VAZIOS: possibilidades de aproveitamento das empenas cegas no centro de São Paulo

Carregando...
Imagem de Miniatura
Tipo
TCC
Data
2021-06
Autores
Trindade, Isabela Manzano
Orientador
Sguizzard, Silvio
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Programa
Resumo
A evolução e a transformação da legislação dos espaços construídos da cidade de São Paulo ao longo dos anos resultaram em espaços ociosos, entre eles, os que conhecemos por empenas cegas. Nas origens do desenvolvimento do Plano Diretor, sem que houvesse a exigência de um recuo lateral mínimo, os edifícios construídos ocupavam todo terreno disponível, deixando faces vizinhas fechadas – sem aberturas e janelas. Com o passar do tempo e as transformações urbanas e legislativas na cidade, as empenas se tornaram parte marcante na paisagem de São Paulo, principalmente no centro antigo, que desde o início foi cenário da evolução da cidade. A sobreposição de cidades tonou-se um vício, ou até mesmo uma tradição da metrópole paulistana, que apaga a memória e nega seu passado. Mas será possível atingir o futuro ideal em uma cidade que não preserva sua história? Segundo o autor Benedito Lima de Toledo, já estamos na terceira cidade construída, será preciso chegarmos em uma 4a cidade? ou até mais? A pesquisa a ser desenvolvida neste trabalho busca alternativas de ocupação de empenas na arquitetura e na arte, destacando a importância do patrimônio cultural existente e a necessidade de se olhar criticamente e encontrar novos usos para os edifícios do centro histórico
Descrição
Palavras-chave
Plano Diretor , transformações urbanas , centro antigo
Citação