Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/18400
Tipo do documento: Dissertação
Título: A morte de Deus: uma crítica Nietzschiana ao modelo ético-moral da civilização ocidental
Autor: Gonçalves, Renato de Assis
Primeiro orientador: Pereira, João Baptista Borges
Primeiro membro da banca: Caldas Filho, Carlos Ribeiro
Segundo membro da banca: Campos, Leonildo Silveira
Resumo: O presente trabalho refletirá sobre o conceito de morte de Deus lançado pelo filósofo Friedrich Wilhem Nietzsche no século XIX, buscando resgatar a idéia original da aplicação deste conceito. Caminhar-se-á através das sendas filosóficas criadas por Nietzsche, buscando-se compreender, inclusive, que suas experiências familiares e seu envolvimento pessoal com a fé cristã que deu-se desde sua infância até, sua chegada à escola de Pförta onde por influência de renomados professores, inicia seu apreço pela filosofia oriental rompendo com a fé cristã, contribuíram para sua concepção de religião, e, conseqüentemente, para seu ataque à religião e moral cristãs. Não obstante, observaremos que em sua filosofia, suas missivas dirigem-se não à metafísica cristã; o filósofo não busca provar que Deus não existe. Deste modo, sua filosofia não pode ser considerada como uma apologia ao ateísmo, Nietzsche não atacou a Deus, antes, ao discurso sobre Deus. E como filólogo que era, buscou encontrar a intenção fundamental neste discurso, ao mesmo tempo tencionou desvelar e denunciar seu estratagema. Uma vez que seu autor já é bem conhecido da experiência pregressa do filósofo em sua família possuíra três gerações de pastores a autoria deste discurso cabe somente à igreja, que é a instituição que fala em nome de Deus. Ao criticar a igreja, Nietzsche busca encaminhar esta critica de forma holística como criticando toda a civilização ocidental, que formou sua cultura, sua moral, sua política, sua ética, sobre esta base comum chamada cristianismo, que encontra na igreja sua fiel representação. Buscar-se-á demonstrar que o filósofo, com suas críticas, não buscou destruiu a religião; antes, propôs uma nova religião através da transvaloração do sagrado, encontrando na educação as bases para uma nova civilização, a partir do conhecimento do homem que é capaz de aprender a superar a si mesmo.
Abstract: The present research will reflect on the concept of death of God launched for the philosopher Friedrich Wilhem Nietzsche in century XIX, searching to rescue the original idea of the application of this concept. It will be walked through the philosophical footpaths created by Nietzsche, searching to understand, also, that its familiar experiences and its personal envolvement with the Christian faith that was given since its infancy until, its arrival to the school of Pforta where for influence of famous professors, initiates its appraise for the eastern philosophy breaching with the Christian faith, had contributed for its conception of religion, and, consequently, for its attack to the Christian religion and moral. However, note that in their philosophy, their dispatches that they are not the Christian metaphysics, the philosopher does not seek to prove that God does not exist. Thus, his philosophy can not be regarded as an apology to atheism, Nietzsche attacked not for God, rather, to talk about God. And that was philologist, we find the fundamental intent in this speech, while intended to uncover and expose their ruse. Since its author is already well known from past experience of the philosopher - in his family had three generations of preachers - the authorship of this speech it is only the church, which is the institution that speaks in the name of God. In criticizing the church, Nietzsche looking forward this criticism in a holistic manner as criticizing the entire Western civilization, which formed its culture, its morale, its politics, its ethics, based on this common call Christianity, which finds its faithful representation in the church. One will search to demonstrate that the philosopher, with its critical, did not search destroyed the religion; before, it considered a new religion through the transvaliation of the sacred one, finding in the education the bases for a new civilization, from the knowledge of the man who is capable to learn to surpass itself exactly.
Palavras-chave: Deus;  ética;  Nietzsche;  cultura;  religião;  God;  ethics;  Nietzsche;  culture;  religion
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::TEOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Religião
Programa: Ciências da Religião
Citação: GONÇALVES, Renato de Assis. A morte de Deus: uma crítica Nietzschiana ao modelo ético-moral da civilização ocidental. 2009. 207 f. Dissertação (Mestrado em Religião) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/2523
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/18400
Data de defesa: 17-Fev-2009
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/2523/1/Renato%20de%20Assis%20Goncalves.pdf
Aparece nas coleções:Ciências da Religião - Dissertação - CEFT Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.