Show simple item record

dc.creatorBrito, Mariana Santos
dc.date.accessioned2019-06-27T15:26:15Z
dc.date.accessioned2020-05-28T18:11:38Z
dc.date.available2020-05-28T18:11:38Z
dc.date.issued2019-02-04
dc.identifier.citationBRITO, Mariana Santos. Mulheres na ciência: análise do livro "As cientistas". 2019. 87 f. Dissertação (Educação, Arte e História da Cultura) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2019 .por
dc.identifier.urihttp://dspace.mackenzie.br/handle/10899/25070
dc.description.abstractThe presence of women in science is uncommon and, when it does happen, is surrounded by prejudices and inequality. Even the discussion about what is science is not a very simple one, demanding a serious consideration of the matter, studies and reflexion as to the concept not be misunderstood. To explore the issues, the publishing market has children’s books addressing with revolutionary women, including in the fields of science. The books have an intention to show to the children the universe of science. One of the books is the research object of the present work: "The Scientists: 50 Women Who Changed the World by Rachel Ignotofsky translated by Sônia Augusto, released in 2017. Thus, the present research has chosen to analyse this book as to understand how it exposes the gender in the science fields and if it can attract girls to be scientists. Therefore, the purpose of this study is to investigate the syncretism in the book, recognizing if it can encourage girls to pursued careers in science, analyzing the elements that make up the syncretic text, interpreting its content. An analyses was made of five scientists portrayed in the book: Jane Goodall (primatologist), Rachel Carson (marine biologist), Valentina Tereshkova (engineer), Mae Jemison (astronaut) and Alice Ball (chemistry). The analyses have shown that the book has the potential to attract young girls to the careers of science, but as it also raises little plausible speeches about how to succeed in these areas, what can be a problem for older readers. The book also forms some stereotypes about the concept of sciences, and it is important to discuss them so that readers can fully comprehend the text.eng
dc.formatapplication/pdf*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Presbiteriana Mackenziepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
dc.subjectgêneropor
dc.subjectciênciapor
dc.subjectsemiótica discursivapor
dc.subjectsemiótica sincréticapor
dc.titleMulheres na ciência: análise do livro "As cientistas"por
dc.typeDissertaçãopor
dc.publisher.departmentCentro de Educação, Filosofia e Teologia (CEFT)por
dc.publisher.programEducação, Arte e História da Culturapor
dc.publisher.initialsUPMpor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.subject.cnpqCNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTESpor
dc.description.resumoA presença feminina nas ciências não é corriqueira. Acontece de forma muito inferior à presença masculina, sempre rodeada de questões marcadas por preconceitos e desigualdade. A própria discussão do que é ciência não é simples e demanda aprofundamento e reflexão para que o conceito não seja mal compreendido. A fim de explorar essas questões, o mercado editorial tem lançado diversos livros infantis que tratam de mulheres revolucionárias, inclusive nos campos da ciência. Esses livros têm a intenção de aproximar um leitor infantil do universo abordado pelo material editado. Um desses livros é o objeto de pesquisa do presente trabalho: o livro “As Cientistas: 50 Mulheres que Mudaram o Mundo” de Rachel Ignotofsky traduzido por Sônia Augusto, lançado em 2017. Assim, a presente pesquisa optou por utilizar esse livro como objeto de estudo a fim de entender como trata as questões da ciência e se ele cria condições para que jovens meninas se sintam atraídas por carreiras nas áreas de ciências. Portanto, o objetivo é o de investigar o sincretismo presente no livro, reconhecendo se ele incentiva ou não o interesse de meninas nas áreas das ciências, analisando os elementos que compõe o texto sincrético, interpretando seu conteúdo. Para tal será utilizada a semiótica discursiva. Foram feitas análises de cinco cientistas retratadas no livro: Jane Goodall (primatóloga), Rachel Carson (bióloga marinha), Valentina Tereshkova (engenheira), Mae Jemison (astronauta) e Alice Ball (química). As análises mostraram que o livro tem potencial para atrair jovens meninas para as carreiras de ciências, mas, como também traz discursos pouco plausíveis sobre como conquistar sucesso nessas áreas, pode afastar leitoras mais velhas. O livro também forma algumas estereotipias sobre o conceito de ciências, sendo importante discutilas para que as leitoras possam compreender o texto de forma integral.por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/0987638664613849por
dc.contributor.advisor1Andrade, Maria de Fátima Ramos de
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2272192785424412por
dc.contributor.referee1Rizolli, Marcos
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4808339542698874por
dc.contributor.referee2Garcia, Paulo Sérgio
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/2439948567884997por
dc.thumbnail.urlhttp://tede.mackenzie.br/jspui/retrieve/19146/Mariana%20Brito%20-%20Mulheres%20na%20ci%c3%aancia%20an%c3%a1lise%20do%20livro%20As%20Cientistas.pdf.jpg*
dc.bitstream.urlhttp://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/3946/5/Mariana%20Brito%20-%20Mulheres%20na%20ci%C3%AAncia%20an%C3%A1lise%20do%20livro%20As%20Cientistas.pdf
dc.keywordsgendereng
dc.keywordsscienceeng
dc.keywordsdiscursive semioticseng
dc.keywordssyncretic semioticspor


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Acesso Aberto
Except where otherwise noted, this item's license is described as Acesso Aberto