Show simple item record

dc.creatorRibeiro, Leonardo José de Araújo
dc.date.accessioned2019-04-09T18:30:56Z
dc.date.accessioned2020-05-28T18:06:41Z
dc.date.available2020-05-28T18:06:41Z
dc.date.issued2018-02-02
dc.identifier.citationRIBEIRO, Leonardo José de Araújo. Estratificações sociais e a hipermodernidade: a filosofia do direito em Lipovetsky e um encontro com a realidade Brasileira de consumo. 2018. 108 f. Dissertação (Direito Político e Econômico) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.por
dc.identifier.urihttp://dspace.mackenzie.br/handle/10899/24091
dc.description.abstractThe present masters dissertation analysis the Hyperconsumerism and Hypermodern Times theories as they were thought by Gilles Lipovetsky. Also, it's tried to connect these theories and Brazilian Costumers Law. Therefore, after the analysis, the theories are adapted within the philosophic paths of positive-legal, non-positive-legal and Marxist critic. After, there's a verification of Brazilian consumerism by its social indexes, divided by distinct social classes, organized by income and consumerism. It allows to make a correct relation to Brazilian Law, constitutional and infra-constitutional, related to country population consumerism and Lipovetsky theories, taking in consideration not only legal and theory factors (what remains about "ought"), but also socioeconomic factor. At a constitutional level, Brazilian Law proposes to build a fair society, which is push far away more everyday by the Hyperconsumerism. At a infra-constitutional level, there are no barriers to Hyperconsumerism, once the legislation is individualizing, one of the Hyperconsumerism main characteristics. The theorized phenomena, in fact, occur in Brazil at all the social classes, but the effects are vastly distinct in each one of them, what tends to amplify the social distance. With that, Hyperconsumerism and Hyper Modern Times theories are applicable, but no adapted to Brazil.eng
dc.formatapplication/pdf*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Presbiteriana Mackenziepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
dc.subjectfilosofia do direitopor
dc.subjectestratificação socialpor
dc.subjectmodernidadepor
dc.subjectculturapor
dc.subjectindividualismopor
dc.subjectconsumopor
dc.titleEstratificações sociais e a hipermodernidade: a filosofia do direito em Lipovetsky e um encontro com a realidade Brasileira de consumopor
dc.typeDissertaçãopor
dc.publisher.departmentFaculdade de Direito (FDIR)por
dc.publisher.programDireito Político e Econômicopor
dc.publisher.initialsUPMpor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::DIREITOpor
dc.description.resumoEsta dissertação analisa as teorias do hiperconsumo e da hipermodernidade conforme elaboradas por Gilles Lipovetsky, tentando fazer uma ponte sólida com o direito brasileiro do consumidor. Para tanto, após a análise das teorias, faz-se uma adequação delas dentro dos caminhos filosóficos do juspositivismo, do não juspositivismo e da crítica. Segue-se com uma verificação do consumo brasileiro através de seus indicadores sociais, segmentando estratos sociais distintos conforme renda e consumo. Pode-se, então, fazer uma correta adequação do direito brasileiro, constitucional e infraconstitucional, em relação ao consumo da população do país e das teorias de Lipovetsky, que leva em consideração não somente os fatores legal e teórico (que se mantêm na órbita do dever-ser), mas também o fator socioeconômico. Em nível constitucional, o direito brasileiro se propõe a construir uma sociedade justa, a qual é cada vez mais distanciada pelo hiperconsumo. Em nível infraconstitucional, não há barreira ao hiperconsumo, vez que a legislação é individualizante, uma das principais características do hiperconsumo. Os fenômenos teorizados por Lipovetsky de fato ocorrem no Brasil nos mais variados estratos sociais, sendo os efeitos bastante distinto em cada um deles, com uma ampliação na desigualdade social. Com isso, as teorias do hiperconsumo e da hipermodernidade são aplicáveis ao Brasil, mas não adequadas ao paíspor
dc.contributor.advisor-co1Almeida, Silvio Luiz de
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6325980837929171por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/3326005393665849por
dc.contributor.advisor1Bechara, Fábio Ramazzini
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6852406985950434por
dc.contributor.referee1Florêncio Filho, Marco Aurélio Pinto
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0602263616755302por
dc.contributor.referee2Carneiro, Leandro Piquet
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/6121326952317794por
dc.thumbnail.urlhttp://tede.mackenzie.br/jspui/retrieve/18426/Leonardo%20Jos%c3%a9%20de%20Ara%c3%bajo%20Ribeiro.pdf.jpg*
dc.bitstream.urlhttp://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/3879/5/Leonardo%20Jos%C3%A9%20de%20Ara%C3%BAjo%20Ribeiro.pdf
dc.keywordsphilosophy of laweng
dc.keywordssocial stratificationeng
dc.keywordsmodern timeseng
dc.keywordscultureeng
dc.keywordsindividualismeng
dc.keywordsconsumerismeng


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Acesso Aberto
Except where otherwise noted, this item's license is described as Acesso Aberto