Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/20655
Tipo do documento: Dissertação
Título: Parresía: um castelo de cartas shakespeariano
Autor: Azevedo, Leon Idris Fernandes de
Primeiro orientador: Trevisan, Ana Lúcia
Primeiro membro da banca: Corrêa, Lilian Cristina
Segundo membro da banca: Furlin, Marcelo
Terceiro membro da banca: Philippov, Renata
Quarto membro da banca: Arantes , Judith Tonioli
Resumo: A presente dissertação discute o conceito de parresía como fio condutor de narrativas separadas por mais de quatro séculos – a tragédia shakespeariana e o drama House of Cards, série de TV em sua versão americana produzida por Beau Willimon para a Netflix (2013). O foco da análise da obra shakespeariana se dá em especial à peça Ricardo III, apesar de, para tanto, se tirar proveito de ocasionais paralelos com Macbeth e menções a Rei Lear e Hamlet. É levantada a hipótese de que um mesmo eixo discursivo é capaz de explicar – devido à raiz ética da fala que encontramos no conceito de parresía – a atemporalidade de Shakespeare e o vínculo político de Ricardo III e House of Cards. A palavra grega parresía, de grande significação na Antiguidade, foi aplicada por Eurípedes, Platão e, entre outros, pelo historiador Políbio, ao descrever os pilares da democracia grega. O conceito de parresía aqui recuperado é iluminado pelos estudos de Michel Foucault, expostos em seus dois últimos cursos no Collège de France, publicados em O governo de si e dos outros (2010) e A coragem da verdade (2011).
Abstract: This master thesis discuss the concept of parrhesia as a conductive thread between two narratives, the Shakespearean tragedy and the political drama series House of Cards, specifically its American adaptation, produced by Beau Willimon for Netflix in 2013. The analysis of the Shakespearean tragedy focuses on the play Ricardo III, although it also benefits from occasional parallels with Macbeth and mentions to King Lear and Hamlet. This thesis proposes the hypothesis that a single discursive axis can explain Shakespearean atemporality and the political bond of aforementioned narratives due to an ethical root of speech: the concept of parrhesia. This Greek word, of wide significance in the Antiquity, was applied by Euripides, Plato and among others the historian Polybius, when he describes the keystones of Greek democracy. The concept of parrhesia recovered here is tied to the researches of Michel Foucault, in particular the studies shared in his last two courses at the Collège de France, published in The Government of Self and Others (2010) and The Courage of Truth (2011).
Palavras-chave: verdade;  parresía;  Shakespeare;  House of Cards;  literatura comparada
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Comunicação e Letras (CCL)
Programa: Letras
Citação: AZEVEDO, Leon Idris Fernandes de. Parresía: um castelo de cartas shakespeariano. 2018. 126 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/4080
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/20655
Data de defesa: 10-Ago-2018
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/4080/5/Leon%20Idris%20Fernandes%20de%20Azevedo.pdf
Aparece nas coleções:Letras - Dissertações - CCL Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons