Show simple item record

dc.contributor.advisorSiqueira Neto, José Francisco
dc.contributor.authorRizzo, Vincenzo Garcia
dc.date.accessioned2019-10-01T12:22:20Z
dc.date.available2019-10-01T12:22:20Z
dc.identifier.urihttp://dspace.mackenzie.br/handle/10899/20144
dc.description.abstractO mundo está vivenciando o começo da Quarta Revolução Industrial, onde equipamentos e ferramentais inovadores passarão a ocupar as áreas de produção, além de outros departamentos, formando a Indústria 4.0. Processo que, certamente, transformará a relação trabalhista, a partir do momento que haverá uma drástica redução da mão de obra disponível, sendo que só serão absorvidas a parcela que estiver qualificada. Além disso, as jornadas, os locais e as formas de trabalho também passarão por uma adequação ao novo perfil industrial, o que, consequentemente, já provoca a necessidade de uma adaptação das legislações e acordos trabalhistas. Enquanto países em desenvolvimento já deram importantes passos para se adaptarem a essa transformação, o Brasil apresenta o seguinte cenário: grande parte do parque industrial defasado, baixo investimento em adequação profissional e manutenção de regras trabalhistas ultrapassadas. O alerta foi dado, caso nossos governantes não tomem medidas que nos deixem o mais perto da equiparação com o mercado internacional, nossa competitividade será colocada em xeque.pt_BR
dc.description.abstractThe world is experiencing the beginning of the Fourth Industrial Revolution, where innovative equipment and tools will occupy the production areas, as well as other departments, forming Industry 4.0. A process that will certainly transform the labor relationship, from the moment that there will be a drastic reduction of available labor, and only the part that is qualified will be absorbed. In addition, journeys, places and forms of work will also be adapted to the new industrial profile, which, consequently, already causes the need for an adaptation of laws and labor agreements. While developing countries have taken important steps to adapt to this transformation, Brazil presents the following scenario: a large part of the industrial sector lagged behind, low investment in professional adjustment and maintenance of outdated labor rules. The alert was given, if our leaders do not take measures that leave us as close to the international market, our competitiveness will be put in check.pt_BR
dc.formatTextopt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Presbiteriana Mackenziept_BR
dc.subjectquarta revolução industrialpt_BR
dc.subjectindústria 4.0pt_BR
dc.subjectrelação trabalhistapt_BR
dc.subjectlegislações trabalhistaspt_BR
dc.subjectfourth industrial revolutionpt_BR
dc.subjectindustry 4.0pt_BR
dc.subjectlabor relationspt_BR
dc.subjectlabor legislationpt_BR
dc.titleRelações de trabalho e a quarta revolução industrialpt_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.contributor.refereesAfonso, Túlio Augusto Tayano
dc.contributor.refereesFerraz, José Francisco Figueiredo Marcondes
dc.publisher.departmentFaculdade de Direito (FD)pt_BR
dc.publisher.initialsUPMpt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.date.qualified2019-06-05


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record