Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/20565
Tipo do documento: Dissertação
Título: Efeitos da mediação judicial na cooperação de casais em separação e na saúde mental dos filhos menores de idade
Autor: Barros, Carolina Viana de
Primeiro orientador: Osório, Ana Alexandra Caldas
Primeiro membro da banca: Neumann, Marcelo Moreira
Segundo membro da banca: Barrientos, Dora Mariela Salcedo
Resumo: A existência de conflito familiar aumenta significativamente o risco de desenvolvimento de problemas emocionais e comportamentais nas crianças e, concretamente, ampla evidência documenta que processos de divórcio caracterizados por elevado conflito impactam de forma significativa o bem-estar das crianças, por vezes, de forma duradoura. Neste sentido, a promoção de maior cooperação em casais que apresentem maiores níveis de conflito (como nos casos de mediação), poderá ajudar a prevenir problemas emocionais e comportamentais das crianças e adolescentes. Portanto, os objetivos da pesquisa consistiram em verificar os efeitos da mediação judicial na cooperação dos membros do casal, separados ou separando, e nos indicadores de saúde mental de filhos dos casais de 2 a 18 anos. Esta pesquisa tinha como hipótese que haveria ganhos de cooperação pela realização de processos de mediação de judicial pré-processual em casais, separando ou separados, com filhos de 2 a 18 anos (mensuração: Teste de Associação Implícita - TAI pré e pós cada sessão de mediação no período pesquisado), bem como de que a mediação poderá ser um mecanismo protetor de saúde mental dessas crianças (mensuração: Strengths and Difficulties Questionnaire- SDQ - antes de cada sessão de mediação). O método também aplicou questionário sociodemográfico de controle. O número de participantes foi variável nas diferentes fases: A) Sessão 1: SDQ resposta pais e mães - N = 36 crianças; questionário sociodemográfico N = 46 (pais e mães); TAI pré e pós sessão 1- N = 5; B) Sessão 2: SDQ resposta pais e mães - N = 2 crianças; TAI pré e pós sessão 2 - N = 2. Devido ao reduzido número de respostas ao SDQ na sessão 2 de mediação, não foi possível realizar teste de diferenças. Não houve diferenças significativas entre os resultados do TAI pré e pós sessão 1 de mediação, bem como não houve diferenças significativas entre a visão de pais e de mães quanto às respostas sobre seus filhos no questionário SDQ. Em estudo de caso, um dos casais avaliados teve melhoras: 1) de cooperação da mulher que persistiram em segunda sessão de mediação; 2) de indicadores de saúde mental da criança (em perspectiva do pai), com melhoras entre a primeira e segunda sessão (os indicadores na perspectiva materna se mantiveram adequados em ambas as sessões). Os resultados são preliminares, mas encorajadores de novos estudos no sentido de ampliar a compreensão dos efeitos da mediação judicial ao nível da cooperação (e consequente redução de conflito) de casais em processo de divórcio e da saúde mental dos seus filhos menores.
Abstract: The existence of family conflict significantly increases the risk of developing emotional and behavioral problems in children and, in particular, ample evidence documents that divorce processes characterized by high conflict significantly impact the well-being of children, sometimes on a lasting basis. In this sense, promoting greater cooperation in couples with higher levels of conflict (such as mediation cases) may help prevent emotional and behavioral problems in children and adolescents. Therefore, the objectives of the research were to verify the effects of judicial mediation on verifying its effects on cooperation of separating or separated couples and mental health indicators of children and adolescents. This research had as hypothesis if there would be gains of cooperation by carrying out pre-judicial judicial mediation processes in separated (or in separation/divorcing) couples with children and / or adolescents (measured by the Implicit Association Test - IAT before and after each session of mediation in the period studied), as well as whether mediation could be a protective mechanism of mental health of these children (measured by Strengths and Difficulties Questionnaire- SDQ- before each mediation session). The method also had application of a sociodemographic questionnaire for control. The research had variable number of participants in the following phases: A) Session 1: SDQ response parents and mothers - N = 36 children; sociodemographic questionnaire N = 46 (parents and mothers); Pre and post IAT session 1- N = 5; B) Session 2: SDQ response parents and mothers - N = 2 children; Pre and post-session TAI 2 - N = 2. Due to the low number of responses to SDQ in mediation session 2, it was not possible to perform differences test. There was no significance for differences in IAT pre and post session 1 of mediation, as well as there were no significant differences between parent’s and mother’s comparative responses on their children in SDQ questionnaire. In a case study, one of the evaluated couples had improvements: 1) in cooperation of the woman who persisted in the second session of mediation; 2) in the child's mental health indicators (according to the father's view), with improvements between the first and second sessions, and maternal mental health indicators remained adequate in both sessions. The results are preliminary but encouraging to new studies to understand the effects of judicial mediation on the level of cooperation (and consequent reduction of conflict) of couples in the process of divorce and the mental health of their minor children.
Palavras-chave: mediação;  cooperação;  saúde mental
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)
Programa: Distúrbios do Desenvolvimento
Citação: BARROS, Carolina Viana de. Efeitos da mediação judicial na cooperação de casais em separação e na saúde mental dos filhos menores de idade. 2019. 124 f. Dissertação (Mestrado em Distúrbios do Desenvolvimento) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/4021
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/20565
Data de defesa: 9-Ago-2019
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/4021/5/Carolina%20Viana%20de%20Barros.pdf
Aparece nas coleções:Distúrbios do Desenvolvimento - Dissertações - CCBS Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons