O Glicério no meio do caminho: um novo percurso pensado a partir das pausas e encontros

Imagem de Miniatura
Tipo
TCC
Data
2019-06
Autores
Iazzetti, Luiza Amato
Orientador
Rubano, Lizete Maria
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Membros da banca
Programa
Resumo
Antes de começar o meu TFG pensei muito em escolher um tema que realmente me afetava. (que me envolvesse) Queria encontrar algo relacionado à minha incrível experiência de morar por 6 meses em Barcelona e à minha vida aqui em São Paulo. Tive muita dificuldade em comparar as duas situações, dificuldade em encontrar algo que realmente transformava a minha vida ou simplesmente me fazia pensar. Mas a ideia era encontrar algo que não fosse especificamente meu, ou algo que não abalasse a vida de mais ninguém. Pensei no quanto morando fora eu vivia a vida na rua, acordava, comia e saia, passava o dia fora num lugar onde haviam eventos, praças, museus, parques, centros culturais, igrejas e bancos nas ruas. Quando voltei para o Brasil, resolvi usar essa nova prática adquirida na minha vida de estrangeira, e de repente percebi que não era tão simples assim. Fui ao Centro Cultural São Paulo e durante o percurso de aproximadamente 1,5km a partir da minha casa, percebi que as ruas são esburacadas, as calçadas pequenas, cheias de muros, me senti insegura. Em outro dia andei de bicicleta na ciclofaixa e até chegar nela fiquei com muito medo, fui à Catedral da Sé e o ônibus demorou para chegar, fui aproveitar a vista na praça da Sé e não tive onde sentar.... Decidi então falar sobre a importância dos bancos para a cidade, e como essa pequena escala muda o dia a dia das ruas, dos bairros e da cidade como um todo.
Descrição
Palavras-chave
arquitetura , urbanismo , Glicério , estratégias de segurança , espaço público
Citação