Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/19104
Tipo do documento: Tese
Título: Estresse e níveis de cortisol em mães de indivíduos com transtorno do espectro autista
Autor: Garcia, Aline Helen Corrêa
Primeiro orientador: Brunoni, Décio
Primeiro membro da banca: Boggio, Paulo Sérgio
Segundo membro da banca: Arita, Fernando Norio
Terceiro membro da banca: Pincinato, Eder de Carvalho
Quarto membro da banca: Mecca, Tatiana Pontrelli
Resumo: O presente estudo caso-controle foi baseado no pressuposto de que mães de filhos autistas poderiam mostrar, em relação à mães da população geral, mais indicadores de ansiedade e estresse com condizente perfil de produção de cortisol. Para testá-lo foram utilizados diversos instrumentos clássicos indicativos de ansiedade e estresse (PANAS: Positive And Negative Affect Schedule; BAI: Beck Anxiety Inventory; IDATE: Inventário de Ansiedade Traço-Estado; ISSL: Inventário de sintomas de estresse para adultos de Lipp; ASR: Adult Self-Report) e dosagens do cortisol salivar antes e após tarefas de indução do estresse agudo (TSST). Os resultados obtidos permitiram concluir que: Ansiedade Traço-Estado; ISSL: Inventário de sintomas de estresse para adultos de Lipp; ASR: Adult Self-Report) e dosagens do cortisol salivar antes e após tarefas de indução do estresse agudo (TSST). Os resultados obtidos permitiram concluir que: 1) o perfil de estresse e ansiedade foi similar nos 2 grupos de mães (casos e controles) em condições basais e após tarefas de indução de estresse; 2) imediatamente após a tarefa de indução de estresse os 2 grupos de mães mostraram aumento de sentimentos negativos e diminuição de sentimentos positivos sendo que após 20 minutos recuperaram os sentimentos positivos com efeito maior entre as mães caso; 3) a dosagem do cortisol basal das mães controle foi maior e as dosagens subsequentes seguiram o mesmo padrão do grupo casos; 4) os níveis do cortisol diferiram do esperado em relação à tarefa de estresse já que os maiores níveis foram atingidos na fase que deveria ser de recuperação; 5) A ativação emocional foi maior nas mães controles do que nas mães casos, corroborando com as maiores dosagens de cortisol nesse grupo; 6) As mães casos apresentaram níveis de cortisol basal e após a tarefa de estresse menores do que a das mães controles. 7) Mães casos e controles possuem condições socioeconômicas semelhantes, contudo o agravante de cuidar de uma criança com distúrbio do desenvolvimento, produz uma carga extra sobre as mães casos, levando a resiliência com menor reatividade a situações de estresse agudo, contribuindo para uma disfunção do eixo HHA, com diminuição dos níveis de cortisol salivar, antes e depois da tarefa de estresse. 8) outras variáveis precisam ser controladas, e um número amostral maior também é necessário para validação dos dados.
Abstract: The present case-control study was based on the assumption that mothers of autistic children could show, in relation to the mothers of the general population, more indicators of anxiety and stress with a consistent profile of cortisol production. To test it we used several classic instruments indicative of anxiety and stress (PANAS: Positive And Negative Affect Schedule; BAI: Beck Anxiety Inventory; IDATE: Trait-State Anxiety Inventory; ISSL: Lipp Adult Stress Inventory; ASR: Adult Self-Report) and salivary cortisol dosages before and after acute stress induction tasks (TSST). The results showed that: 1) the stress and anxiety profile was similar in the 2 groups of mothers (cases and controls) under baseline conditions and after stress induction tasks; 2) immediately after the task of induction of stress the 2 groups of mothers showed increase of negative feelings and decrease of positive feelings being that after 20 minutes they recovered the positive feelings with greater effect among the mothers case; 3) the baseline cortisol dosage of the control mothers was higher and the subsequent dosages followed the same pattern as the group cases; 4) cortisol levels differed from those expected in relation to the stress task since the highest levels were reached in the recovery phase; 5) Emotional activation was higher in the control mothers than in the mothers cases, corroborating the higher cortisol dosages in this group; 6) Mothers presented baseline and post-stress cortisol levels lower than controls. 7) Mothers cases and controls have similar socioeconomic conditions, however the aggravating of caring for a child with developmental disorder, produces an extra burden on mothers cases, leading to resilience with less reactivity to situations of acute stress, contributing to a dysfunction of the HHA axis, with decreased levels of salivary cortisol, before and after the task of stress. 8) other variables need to be controlled, and a larger sample number is also required for data validation.
Palavras-chave: transtorno do espectro do autismo;  estresse;  cortisol
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)
Programa: Distúrbios do Desenvolvimento
Citação: GARCIA, Aline Helen Corrêa. Estresse e níveis de cortisol em mães de indivíduos com transtorno do espectro autista. 2018. 89 f. Tese (Distúrbios do Desenvolvimento) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3680
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/19104
Data de defesa: 16-Ago-2018
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/3680/5/Aline%20Helen%20Correa%20Garcia.pdf
Aparece nas coleções:Distúrbios do Desenvolvimento - Teses - CCBS Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons