele da região infraumbilical e menor vontade em realizar novo procedimento para modificar a aparência do seu abdômen. CONCLUSÃO: A miniabdominoplastia com a plicatura completa do músculo reto abdominal se mostrou um procedimento efetivo em alguns casos, porém ainda com um percentual muito grande de pacientes insatisfeitas no pós operatório. O maior grau de satisfação ocorreu nas pacientes com IMC dentro da faixa ideal para a sua idade e altura e que já foram gestantes, mantendo o objetivo da cirurgia apenas de retocar alguns detalhes ou imperfeições específicas. Devido aos resultados obtidos é um procedimento questionável em pacientes com muitas insatisfações de contorno corporal ou com IMC acima do normal. Se mantém a grande especificidade para seleção das pacientes para o procedimento.
Descrição
Palavras-chave
cirurgia plástica , qualidade de vida , abdominoplastia , satisfação do paciente , abdômen
Citação