Investigando a experiência musical

Imagem de Miniatura
Tipo
Dissertação
Data
2015-02-12
Autores
Mulin, Priscila Bernardo
Orientador
Giora, Regina Célia Faria Amaro
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Masini, Elcie Aparecida Fortes Salzano
Moraes, Bernadete Silveira
Programa
Educação, Arte e História da Cultura
Resumo
Esta pesquisa teve por objetivo descrever diferentes relações estabelecidas entre música e experiência humana, investigando como as pessoas percebem, vivenciam e atribuem sentido a este tipo de experiência. Para tanto, num primeiro momento realizou-se uma pesquisa exploratória sobre o tema, na qual se recorreu a literatura de diversas áreas que estudam a música. Este passo conduziu a importantes reflexões sobre as possibilidades e as dificuldades de se investigar a experiência musical, tendo como eixo condutor da reflexão e posterior delineamento do método de pesquisa, três referenciais: os tipos de comportamentos musicais descritos por Theodor W. Adorno, a Musicoterapia enquanto campo de estudo e favorecimento da experiência musical e a Fenomenologia da Percepção de Maurice Merleau-Ponty. Num segundo momento, tentando aproximar-se ainda mais da experiência vivida, adotou-se uma perspectiva fenomenológica, na qual colocou-se em suspensão possíveis referenciais teóricos que explicariam a experiência musical. Para isso, utilizou-se para investigação da experiência musical o Histórico Sonoro-Musical, um material no qual os sujeitos de pesquisa registraram suas vivências musicais a partir de uma organização cronológica (da descendência familiar a vida adulta) e questionários específicos sobre seus hábitos e preferências musicais. Os sujeitos de pesquisa foram três alunos do curso de especialização em Musicoterapia com idades entre 29 e 33 anos. Quatro aspectos bastante presentes se destacaram constituindo um interessante recorte para descrição das experiências musicais, os lugares em que as experiências musicais foram favorecidas, as pessoas que compartilharam ou geraram estas experiências, as fontes sonoras e as referências ao universo artístico-cultural. O conjunto destes quatro aspectos foi denominado Contexto Sonoro-Musical. Como resultados da análise nomotética que entrelaçou as experiências musicais dos sujeitos de pesquisa, pôde-se verificar que os elementos do Contexto Sonoro-Musical propiciam o contato direto do sujeito com a música, e assim, tais aspectos podem ser considerados como os fatores objetivos da experiência musical, enquanto que a forma que os sujeitos se relacionam e atribuem sentido aos mesmos, os aspectos subjetivos da experiência. Uma trajetória de continuidade na experiência musical que se inicia a partir do contato com a música e os sons do entorno, passando às ações musicais e constituindo as experiências musicais preferenciais de cada sujeito, também pôde ser observada. Dessa forma, o Contexto Sonoro-Musical, quando concebido a partir de uma perspectiva cronológica, pode esclarecer algumas nuances da complexa relação entre música e experiência humana, contribuindo para se chegar a estrutura do fenômeno da experiência musical.
Descrição
Palavras-chave
experiência musical , contexto sonoro-musical , tipos de comportamento musical , musicoterapia , fenomenologia , musical experience , sound-musical context , types of musical behavior , music therapy , phenomenology
Citação
MULIN, Priscila Bernardo. Investigando a experiência musical. 2015. 278 f. Dissertação (Mestrado em Educação, Arte e História) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2015.