Show simple item record

dc.contributor.advisorNisihara, Renato Mitsunori
dc.contributor.authorHeil Junior, Luciano Jorge
dc.date.accessioned2021-03-25T17:07:36Z
dc.date.available2021-03-25T17:07:36Z
dc.identifier.urihttp://dspace.mackenzie.br/handle/10899/28017
dc.description.abstractRESUMO A Espondilite Anquilosante (EA) é uma doença reumática crônica pertencente ao grupo das espondiloartrites que afeta principalmente a população masculina. Sua característica mais marcante é a inflamação e eventual fusão das articulações axiais, levando a sintomatologia que evolui de forma insidiosa e progressiva. Portanto, além de ser incurável, trata-se de uma patologia de difícil compreensão e controle preventivo. Foi demonstrado que pacientes do sexo masculino com EA podem ter um desempenho sexual ruim, mas poucos estudos foram feitos para analisar os níveis hormonais sexuais nesse cenário. Objetivo: O presente estudo pretende avaliar a disfunção erétil em pacientes do sexo masculino com EA tentando correlacioná-lo com o perfil hormonal sexual e a atividade da doença. Método: através de um estudo observacional transversal analítico realizado em um centro de Reumatologia foram incluídos 35 pacientes com EA e 104 controles. Os pacientes e controles foram submetidos à dosagem de testosterona total sérica, testosterona livre, testosterona biodisponível, SHBG, albumina, LH e ao questionário IIEF, além da coleta de dados clínicos dos prontuários como atividade da doença. Resultados: foi possível observar que os níveis totais de testosterona e SHBG foram significativamente mais altos nos pacientes com EA do que nos controles, mas não foram observadas diferenças na testosterona livre e na testosterona biodisponível. Entretanto, apresentaram valores inferiores no IIEF, parecendo que as variáveis hormonais não se correlacionaram com as sexuais, mas os indicadores de atividade da doença e qualidade de vida fizeram-no. Como resultados secundários, levanta-se o questionamento sobre o papel da SHBG no processo de doenças vasculares sendo necessário mais estudos nesta área. Conclusão: destaca-se a ocorrência de disfunção erétil em alta proporção de pacientes com EA e sua associação com atividade da doença e pior qualidade de vida, mas não ao perfil hormonal sexual masculino.pt_BR
dc.publisherUniversidade Presbiteriana Mackenziept_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectEspondilite anquilosantept_BR
dc.subjectDisfunção erétilpt_BR
dc.subjectTestosteronapt_BR
dc.titleInvestigação da disfunção erétil, concentração sérica de testosterona e atividade da doença em pacientes com espondilite anquilosantept_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.date.qualified2020


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil