Show simple item record

dc.creatorPiazzi, Daniele Brenha
dc.date.accessioned2019-09-19T18:21:58Z
dc.date.accessioned2020-05-28T18:04:37Z
dc.date.available2020-05-28T18:04:37Z
dc.date.issued2019-02-14
dc.identifier.citationPIAZZI, Daniele Brenha. A contribuição das conversações dos agentes e das conversas de fundo para a construção de respostas à mudança organizacional. 2019. 76 f. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2019.por
dc.identifier.urihttp://dspace.mackenzie.br/handle/10899/23673
dc.description.abstractIn organizations, the human action is inherent (TSOUKAS; CHIA, 2002), affecting the lives of the people who are part of, and producing responses. Therefore, it is necessary participation of organizational actors to the success of change implementation. The academic literature points out that communication is an important tool for dealing with reactions and responses in organizational change. However, for some authors (WEICK; QUINN, 1999; BECHER, 2003; FORD; FORD, 1995; FORD; FORD; MCNAMARA, 2002) organizational change, as a phenomenon, is a process created and maintained by communication through the conversations. For this reason, this objective of this study was to understand how the conversations among agents of change contribute to the construction of responses in organizational change. Focusing in implementation of a new department at a private higher education institution, it was adopted the qualitative approach, and as research strategy the case study, considering as source discursive materials, focal groups, participant observation and documents. The results obtained through thematic analysis and inspired by the pragmatics of communication analysis, show that background conversations, as well the types of conversations that exist (or not) in organizations, contribute to the construction of several responses in the agents, and not just the resistance as proposed by Ford and Ford (1995). Thus, organizational change as phenomenon, is created, sustained, managed and closed by the conversations between agents. This study aim contributing to the field of organizational changes, bringing light to an approach of communication, that has not yet been addressed in the studies on change.eng
dc.formatapplication/pdf*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Presbiteriana Mackenziepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
dc.subjectmudança organizacionalpor
dc.subjectrespostas à mudançapor
dc.subjectconversaspor
dc.subjectconversaçõespor
dc.titleA contribuição das conversações dos agentes e das conversas de fundo para a construção de respostas à mudança organizacionalpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.publisher.departmentCentro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)por
dc.publisher.programAdministração de Empresaspor
dc.publisher.initialsUPMpor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO DE EMPRESASpor
dc.description.resumoA mudança no âmbito das organizações é inerente à ação humana, atingindo assim a vida das pessoas que dela fazem parte gerando diversas reações. Por isso, a necessidade da participação dos envolvidos é apontada como fundamental para o sucesso da implementação da mudança. Apesar da literatura acadêmica apontar que a comunicação é uma ferramenta importante para lidar com as respostas à mudança organizacional, defendemos neste estudo que a mudança como fenômeno é um processo criado e mantido pela comunicação, por meio das conversações. Por essa razão, este estudo visou compreender como as conversações entre agentes de mudança contribuem para a construção das respostas à mudança organizacional. Focalizando a implementação de um novo departamento em uma instituição de ensino superior privada, foi adotada a abordagem qualitativa, e como estratégia de pesquisa o estudo de caso. Os dados foram levantados por meio de observação participante, análise de documentos e grupos de foco. Os resultados obtidos mediante análise temática e análise inspirada na pragmática da comunicação indicam que as conversas de fundo, bem como os tipos de conversa que existem, ou não, nas organizações, contribuem para a construção de diversas respostas nos agentes, e não só a resistência. Foram identificadas as conversas de fundo de ceticismo e confiança, além da de resistência. Os resultados da pesquisa também apontam que para a eficácia da mudança, deve haver na organização a aplicação de quatro conversas, a saber iniciação, compreensão/entendimento, desempenho e encerramento. Concluímos por fim que a comunicação é criada, sustentada, gerenciada e encerrada pelas conversações entre agentes. Pretende-se contribuir com este estudo para o campo da mudança nas organizações ao explorar a abordagem de comunicação ainda pouco tratada em estudos sobre mudança.por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4197081720356878por
dc.contributor.advisor1Domenico, Silvia Marcia Russi de
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8337097124162117por
dc.contributor.referee1Brunstein, Janete
dc.contributor.referee2Lima, Vera Lúcia Cançado
dc.thumbnail.urlhttp://tede.mackenzie.br/jspui/retrieve/19635/DANIELE%20BRENHA%20PIAZZI.pdf.jpg*
dc.bitstream.urlhttp://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/4027/5/DANIELE%20BRENHA%20PIAZZI.pdf
dc.keywordsorganizational changeeng
dc.keywordsresponses to changeeng
dc.keywordsconversationseng


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Acesso Aberto
Except where otherwise noted, this item's license is described as Acesso Aberto