Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/19214
Tipo do documento: Dissertação
Título: Uma investigação funcionalista da estrutura argumental preferida e da acessibilidade de referentes em narrativas escritas destinadas ao público infantil
Autor: Melo, Elise Nakladal de Mascarenhas
Primeiro orientador: Neves, Maria Helena de Moura
Primeiro membro da banca: Barros , Diana Luz Pessoa de
Segundo membro da banca: Leite, Marli Quadros
Resumo: Este trabalho investiga a estrutura argumental das predicações de transitividade direta em narrativas escritas em inglês destinadas ao público infantil. Examina-se a relação entre o fluxo de informação no discurso e o modo de preenchimento do sujeito de verbo transitivo (A) e do objeto direto (O) a fim de testar a hipótese da estrutura argumental preferida (EAP) proposta por Du Bois (1987). A EAP diz respeito a um padrão de uso dos argumentos diretos do verbo, com restrições gramaticais (evite mais de 1 argumento lexical por oração e evite A lexical) e pragmáticas (evite mais de 1 argumento novo por oração e evite A novo). Verificam-se, ainda, os fatores intervenientes na acessibilidade de referentes (ARIEL, [1990] 2016), como subsídio à interpretação dos resultados obtidos com o teste da hipótese da EAP. O conjunto do córpus é composto por dois livros ilustrados publicados na coleção Penguin Young Readers: Frances Hodgson Burnett´s The Secret Garden, destinado ao leitor em transição (crianças de 6 a 8 anos de idade); e Lewis Carroll´s Alice in Wonderland, destinado ao leitor fluente (crianças de 8 a 9 anos de idade). Adicionalmente, comparam-se os resultados com o exame do texto original Alice´s Adventures in Wonderland (CARROLL, [1865] 2009), destinado genericamente, no século XIX, ao público infantil. Com o teste da hipótese da EAP, verificou-se que a restrição de 1 argumento lexical por oração não se confirma na narrativa escrita destinada a criança de 6 a 8 anos de idade, na qual são mais frequentes as orações com ambos os argumentos (A e O) em forma lexical. Verificou-se, ainda, para o conjunto do córpus, a alta incidência de sintagma nominal lexical na posição de A. Os resultados obtidos na verificação dos fatores intervenientes na acessibilidade de referentes, por sua vez, revelam, para a posição de A, a preferência pelo substantivo próprio nos casos de intervenção negativa dos fatores “distância”, “competição”, “saliência” e “unidade” na acessibilidade referencial,dado que esse marcador de acessibilidade, operando em conjunto com a ilustração, na qual se evidenciam os traços descritivos do referente, configura-se como um acesso imediato do leitor à entidade referenciada. Para a posição de O, observa-se a preferência pelo sintagma nominal nucleado por substantivo comum nos casos de intervenção negativa dos quatro fatores na acessibilidade referencial, porquanto o objeto direto, em princípio, não se constitui como Tópico, requerendo, portanto, para a interpretação satisfatória do leitor, uma expressão referencial informativa. E afinal, para ambas as casas sintáticas (A e O), observa-se o uso de referente expresso por pronome predominantemente nos casos de intervenção positiva dos quatro fatores na acessibilidade referencial, dado que esse marcador de acessibilidade recupera um antecedente por remissão textual, dificultando o acesso da criança à entidade referenciada.
Abstract: This work investigates the argument structure of transitive clauses in English written narratives for children. The relation between the information flow in discourse and the way in which the subject of a transitive verb (A) and the direct object (O) are filled is examined in order to test the Preferred Argument Structure (PAS) hypothesis proposed by Du Bois (1987). PAS refers to an use pattern of the core arguments of the verb, with grammatical constraints (avoid more than 1 lexical argument per clause and avoid lexical A) and pragmatic constraints(avoid more than 1 new argument per clause and avoid new A). The intervening factors in referents accessibility (ARIEL, [1990] 2016) are also examined, as a subsidy to the interpretation of the results obtained in testing the PAS hypothesis. The set of the corpus consists of two illustrated books published in the Penguin Young Readers series: Frances Hodgson Burnett´s The Secret Garden, intended for the transitional reader (children from 6 to 8 years old); and Lewis Carroll´s Alice in Wonderland, intended for the fluent reader (children from 8 to 9 years old). Additionally, the obtained results are compared with the exam of the original text Alice´s Adventures in Wonderland (CARROLL, [1865] 2009), generally intended for the children of the 19th century. In testing the PAS hypothesis, it was verified that the 1 lexical argument per clause constraint was not confirmed in the written narrative intended for the children from 6 to 8 years old, in which the clauses with both arguments (A and O) in lexical form are more frequent. In the set of the corpus, it was also verified the high incidence of lexical noun phrases in the A position. The results obtained in verifying the intervening factors in referents accessibility, in turn, revealed, for the A position, the preference for the proper noun in cases of negative intervention of the “distance”, “competition”, “saliency” and “unity” factors in the referential accessibility, since this accessibility marker, operating together with the illustration, in which the referent´s descriptive features are evidenced, configures an immediate access of the reader to the referred entity. For the O position, it was observed the preference for the common noun in the noun phrase´s nucleus in the cases of negative intervention of the four factors in referential accessibility, inasmuch the direct object, in principle, does not constitute itself as Topic, thus requiring, for the satisfactory interpretation of the reader, an informative referential expression. And finally, for both syntactic positions (A and O), it was observed the use of the referent expressed by pronoun preponderantly in cases of positive intervention of the four factors in referential accessibility, since this accessibility marker retrieves an antecedent by textual remission, making it difficult for the child to access the referred entity.
Palavras-chave: gramática funcional;  estrutura argumental preferida;  transitividade;  fluxo de informação;  acessibilidade
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Educação, Filosofia e Teologia (CEFT)
Programa: Letras
Citação: MELO, Elise Nakladal de Mascarenhas. Uma investigação funcionalista da estrutura argumental preferida e da acessibilidade de referentes em narrativas escritas destinadas ao público infantil. 2017. 103. Dissertação( Letras) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3277
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/19214
Data de defesa: 13-Jun-2017
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/3277/5/Elise%20Nakladal%20de%20Mascarenhas%20Melo.pdf
Aparece nas coleções:Letras - Dissertações - CCL Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons