Paulo Freire e Bakhtin:um diálogo possível

Imagem de Miniatura
Tipo
Tese
Data
2011-08-30
Autores
Silva, Edite Marques da
Orientador
Vasconcelos, Maria Lúcia Marcondes Carvalho
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Brito, Regina Helena Pires de
Casagrande, Nancy dos Santos
Santiago, Maria Eliete
Programa
Letras
Resumo
Esta tese traz um estudo da proposta freireana para a alfabetização, a partir da hipótese de interfaces entre seus pressupostos e os da filosofia da linguagem de Bakhtin, delimitados nos objetivos. Para tanto, buscou-se refazer o percurso das leituras empreendidas por Freire na construção da arquitetônica de suas proposições. Nessa direção, seguiu-se o panorama da produção de Freire, apresentado por Souza (2001), no livro Um convite à leitura de Paulo Freire. Na reconstrução dessa trajetória, alguns estudos de vital importância: Vasconcelos & Brito (2006), um glossário dos Conceitos de educação em Paulo Freire, tratando de termos como antidiálogo, diálogo, dialogação, dialogismo. Rosas (2004) e Scocuglia (1999), um resgate das experiências que o conduziram às leituras no intuito de fundamentar as concepções forjadas em tempos fundantes . Também nessa perspectiva, mapeou-se o percurso dos conceitos filosóficos de Bakhtin, seguindo a cronologia apontada pelos biógrafos Clark & Holquist (2003), Ponzio (2008). No trato com os principais conceitos de Bakhtin, foram tomados os estudos de Brait (2005, 2006 e 2009) e de outros como Faraco & Tezza (2009); Faraco (2001), Tezza (2002); Souza (2002), Fiorin (2001), Sobral (2005, 2009), que apontam o percurso dos principais conceitos constitutivos da filosofia por ele proposta, dos quais foram elencados linguagem, palavra, consciência, diálogo e dialogismo. Não em uma perspectiva estanque, mas no interior do macroprojeto filosófico desse pensador que colocou a linguagem no cerne da interação humana, da qual resulta a valoração do mundo, refletida e refratada pela palavra, material da linguagem. Tal projeto trilhou um caminho de aparentes coincidências com o de Freire, que construiu uma proposta educativa na qual a palavra deixasse de prestar serviços à opressão. No percurso, Freire sistematizou proposições para a alfabetização, as quais nesta pesquisa denominaram-se de Pedagogia da Leitura. A análise do pensamento de Bakhtin partiu do texto Para uma filosofia do ato, apontado como a matriz filosófica de tudo o que vem depois; que confirma e esclarece os demais textos (Amorim, 2009); síntese do pensamento bakhtiniano (SOBRAL, 2005). De Freire, iniciou-se com A Importância do Ato de Ler em três artigos que se completam (2008), cuja leitura exigiu retorno à sua primeira sistematização escrita: Educação e Atualidade Brasileira (2001), perpassando outras obras nas quais fundamentou os pilares de sua proposta e esboçou os pressupostos linguístico-filosóficos para a alfabetização. Em uma breve discussão, os aspectos histórico-sociológicos condicionantes da filosofia de Bakhtin, dos conceitos elaborados nas bases de sua antropologia filosófica. Na sequência, dois encaminhamentos são apresentados: a análise do trajeto de Freire e de Bakhtin espaços e tempos, concepções subjacentes aos escritos ou neles explicitadas, distanciamentos e convergências entre os determinantes de suas leituras. Depois, o confronto do arcabouço filosófico do que neste estudo é concebido como uma pedagogia freireana da leitura e o da filosofia bakhtiniana da linguagem; as vertentes teóricas de cada um. Aproximações e\ou distanciamentos entre suas concepções de linguagem, palavra, consciência, diálogo e dialogismo, nas leituras que empreenderam. Na conclusão, os (des)encontros entre esses grandes filósofos do Dialogismo são analisados.
Descrição
Palavras-chave
linguagem , consciência , realidade , Freire, Paulo , Bakhtin , language , consciousness , reality , Freire, Paulo , Bakhtin
Citação
SILVA, Edite Marques da. Paulo Freire e Bakhtin:um diálogo possível. 2011. 189 f. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2011.