Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/19771
Tipo do documento: Dissertação
Título: Padrões de leitura de palavras, números e letras em sistema Braille de alunos com deficiência visual
Autor: Ribeiro, Márcio da Silva
Primeiro orientador: Teixeira, Maria Cristina Triguero Veloz
Primeiro coorientador: Macedo, Elizeu Coutinho
Primeiro membro da banca: Carreiro, Luiz Renato Rodrigues
Segundo membro da banca: Duduchi, Marcelo
Resumo: A verificação de indicadores de consciência fonológica em padrões de leitura de alunos com deficiência visual (DV) que usam o sistema Braille é um indicador importante competências de leitura. O estudo teve como objetivo geral: verificar padrões de leitura de palavras, números e letras no sistema Braille em pessoas com deficiência visual; e como objetivos específicos: a) identificar e classificar os tipos de erros durante a leitura de palavras em Braille; b) Verificar associações entre o número de acertos na leitura de palavras, letras e números em Braille com o tipo de DV, idade de perda da visão, idade cronológica, anos que frequenta a escola e o tempo de exposição ao Braille; c) Identificar padrão de leitura em Braille em função do tipo de palavras. O estudo adotou um desenho transversal do tipo exploratório. A seleção amostral seguiu critérios de conveniência e foi formada por 22 alunos cegos sem indicadores de deficiência intelectual (média de idade=29,09; desvio padrão=11,09; 8 são do sexo feminino e 14 do sexo masculino) do total de 47 alunos com DV que frequentam o Atendimento Educacional Especializado da cidade de Marabá, estado do Pará. Os instrumentos de coleta de dados foram: a) Teste de Nomeação Automática Rápida (RAN/provas de letras e números), transcrito para o Braille; b) Teste de Leitura de Palavras adaptado e transcrito para o Braille (TCLP); c) Formulário de classificação socioeconômica familiar. Os principais resultados mostraram melhor desempenho no RAN se comparado ao teste TCLP adaptado. No TCLP adaptado o padrão de leitura mostrou médias maiores de acertos nas palavras correta regular (média=0,89) e correta irregular (média=0,80). Os piores desempenhos verificaram-se nas pseudopalavras homófonas (média=0,29) e pseudopalavras estranhas (média=0,42). Correlações positivas estatisticamente significativas foram observadas entre o tempo de execução no teste RAN (provas de letras e números) e a idade em que a pessoa adquiriu a DV. Correlações negativas estatisticamente significativas foram verificadas entre a idade em que a pessoa adquiriu a DV e o número de acertos no RAN-Letras. Os maiores erros na leitura de palavras no TCLP adaptado foram por trocas de letras, seguidas das omissões e das adições. Em função da escrita das palavras em Braille levantou-se a hipótese que os padrões de escrita de letras do sistema Braille com inversão de pontos (superior/inferior e 1ª coluna/2ª coluna) tenham contribuído com erros na leitura de palavras. Conclui-se, a partir das análises de dados, que nos padrões de leitura de palavras em Braille houve um predomínio de erros de leitura com trocas de letras, omissões e adições que em associação com a representação do sistema Braille contribuiu consideravelmente com o número elevado de erros ortográficos. Muitas das trocas, omissões e adições de letras contribuíram com um padrão de leitura com um número expressivo de erros por aproximação semântica de leitura evidenciando os déficits fonológicos e dificuldades de leitura dos participantes.
Abstract: The identification of indicators of phonological awareness in reading patterns for students with visual impairment (VI) who use the Braille system is an important indicator of reading competences. The general objective was to verify patterns of reading of words, numbers and letters in Braille in individuals with visual impairment. The specific objectives were: a) to identify and classify the types of errors in reading Braille words; b) to verify associations between the number of correct answers in Braille words, letters and numbers with type of VI, age of vision loss, chronological age, years attending school and time of exposure to Braille; c) to identify Braille reading pattern according to the type of words. The study adopted a cross-sectional exploratory design. The sample followed convenience criteria and was formed by 22 blind students without intellectual disability indicators (mean age = 29,09; standard deviation = 11,09; 8 females and 14 males) selected among 47 students with VI that attend a specialized educational service in Marabá, state of Pará, Brazil. The data collection instruments were: a) Rapid Automatized Naming Test (RAN/Letters and Numbers) transcribed into Braille; b) Test of word reading competence adapted and transcribed into Braille (TCLP); c) family socioeconomic classification form. The main results show a better performance at RAN compared to adapted TCLP. Participants displayed higher mean scores at TCLP for correct regular words (mean=0,89) and correct irregular words (mean=0,80). The worst performances were presented in homophone pseudo-words (mean=0,29) and strange pseudo-words (mean=0,42). Statistically significant positive correlations were observed between execution time at RAN (letters and numbers test) and age of onset of the VI. Statistically significant negative correlations were verified between the age of onset of the visual impairment and the number of correct answers at RAN-Letters. Most mistakes in reading words at TCLP were reverse letters, followed by omissions and additions. Considering the writing form of Braille system, we advanced the hypothesis that Braille‟s own writing patterns, with the inversion of dots (upper/lower and first/second column), may have contributed to the mistakes in reading words. The analysis of the collected data leads to the conclusion that, in reading patterns of Braille words, there was a prevalence of mistakes with reversion of letters, omissions and additions that, associated with the representation of Braille system, contributed to the high number of spelling mistakes. Many of the reversions, omissions and additions of letters contributed to a reading pattern with an expressive number of mistakes by semantic approximation, which highlights the participants‟ phonological deficits and reading difficulties.
Palavras-chave: deficiência visual;  sistema Braille;  leitura
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Educação, Filosofia e Teologia (CEFT)
Programa: Distúrbios do Desenvolvimento
Citação: RIBEIRO, Márcio da Silva. Padrões de leitura de palavras, números e letras em sistema Braille de alunos com deficiência visual. 2017. 100 f. Dissertação (Distúrbios do Desenvolvimento) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3308
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/19771
Data de defesa: 30-Mai-2017
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/3308/5/M%C3%A1rcio%20da%20Silva%20Ribeiro.pdf
Aparece nas coleções:Distúrbios do Desenvolvimento - Dissertações - CCBS Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons