Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/19100
Tipo do documento: Tese
Título: Efeitos do baixo peso ao nascer no desenvolvimento da linguagem e do comportamento de crianças em situação de vulnerabilidade social
Autor: Pacheco, Maria de Jesus Torres
Primeiro orientador: Macedo, Elizeu Coutinho de
Primeiro membro da banca: Mecca, Tatiana Pontrelli
Segundo membro da banca: Simões, Vanda Maria Ferreira
Terceiro membro da banca: Teixeira, Maria Cristina Triguero Veloz
Quarto membro da banca: Brunoni, Décio
Resumo: Os efeitos do baixo peso ao nascer no desenvolvimento da linguagem e do comportamento de crianças pré-escolares e escolares, que vivem em situação de vulnerabilidade social são abordados neste estudo realizado no bairro Vila Embratel em São Luís, Maranhão. Enfoca o estudo da linguagem expressiva e receptiva bem como alterações comportamentais. Objetivo: Identificar crianças com baixo peso e peso adequado ao nascer em situação de vulnerabilidade social e avaliar os efeitos no desenvolvimento da linguagem e do comportamento. Hipóteses: Características sociodemográficas apresentam correlações com o desenvolvimento da linguagem e comportamento em função da classificação ponderal ao nascer; a linguagem receptiva e expressiva bem como o comportamento sofre interferência da classificação ponderal. Método: Estudo observacional e transversal. Participaram 103 crianças com idade cronológica entre 36 e 94 meses, com idade média de 56,8 (dp=15,0) meses, sendo 54 do sexo feminino. Residiam no bairro Vila Embratel em São Luís – MA. Aqueles nascidos com baixo peso e peso adequado foram identificados a partir do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) e escolas comunitárias. Os pais responderam os seguintes instrumentos: 1) QBAI - Questionário Brasileiro do Ambiente Infantil; 2) CBCL - Inventário dos Comportamentos de Crianças; 3) ABC - Autism Behavior Checklist. A linguagem das crianças foi avaliada por meio dos seguintes testes: 1) TVIP – Teste de Vocabulário por Imagens Peabody; 2) TENA – Teste de Nomeação Automática; 3) TELEX - Teste de Linguagem Expressiva; 4) Teste Infantil de Nomeação; e 5) Teste de Consciência Fonológica para Pré-escolares. A Escala de Maturidade Mental Columbia foi usada como medida de inteligência. Resultados: constata-se que o grupo GBP apresentou a média de 1977,38 g e o grupo GPA apresentou a média de 3263,86. Não foram encontradas diferenças entre os dois grupos para sexo, idade, idade da mãe, renda familiar, tempo que frequenta a pré-escolar e escolaridade da mãe. Quanto ao tempo de gestação, foram encontradas diferenças significativas entre os grupos. Os resultados da QBAI mostram diferença significativa em números de jogos e livros de aprendizagem. O grupo GPA teve 4 a 5 brinquedos ou livros enquanto o grupo GBP apresentou 5 a 7. As crianças do GBP tiveram um desempenho inferior no teste de inteligência, mas não nos testes de linguagem. Houve uma maior prevalência de participantes com problemas internalizantes no GBP. Análise de regressão mostrou que os fatores ambientais explicaram em 20% o escore de inteligência; 44% do vocabulário avaliado pelo TVIP; 14% da consciência fonológica e 35% da nomeação automática rápida; 33% da linguagem expressiva avaliada pelo TELEX. Não foram identificados efeitos dos fatores ambientais nos escores da CBCL e da ABC. Conclusão: O baixo peso ao nascer teve efeito no teste de inteligência, mas não nas provas de linguagem e de comportamento. Análises de regressão mostram relações significativas entre os fatores ambientais e da linguagem e inteligência, com implicações também na cognição.
Abstract: The effects of low birth weight on the development of language and behavior of preschool and school children living in situations of social vulnerability are addressed in this study carried out in the neighborhood of Vila Embratel in São Luís, Maranhão. The study focuses on the study of expressive and receptive languague as well as behavioral changes under environmental influences. Objective: To identify children with low birth weight and adequate birth weight in situations of social vulnerability and to evaluate the effects on the development of language and behavior. Hypotheses: Sociodemographic characteristics present correlations with language development and behavior as a function of birth weight classification; the receptive and expressive language as well as the behavior suffer interference from the ponderal classification. Methods: Observational and cross-sectional study. A total of 103 children aged between 36 and 94 months, with a mean age of 56.8 (SD=15.0) months, 54 were female, participated in the study. All participants lived in the Vila Embratel neighborhood in São Luís - MA. Those born with low birth weight and adequate weight were identified from the Live Birth Information System (SINASC) and community schools. The parents answered the following instruments: 1) QBAI - Brazilian Child Environment Questionnaire; 2) CBCL – Child Behavior Checklist; 3)ABC- Autism Behavior Checklist. The children's language was evaluated through the following tests: 1) PPVT - Peabody Picture Vocabulary Test; 2) TENA - Automatic Naming Test; 3) TELEX - Expressive Language Test; 4) Child Appointment Test; and 5) Phonological Awareness Test for Preschoolers. The Columbia Mental Maturity Scale was used as an intelligence measure. Results: It is noted that the LBW group presented the average of 1977,38 g and the ABW group presented the average of 3263.86. No differences were found between the two groups for gender, age, mother's age, family income, time attending preschool and mother's schooling. As for the time of gestation, significant differences were found between the groups. The QBAI results show a significant difference in numbers of games and learning books. The ABW group had 4 to 5 toys or books while the LBW group had 5 to 7. The children of the LBW group had a lower performance on the intelligence test, but not on language tests. There was a higher prevalence of participants with internalizing problems in the LBW group. Regression analysis showed that environmental factors accounted for 20% of the intelligence score; 44% of the vocabulary evaluated by TVIP; 14% of phonological awareness and 35% of Rapid Automatized Naming; 33% of the expressive language evaluated by TELEX. No effects of environmental factors on CBCL and ABC scores were identified. Conclusion: Low birth weight had an effect on the intelligence test, but not on language and behavioral tests. Regression analysis shows significant relationships between environmental factors and aspects of language and intelligence.
Palavras-chave: baixo peso ao nascer;  linguagem;  comportamento;  desenvolvimento infantil;  cognição;  vulnerabilidade social;  pré-escolar;  escolar
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO HUMANO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)
Programa: Distúrbios do Desenvolvimento
Citação: PACHECO, Maria de Jesus Torres. Efeitos do baixo peso ao nascer no desenvolvimento da linguagem e do comportamento de crianças em situação de vulnerabilidade social. 2018. 126 f. Tese (Distúrbios do Desenvolvimento) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3486
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/19100
Data de defesa: 1-Fev-2018
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/3486/5/Maria%20de%20Jesus%20Torres%20Pacheco.pdf
Aparece nas coleções:Distúrbios do Desenvolvimento - Teses - CCBS Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons