Show simple item record

dc.creatorBarrozo, Amanda Fariapt_BR
dc.date.accessioned2016-03-15T19:39:57Z
dc.date.accessioned2020-03-19T15:19:57Z
dc.date.available2013-02-25pt_BR
dc.date.available2020-03-19T15:19:57Z
dc.date.issued2013-02-04pt_BR
dc.identifier.citationBARROZO, Amanda Faria. Avaliação das relações entre medidas antropométricas, composição corporal e condicionamento físico em jovens com síndrome de Down. 2013. 76 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2013.por
dc.identifier.urihttp://dspace.mackenzie.br/handle/10899/22511
dc.description.abstractIntroduction: Down syndrome (DS) is the leading genetic cause of intellectual disability. The clinical characterization is broad and includes: hypotonic, muscle weakness, low physical fitness, stunting and overweight. The literatures shows a relationship between physical fitness and body composition, which can be assessed by anthropometric indicators such as body mass index (BMI), waist circumference (WC) and skinfold thickness along with bioelectrical impedance analysis (BIA). Physical fitness can be assessed by 6-minute walk test (6MWT). Objective: To evaluate and correlate the distance covered on the 6MWT with anthropometric measurements and body composition of adolescents with DS that not practicing sport in competition regime. Methods: It was conducted an observational study of 22 young males with DS between September and October 2012. The data collected were: height and weight to calculate BMI and realize the nutritional classification, waist circumference to assess the presence of central fat and skinfold thickness to calculate %body fat (% BF). Furthermore, it was evaluated the lean mass (LM) using BIA and performed the 6MWT to assess the physical fitness of the individuals. The adolescents were divided into three age groups. It was adopted as the level of statistical significance set at p <0.05. Results: The mean of the sample variables were: age: 15.59 years, body mass: 62.28 kg, height: 1.53 m, BMI: 26.31 kg/m2, WC: 87.57 cm, %BF: 37.8%, LM: 50.87 kg and 6MWT distance was 478m. Among the participantes, 9 were classified as normal weight, 12 overweight and 1 obese. WC had increased in 13 adolescents and only 1 participant showed a normal %BF. There was significant difference between groups for BMI, WC and LM lean mass and a positive correlation between all anthropometric measurements and lean mass mesured by BIA. However, it was not observed for the 6MWT. Conclusions: All anthropometric indicators showed good correlation with each other and LM given by the BIA. There has been a growing trend among age groups for BMI and WC and decreasing for lean mass. However, no difference was observed between groups for both BF% given by the skinfold thickness and the distance covered in 6MWT. Moreover, the distance did not correlate with any other variable. The distance walked during the 6MWT may be impaired in people with intellectual deficit by understanding issues, since no correlations were obtained between anthropometric data, body composition and performance in the test.eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Presbiteriana Mackenziepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectsíndrome de Downpor
dc.subjectíndice de massa corporalpor
dc.subjectpregas cutâneaspor
dc.subjectcircunferência abdominalpor
dc.subjectimpedância elétricapor
dc.subjectcaminhadapor
dc.subjectaptidão físicapor
dc.subjectDown syndromeeng
dc.subjectbody mass indexeng
dc.subjectskinfold thicknesseng
dc.subjectwaist circumferenceeng
dc.subjectelectric impedanceeng
dc.subjectwalkingeng
dc.subjectphysical fitnesseng
dc.titleAvaliação das relações entre medidas antropométricas, composição corporal e condicionamento físico em jovens com síndrome de Downpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.publisher.departmentPsicologiapor
dc.publisher.programDistúrbios do Desenvolvimentopor
dc.publisher.initialsUPMpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIApor
dc.description.resumoIntrodução: A síndrome de Down (SD) representa a principal causa genética de deficiência intelectual. Sua caracterização clínica é ampla e inclui: hipotonia, fraqueza muscular, baixo condicionamento físico, baixa estatura e excesso de peso. A literatura aponta relações entre o condicionamento físico e a composição corporal, que pode ser avaliada por indicadores antropométricos como o índice de massa corpórea (IMC), circunferência abdominal (CA) e as dobras cutâneas (DC), juntamente com a bioimpedância elétrica (BIA). O condicionamento físico pode ser avaliado pelo Teste de Caminhada de 6 minutos (TC6M). Objetivo: Avaliar e correlacionar a distância percorrida no TC6M com as medidas antropométricas e a composição corporal de adolescentes com SD não praticantes de modalidade desportiva em regime de competição. Casuística e Método: Foi realizado um estudo observacional com uma amostra de 22 jovens do gênero masculino com SD entre setembro e outubro de 2012. Os dados coletados foram: estatura e massa corporal para calcular o IMC e realizar a classificação nutricional, a circunferência abdominal para avaliar a presença de gordura central e as dobras cutâneas do tríceps e subescapular para calcular o %gordura corporal (%GC). Além disso, foi avaliada a massa magra (MM) utilizando a bioimpedância elétrica e realizado o TC6M para avaliar o condicionamento físico dos sujeitos. Os jovens foram distribuídos em três grupos etários. Adotou-se como nível de significância estatística o valor de p < 0,05. Resultados: As médias das variáveis da amostra foram: idade: 15,59 anos, massa corporal: 62,28kg, estatura: 1,53m, IMC: 26,31kg/m2 , CA: 87,57cm, %GC 37,8%, massa magra: 50,87kg e a distância percorrida no TC6M foi 478m. Dentre os participantes, 9 foram classificados como eutróficos, 12 com sobrepeso e um obeso. Apresentavam CA aumentada 13 participantes e apenas um apresentou %GC normal. Foi observada diferença significativa entre os grupos para IMC, CA e massa magra. Houve correlação positiva entre todos os indicadores antropométricos e a massa magra avaliada pela BIA. Entretanto, o mesmo não foi observado para o TC6M. Conclusões: Todos os indicadores antropométricos apresentaram boa correlação entre si e com a massa magra e %GC dado pela BIA. Houve uma corrrelação linear positiva entre os grupos etários para IMC e circunferência abdominal e negativa para massa magra. Porém, não foi observada diferença entre grupos tanto para %GC dado pela DC quanto para a distância percorrida no TC6M. Conclui-se que a distância percorrida no teste de caminhada de seis minutos pode ser prejudicada em populações com déficit intelectual por questões de compreensão da prova, uma vez que não foram obtidas correlações entre os dados antropométricos, composição corporal e desempenho no teste.por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6023637696139542por
dc.contributor.advisor1Assis, Silvana Maria Blascovi dept_BR
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6553900966729412por
dc.contributor.referee1Rodrigues, Graciele Massolipt_BR
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2769145171001675por
dc.contributor.referee2Simony, Rosana Farahpt_BR
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/3436806052079399por
dc.thumbnail.urlhttp://tede.mackenzie.br/jspui/retrieve/3743/Amanda%20Faria%20Barrozo.pdf.jpg*
dc.bitstream.urlhttp://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/1588/1/Amanda%20Faria%20Barrozo.pdf


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record