Síntese e caracterização de derivados do ácido pirazinoico com atividade antimicobacteriana

Carregando...
Imagem de Miniatura
Tipo
TCC
Data
2018-06
Autores
Aranha, Cecília Maria Simões de Queiroz
Orientador
Sonehara, Ieda Yuriko
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Programa
Resumo
A tuberculose (TB) é uma infecção bacteriana grave causada por micobactérias do complexo Mycobacterium tuberculosis. Atualmente, a doença é causa de morte de milhões de pessoas ao ano. Ainda que a prevalência não tenha aumentado, fatores como o surgimento de cepas multirresistentes, baixa adesão ao tratamento e co-infecção com o HIV colocam a tuberculose novamente em destaque entre as doenças infecciosas. A pirazinamida, fármaco bactericida utilizado na primeira linha de tratamento da TB, possui o ácido pirazinoico (POA) como produto de sua hidrólise, sendo este último considerado a forma ativa do fármaco, já que cepas resistentes não expressam a enzima responsável por essa conversão. Por não apresentar boa penetração pelas membranas micobacterianas, o POA possui atividade limitada. Sua esterificação surge como uma estratégia para melhorar essa penetração, sendo posteriormente convertido na forma ácida novamente, inclusive em cepas resistentes. Ésteres, no entanto, são pouco estáveis no organismo devido à presença de esterases no plasma. Os ésteres de POA foram sintetizados com bons rendimentos e foram testados in vitro quanto a sua estabilidade química e enzimática. Ao se mostrarem instáveis nessas condições, esses ésteres foram incorporados em lipossomas, vesículas comumente utilizadas na liberação de fármacos, objetivando aumentar sua estabilidade tanto em formulações quanto a plasmática, de forma a melhorar sua biodisponibilidade e atividade contra as micobactérias.
Descrição
Palavras-chave
tuberculose , ácido pirazinoico , latenciação , ésteres , lipossomas
Citação