Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/20257
Tipo do documento: Tese
Título: Dor, negritude e resistência em discursos poéticos "da ponte pra cá"
Autor: Reis, Cristiano Lima de Araujo
Primeiro orientador: Barros, Diana Luz Pessoa de
Primeiro membro da banca: Trevisan, Ana Lúcia
Segundo membro da banca: Fiorin, José Luiz
Terceiro membro da banca: Portela, Jean Cristtus
Quarto membro da banca: Terra, Ernani
Resumo: O presente estudo volta-se para a discussão acerca dos processos de produção dos efeitos de sentido de sofrimento e negritude na obra do poeta catarinense João da Cruz e Sousa e do grupo de rap paulistano Racionais MC’s. Ao selecionarmos um corpus limitado ao livro Evocações (1898) e ao álbum Nada como um dia após outro dia (2002), nossa intenção foi a de analisar os deslocamentos e permanências referentes aos efeitos de sentido mencionados diante de obras distanciadas tanto no tempo quanto no espaço, no sentido de buscarmos aí padrões linguísticos que nos fossem suficientes para delimitarmos, pelo menos incialmente, os contornos de uma poética da negritude. Para isso, recorremos ao arcabouço teórico-metodológico da semiótica discursiva francesa por entendermos que poderíamos ter aí as ferramentas necessárias para o tipo de análise que pretendíamos. Desse modo, tanto os poemas em prosa Triste, Dor Negra, Asco e Dor e Emparedado pertencentes à obra sousiana, quanto as faixas Sou + você, Negro Drama e Da ponte pra cá presentes no álbum estudado tiveram seus conteúdos analisados a partir do percurso gerativo do sentido: nível fundamental, narrativo e discursivo, com destaque para esse último patamar em que foram analisados os percursos temáticos e figurativos neles presentes. Do mesmo modo, foram também analisados aspectos do plano da expressão responsáveis pela formação de semissimbolismos no interior dos textos de ambos autores. A análise aprofundada do nível discursivo bem como do plano da expressão dos textos aqui abordados apontou para delimitação daquilo que aqui chamamos de estética da resistência. No contexto deste trabalho esse estatuto se refere ao processo de estetização do sofrer a partir de vozes negras que pode ocorrer de duas maneiras: 1) de forma centrípeta, em que o enunciador “atrai” o enunciatário para dentro de sua subjetividade e assim compartilha com ele de seu sofrimento, realizando, por meio de uma espécie de “vingança” mais cognitiva, o revide das investidas que sofre da sociedade em virtude de sua condição de étnica e social; 2) de forma centrífuga, em que o enunciador também compartilha de seu sofrimento com o enunciatário, porém, de maneira mais objetiva e pragmática, de modo que a intenção seja mobilizar socialmente esse último a fim de que ele possa também aderir a uma postura de resistência.
Abstract: The present study revolves around the production processes of the meanings of suffering and blackness in the works of Santa Catarina-born poet João da Cruz e Sousa and of São Paulobased rap group Racionais MC’s. With a corpus restricted to the 1898 book Evocações and the 2002 album Nada como um dia após outro dia, our aim has been to analyze the shifts and continuities in the aforementioned meanings within the selected works, far apart in space as well as in time, with the ultimate goal of identifying linguistic patterns which allowed us to outline, if only in a preliminary fashion, a poetics of blackness. In this interest, we turn to the theoretical and methodological framework of French-school discourse semiotics, on the grounds that this framework offers us the tools needed for the intended analysis. Thus, Sousa’s prose poems Triste, Dor Negra, Asco and Emparedado, as well as Racionais MC’s’ tracks Sou + Você, Negro Drama and Da Ponte pra Cá, were analyzed from the standpoint of the generative trajectory of meaning (percurso gerativo do sentido), which includes the fundamental, narrative and discourse levels, with an emphasis on the latter, where the thematic and figurative trajectories were analyzed. Similarly, we investigated aspects of the plane of expression which are responsible for the formation of semi-symbolisms within the texts of both the poet and the rap group. The in-depth analysis of the discourse level and of the plane of expression enabled what we here refer to as the aesthetics of resistance. Within the context of this research, this label points to the process of aestheticization of suffering through black voices, which may occur in two ways: 1) centripetally, when the subject of enunciation “draws” the addressee into his subjectivity and invites him to share in his suffering, thus carrying out, by means of a kind of “cognitive revenge”, a retribution for the hostility he must face from society as of consequence of his ethnic and social condition; 2) centrifugally, when the subject of enunciation also shares his suffering with the addressee, but does so in a more objective and practical manner, in order to socially mobilize the latter into adopting of posture of resistance himself.
Palavras-chave: negritude;  sofrimento;  resistência;  semiótica;  Cruz e Sousa;  Racionais MC’s;  rap;  simbolismo brasileiro
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Comunicação e Letras (CCL)
Programa: Letras
Citação: REIS, Cristiano Lima de Araujo. Dor, negritude e resistência em discursos poéticos "da ponte pra cá". 2019. 196 f. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3976
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/20257
Data de defesa: 11-Fev-2019
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/3976/5/Cristiano%20Lima%20de%20Araujo%20Reis.pdf
Aparece nas coleções:Letras - Teses - CCL Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons