Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/18877
Tipo do documento: Tese
Título: Influência da magnitude, da volatilidade e do crescimento da geração de caixa no endividamento das empresas no Brasil
Autor: Jones, Graciela Dias Coelho
Primeiro orientador: Nakamura, Wilson Toshiro
Primeiro membro da banca: Perera, Luiz Carlos Jacob
Segundo membro da banca: Martelanc, Roy
Terceiro membro da banca: Forte, Denis
Quarto membro da banca: Decourt, Roberto Frota
Resumo: A presente pesquisa apresenta como tema a relação do endividamento com a magnitude, a volatilidade e o crescimento da geração de caixa ao longo do tempo. O objetivo foi estudar algumas abordagens sobre o endividamento das empresas brasileiras de capital aberto, levantando se a magnitude, a volatilidade e o crescimento da geração do caixa ao longo do tempo influenciam o endividamento no Brasil. Adicionalmente, foi apresentado um modelo teórico conceitual: a teoria do Trade-off modificada. A teoria do Pecking order prevê que existe uma relação negativa entre a rentabilidade e o endividamento, e a teoria do Trade-off prevê que existe uma relação positiva entre a rentabilidade e o endividamento. Na teoria do Trade-off modificada defendida, a análise que está sendo adotada é a relação entre o endividamento e a geração de caixa. Supõe-se que empresas mais rentáveis tendem a gerar um maior montante de caixa, e isso sinaliza uma geração de caixa futura, e consequentemente, aumenta o seu potencial de endividamento. A variável dependente foi o Endividamento que adotou as seguintes métricas: Dívida Líquida e Dívida Bruta. Para mensurar a magnitude da geração de caixa foram usadas as seguintes proxies: ROA (Return on assets), ROIC (Return on invested capital) e Market to Book Value, em valores reais. A volatilidade da geração de caixa foi estimada pelo desvio-padrão das proxies ROA, ROIC e Market to Book Value. As variáveis de controle adotadas foram tamanho e tangibilidade. A pesquisa testou, também a interação entre a magnitude, a volatilidade e o crescimento da geração de caixa ao longo do tempo. A amostra foi composta pelas empresas brasileiras de capital aberto. Os dados foram coletados na Economática® e compreendeu o período de 2008 – 2016, com periodicidade anual, de 94 empresas brasileiras de capital aberto. Para análise dos dados adotou-se Estatística Descritiva, Análise de Correlação, Cros Section e Painel de dados com a utilização do software Stata. Os resultados das análises testificaram a importância da interação entre o crescimento e a magnitude do ROA, do ROIC e do Market to Book Value, para explicar o endividamento das empresas brasileiras, conforme foram testados. Todos os endividamentos testados pela presente pesquisa, com exceção do endividamento líquido, fazeram sentido. Constatou-se que o endividamento das empresas brasileiras pode ser explicado, de forma mais predominante, pela magnitude e pelo crescimento da geração de caixa do que pela volatilidade. Outra importante constatação foi o papel do crescimento da geração de caixa, como um fator-chave determinante para explicar o endividamento das empresas brasileiras.
Abstract: This paper presents as theme the relation between indebtedness and magnitude, volatility and growth of cash flow throughout time. The objective is to study some approaches on the indebtedness of Brazilian publicly traded companies, analyzing if the magnitude, volatility and the growth of cash flow throughout time have any influence on the indebtedness in Brazil. In addition, a conceptual, theoretical model is presented: the modified Trade-off theory. The Pecking Order theory predicts that there is a negative relation between profitability and indebtedness, and the Trade-off theory predicts that there is a positive relation between profitability and indebtedness. In the modified Trade-off theory discussed herein, the analysis that is being adopted is the relation between indebtedness and cash flow. It is assumed that more profitable companies trend to generate a higher cash amount and this indicates a future cash flow, which as a result increases its indebtedness potential. The dependent variable is the Indebtedness, which adopts the following metrics: Net Debt and Gross Debt, totalizing six tested variables. To measure the cash flow magnitude, the following proxies are used: ROA (Return On Assets), ROIC (Return On Invested Capital) and Market to Book Value, in actual cash values. The cash flow volatility is estimated through the standard deviation of the proxies ROA, ROIC and Market to Book Value. The adopted control variables are the size and tangibility. This paper also tests the interaction between magnitude, volatility and growth of cash flow throughout time. The sample is comprised of the Brazilian publicly traded companies. Data are collected from Economática® and are related to the period from 2008 to 2016, with annual periodicity, of 94 Brazilian publicly traded companies. For data analysis, the Descriptive Statistics, Correlation Analysis and Data Cross Section and Panel are adopted, using the Stata software. The analyses’ results testify the importance of the interaction between growth and magnitude of ROA, ROIC and Market to Book to explain the indebtedness of Brazilian companies as tested in the panels. All of the tested indebtedness types presented herein, except for the net indebtedness, make sense. It was found that the indebtedness of Brazilian companies can be predominantly explained by the magnitude and growth of cash flow rather then volatility. Other important finding is the role of the growth of cash flow as a key determining factor to explain the indebtedness of Brazilian companies.
Palavras-chave: estrutura de capital;  endividamento;  geração de caixa;  teoria do trade-off;  teoria trade-off modificada
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO DE EMPRESAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)
Programa: Administração de Empresas
Citação: JONES, Graciela Dias Coelho. Influência da magnitude, da volatilidade e do crescimento da geração de caixa no endividamento das empresas no Brasil. 2018. 119 f. Tese (Doutorado em Administração de Empresas) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3740
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/18877
Data de defesa: 28-Mai-2018
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/3740/5/GRACIELA%20DIAS%20COELHO%20JONES.pdf
Aparece nas coleções:Administração de Empresas - Teses - CCSA Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons