Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/19101
Tipo do documento: Tese
Título: Desenvolvimento sociocognitivo e psicomotor em bebês prematuros: avaliações comportamentais e de rastreamento visual aos 12 meses de idade
Autor: Balam, Gisane Novaes
Primeiro orientador: Osório, Ana Alexandra Caldas
Primeiro membro da banca: Sampaio, Adriana da Conceição Soares
Segundo membro da banca: Pachi, Paulo Roberto
Terceiro membro da banca: Paula, Cristiane Silvestre de
Quarto membro da banca: Schwartzman, José Salomão
Resumo: A prematuridade é um dos grandes problemas de saúde pública mundial, constituindo um importante fator risco para o desenvolvimento de problemas de ordem médica, bem como déficits cognitivos, motores e sócio-emocionais que podem persistir durante a adolescência e a vida adulta. Entre os recentes avanços tecnológicos voltados ao diagnóstico precoce de alterações neurodesenvolvimentais, o uso da técnica de rastreamento ocular tem se mostrado promissor no estudo do processamento de informação de natureza social em amostras com desenvolvimento típico e atípico. O objetivo do presente estudo foi avaliar o desenvolvimento sócio-cognitivo e psicomotor precoce de bebês nascidos prematuros, aos 12 meses de idade, comparando-os com o desenvolvimento de bebês a termo. A amostra foi composta de 38 bebês, de ambos os sexos, sendo 24 prematuros e 14 nascidos a termo. Para a avaliação do desenvolvimento psicomotor foi utilizada a Escala Bayley de Desenvolvimento Infantil–III e as habilidades sócio-cognitivas foram avaliadas utilizando a técnica de rastreamento ocular, onde foram apresentadas sequências de imagens com final congruentes e incongruentes, além de vídeos sociais e não sociais para a comparação do desempenho entre os grupos. Como resultado referente à avaliação psicomotora, verificamos que os bebês prematuros atingiram pontuações significativamente abaixo dos bebês a termo nas escalas de linguagem e motora, contudo não foram verificadas diferenças significativas ao nível da escala cognitiva. Relativamente aos resultados nas tarefas de rastreamento ocular, não foram registradas diferenças significativas entre o tempo de fixação em vídeos sociais e vídeos aleatórios quer no grupo de prematuros, quer no grupo a termo. Diferenças marginalmente significativas foram reveladas entre os grupos ao nível do tempo de fixação em vídeos aleatórios, sendo que os bebês a termo tenderam a fixar mais tempo do que os bebês pré-termo. Não foram verificadas diferenças estatisticamente significativas entre os grupos no tempo de fixação em vídeos sociais. Relativamente à segunda tarefa, não houve diferenças significativas no tempo de fixação em imagens com finais congruentes e incongruentes, respectivamente em cada grupo, bem como os grupos não se diferenciaram significativamente no tempo dedicado a observar cada tipo de imagens. Embora não tenham sido registradas diferenças estatisticamente significativas, os bebês prematuros fixaram o olhar 32% menos tempo (em média) nas imagens incongruentes do que os bebês a termo. Tais resultados ampliaram o conhecimento sobre o desenvolvimento de bebês prematuros no final do primeiro ano de vida, evidenciando que em idades precoces a prematuridade pode se revelar prejudicial ao desenvolvimento, além de demonstrar que a técnica de rastreamento ocular se revelou sensível à detecção de padrões de varredura visual dos grupos avaliados. No entanto, futuras pesquisas devem ser conduzidas para melhor descrever a influência da prematuridade em diferentes dimensões do desenvolvimento infantil. Além disso, a condução de novos estudos utilizando a técnica de rastreamento ocular junto de amostras maiores permitirá ampliar o uso desta promissora ferramenta em bebês e crianças com desenvolvimento típico ou atípico.
Abstract: Prematurity is one of the major global public health problems, constituting an important risk factor for the development of medical problems as well as cognitive, motor and socio-emotional deficits that may persist into adolescence and adulthood. Among the recent technological advancements focused on early diagnosis of neurodevelopmental problems, the use of eye-tracking has shown great promise in the study of social cognition in typical and atypical samples. The aim of this study was to evaluate the early psychomotor and sociocognitive development of preterm infants at 12 months, in comparison to a group of full-term infants. The sample was composed of 38 infants, being 24 preterm and 14 full-term. The Bayley Scales of Infant and Toddler Development-III were used to assess infants’ psychomotor development. Regarding their socio-cognitive abilities, these were assessed using eye tracking technique, where infants were presented with sequences of pictures with congruous or incongruous endings, as well as social and non-social videos. In what concerns the psychomotor evaluation, preterm infants reached significantly lower scores than their full-term counterparts in the language and motor scales, but no significant differences were found between the groups at the cognitive scale level. Regarding the eye-tracking data, no significant differences were observed between the mean fixation time in social videos and random videos either in the preterm or full-term groups. Marginally significant differences between the groups were shown in mean fixation time in random videos, where full-term infants tended to attend longer than preterm infants. No statistically significant differences were found between the groups in fixation time in social videos. Regarding the second eye-tracking task, there were no significant intragroup differences in mean fixation times towards congruous and incongruous endings. Furthermore, the groups did not differ significantly in the amount of fixation time on images with congruous and incongruous endings. Although it did not reach statistical significance, it is noteworthy that the premature group attended 32% less time (on average) to the incongruous endings, compared to their full-term counterparts. Our results expand the knowledge on the development of preterm infants in the first year of life, evidencing that prematurity may adversely affect early development, in addition to uncovering visual tracking patterns of the groups under study. Thus, future studies should be conducted to better describe the influence of prematurity in dimensions of childhood development. Furthermore, additional studies using eye-tracking technology may extend the use of this promising tool to samples of typical and atypical infants and children.
Palavras-chave: bebês;  desenvolvimento sócio-cognitivo;  desenvolvimento psicomotor;  prematuridade;  rastreamento ocular
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)
Programa: Distúrbios do Desenvolvimento
Citação: BALAM, Gisane Novaes. Desenvolvimento sociocognitivo e psicomotor em bebês prematuros: avaliações comportamentais e de rastreamento visual aos 12 meses de idade. 2018. 115 f. Tese (Distúrbios do Desenvolvimento) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3527
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/19101
Data de defesa: 8-Fev-2018
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/3527/5/Gisane%20Novaes%20Balam.pdf
Aparece nas coleções:Distúrbios do Desenvolvimento - Teses - CCBS Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons