Show simple item record

dc.creatorBrito, Adriana Maria de Oliveira
dc.date.accessioned2017-10-02T14:19:00Z
dc.date.accessioned2020-03-19T15:20:36Z
dc.date.available2020-03-19T15:20:36Z
dc.date.issued2017-08-24
dc.identifier.citationBRITO, Adriana Maria de Oliveira. Validação de modelo animal de depressão induzida por deficiência de vitamina B12. 2017. 44 f . Dissertação( Distúrbios do Desenvolvimento) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo .por
dc.identifier.urihttp://dspace.mackenzie.br/handle/10899/22733
dc.description.abstractDepression affects 13% to 20% of the world's population. Vitamin B12 deficiency is related to depression. The lack of this vitamin can be induced in rats by the addition of pectin to the diet. This depletion generates aberrations in base substitutions and DNA methylation. Given the need for animal models with neurobiological fundamentals that best represent depression, the objective of this paper was to validate and characterize an experimental model of depression induced by vitamin B12 deficiency in female rats fed with an added diet pectin. The project was elaborated in two phases and involved 40 Wistar rats, monitored from their weaning to their 133th day of life. In the first phase, the animals were randomly separated into two groups, which differed by the feed offered (ration with or without pectin). At the end of this phase, the animals were submitted to a blood count and tests of positive contrast of sucrose, open field and high cross labyrinth, to evaluate if the vitamin deficiency had altered hematological and behavioral variables. In the second phase, the pectin group was divided into three groups: one group continued with the same diet, another group continued with the same diet but also received antidepressant in the water and a third group started to be fed with the regular feed. The pectin-free fed group was divided into two groups: one continued with the same feed and the other fed with increased pectin feed. At the end of this phase the animals were submitted to the same tests listed above and, after their euthanasia, the brains were removed for analysis of the expression of genes involved in depression in rats in the hippocampus and prefrontal cortex. The dropout times obtained by the groups in the forced swim test (pectin = 108 seconds and standard group = 77 seconds, with p = 0.03), applied at the end of the first phase, indicate that the pectin-fed group was behavior-induced of the depressive type. The output of the other tests confirm that this result did not occur due to locomotor and/ or anxiogenic problems. In the second phase, there was no difference between the times, which indicates that this behavior was not observed at this time of the lives of the animals. It is concluded, then, that pectin intake can induces rats to depression but possibly only within a time window that goes until 11 weeks of age. There are three other hypotheses that may justify the results found: there was a physiological adaptation to pectin consumption; older animals may require increased fiber intake to decrease vitamin uptake or perhaps more intense exhaustion at this stage of life is required to lead to this behavior.eng
dc.formatapplication/pdf*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Presbiteriana Mackenziepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
dc.subjectvitamina B12por
dc.subjectdepressãopor
dc.subjectpectinapor
dc.subjectteste do nado forçadopor
dc.titleValidação de modelo animal de depressão induzida por deficiência de vitamina B12por
dc.typeDissertaçãopor
dc.publisher.departmentCentro de Educação, Filosofia e Teologia (CEFT)por
dc.publisher.programDistúrbios do Desenvolvimentopor
dc.publisher.initialsUPMpor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDEpor
dc.description.resumoA depressão acomete de 13 a 20% da população mundial. A deficiência de vitamina B12 está relacionada com a depressão. A falta dessa vitamina pode ser induzida em ratos pela adição de pectina à dieta. Esta depleção gera aberrações em substituições de base e metilação de DNA. Dada a necessidade de modelos animais com fundamentos neurobiológicos que melhor representem a depressão, o objetivo deste trabalho foi o de validar e caracterizar um modelo experimental de depressão induzido pela deficiência de vitamina B12 em ratas alimentadas com dieta adicionada de pectina. O projeto foi elaborado em duas fases e contou com 40 ratas Wistar, acompanhadas desde seu desmame até 133 dias de vida. Na primeira, os animais foram separados aleatoriamente em dois grupos, que se diferenciaram pela alimentação oferecida (ração com ou sem pectina). Ao final desta fase os animais foram submetidos a hemograma e aos testes de contraste positivo de sacarose, campo aberto e labirinto em cruz elevado, para avaliar se a ingestão de pectina alterou variáveis hematológicas e comportamentais. Na segunda fase, o grupo com pectina foi dividido em três grupos: um grupo continuou com a mesma alimentação, outro continuou com a mesma alimentação mas passou também a receber antidepressivo na água e um terceiro grupo iniciou alimentação com ração comercial. O grupo com ração sem pectina foi dividido em dois: um continuou com a mesma alimentação e o outro passou a alimentar-se com ração acrescida de pectina. Ao final dessa fase os animais foram submetidos aos mesmos testes elencados acima e, após eutanásia, tiveram o cérebro removido para análise da expressão de genes do hipocampo e do córtex pré-frontal envolvidos em depressão em ratas. Os tempos de desistência obtidos pelos grupos no teste do nado forçado (pectina=108 segundos e grupo padrão=77 segundos, com p=0,03), aplicado no final da primeira fase, indicam que o grupo alimentado com pectina foi induzido a comportamento do tipo depressivo. Os resultados dos outros testes confirmam que esse resultado não ocorreu por problemas de locomotores e/ou ansiogênicos. Na segunda fase não houve diferença entre os tempos, o que indica que esse comportamento não foi observado nessa época da vida dos animais. Conclui-se, então, que a depleção de vitamina B12 pode induzir ratos à depressão mas, possivelmente, apenas dentro de uma janela temporal que vai até a juventude desses animais. Há três outras hipóteses que podem justificar o resultado encontrado: houve uma adaptação fisiológica ao consumo de pectina; animais com mais idade podem necessitar de maior ingestão da fibra para diminuir a absorção da vitamina ou talvez seja necessária uma depleção mais intensa nessa fase da vida para levar a esse comportamento.por
dc.contributor.advisor-co1Ribeiro, Miriam de Oliveira
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7069953370349465por
dc.creator.LattesAdriana Maria de Oliveirapor
dc.contributor.advisor1Cysneiros, Roberta Monterazzo
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9822955080635086por
dc.contributor.referee1Pereira , Isabela Rosier Olímpio
dc.contributor.referee2Silva, Sérgio Gomes da
dc.thumbnail.urlhttp://tede.mackenzie.br/jspui/retrieve/15091/Adriana%20Brito.pdf.jpg*
dc.bitstream.urlhttp://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/3360/5/Adriana%20Brito.pdf
dc.keywordsvitamin B12eng
dc.keywordsdepressioneng
dc.keywordspectineng
dc.keywordsforced swimming testeng


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Acesso Aberto
Except where otherwise noted, this item's license is described as Acesso Aberto