Controles gerenciais num ambiente de incertezas estratégicas: estudo de caso no setor de autopeças

Imagem de Miniatura
Tipo
Dissertação
Data
2016-08-11
Autores
Silva, Wellington Prattes da
Orientador
Oyadomari, José Carlos Tiomatsu
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Lima, Ronaldo Gomes Dultra de
Afonso, Paulo Sergio Lima Pereira
Programa
Controladoria Empresarial
Resumo
Num cenário de competitividade em nível crescente, as empresas têm utilizado as ferramentas dos Sistemas de Controle Gerencial (SCG) para auxiliarem a gestão dos negócios e tomadas de decisões. Em uma compreensão mais ampla, Malmi e Brown (2008) consideram o SCG como um pacote e, em seu modelo, com cinco formas de abordagens de controle: administrativo, cibernético, remuneração e recompensas, planejamento e cultural. Na literatura nacional, poucos estudos têm utilizado essa abordagem. Os controles gerenciais têm maior ou menor relevância dependendo das condições ambientais da empresa, como as incertezas estratégicas, que são eventos externos não previstos que podem inviabilizar as estratégias da organização. O objetivo do presente trabalho é entender como os gestores de uma Industria do setor de Autopeças nacional, segmento econômico caracterizado por alto grau de incertezas, utilizam controles gerenciais para garantir o desempenho organizacional. Para tanto, realizou-se um estudo de caso, de caráter explanatório, que permitiu, além de novas contribuições, coletar informações, observações e entrevistas, que foram analisadas e comparadas. Observou-se grande ênfase dos Controles de Planejamento, a despeito do alto grau de incertezas estratégicas, sugerindo que os dois construtos não são antagônicos. Os Controles Cibernéticos estão muito relacionados aos Controles de Planejamento, e que os Controles Orçamentários auxiliam os gestores a gerenciar de forma mais eficaz o comportamento dos custos, gerando uma grande interação entre a área de controladoria e a área de produção. No tocante ao Controle de Remuneração e Recompensa, os resultados sugerem baixa influencia no comportamento disfuncional dos gestores e equipes, por não ser tão representativo e por ter um componente qualitativo no processo de avaliação. Concluiu-se que o modelo de Malmi e Brown (2008) é adequado para estudar o funcionamento dos controles gerenciais em uma empresa, e que, no caso estudado, há uma grande aderência entre os componentes do pacote. Restou comprovado que todos os benefícios dos controles gerenciais são latentes, mesmo em um ambiente caracterizado por alto grau de incertezas estratégicas.
Descrição
Palavras-chave
sistemas de controle gerencial , SCG , incertezas estratégicas , planejamento e estratégia
Citação
SILVA, Wellington Prattes da. Controles gerenciais num ambiente de incertezas estratégicas: estudo de caso no setor de autopeças. 2016. 65 f. Dissertação (Controladoria Empresarial) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.