Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/18390
Tipo do documento: Dissertação
Título: Vida após a morte: uma análise das escatologias católico-romana e protestante-reformada e suas possíveis influências no modus vivendi dos cristãos
Vida após a morte: uma análise das escatologias católico-romana e protestante-reformada e suas possíveis influências no modus vivendi dos cristãos
Autor: Silveira Filho, Darly Gomes
Primeiro orientador: Gomes, Antônio Máspoli de Araújo
Primeiro membro da banca: Romeiro, Paulo Rodrigues
Segundo membro da banca: Chaves, Arthur Pinto
Resumo: Conquanto a expectativa comum da igreja cristã seja a ressurreição dos mortos para redenção plena dos que crêem em Cristo, entre os grupos católico-romano e protestante-reformado há divergência sobre o que ocorre durante o estado intermediário. O católico-romano crê nas doutrinas do purgatório e da intercessão pelos mortos razão pela qual reza para que a Santa Maria interceda na hora da morte e entrega-se a São José, o padroeiro da boa morte; participa da eucaristia, dá esmola, pratica obras de misericórdia, faz orações e oferece sufrágios em benefício das almas no purgatório; reza para que as almas dos santos defuntos intercedam por eles diante de Deus; louva à virgem Maria como a primeira, dentre todos os remidos, a ser ressuscitada dentre os mortos; e pratica boas obras para atenuar sua situação no dia do juízo final (em razão de crerem que a salvação é alcançada pela fé em Cristo e pelas boas obras). O protestante-reformado crê que enquanto a alma do justo está gozando da comunhão com Cristo, a alma do ímpio está sofrendo afastada de Cristo. Essa situação é temporária, pois ambos aguardam a ressurreição dos mortos e julgamento final para que tanto o justo possa desfrutar da salvação integralmente (no corpo e na alma) assim como o ímpio possa receber o justo juízo integralmente (no corpo e na alma) razão pela qual não intercede pelos mortos (nem mesmo tem o hábito de visitar os túmulos) e nem pede a intercessão dos santos defuntos; não pratica boas obras com vistas à salvação (nem mesmo procura ocasião para as boas obras); não pratica a extrema unção (mas evangeliza o moribundo no leito da morte); e mantém uma visão polarizada do status pós-morte: céu ou inferno. O cristão protestante-reformado tem a firme convicção de sua salvação (conforme doutrina da perseverança dos santos). Essa é a razão pela qual enfrenta serenamente o luto e a idéia de sua própria morte.
Abstract: Although the expectative common of the Christian church is the resurrection ofthe dead for the absolute redemption of those who have faith in Christ, among the catholic-roman and protestant-reformed groups there is divergence about what happens during the intermediate state. The catholic-roman has the faith in the doctrine of the purgatory and interception for the dead reason for the which pray for Mary, Jesus Christ mother s, to intercede in the hour of the death and surrenders himself to St. Joseph, the patron of the good death; he participles of the Sacrament of Eucharist, gives alms, practices mercy works, makes prayers and offers suffrage in benefit of the souls of the purgatory; he prays for souls of the dead saints intercede to him before God; he praises to the virgin Mary as the first, among the redeemed, to be resurrected among the dead s; and he practices good works to attenuate his situation in the day of the final judgment (in reason of believe that the salvation is reached by the faith in Christ and the good woks). The protestant-reformed believes that while the soul of the fair is enjoying of the communion with Christ, the heretic s soul is suffering faraway from Christ. That situation is temporary, because both wait for the resurrection of the dead and the final judgment in order to the fair can to enjoy of the salvation integrally (in the body and in the soul) and heretic can to receive the fair judgment integrally (in the body and in the soul) reason for the which doesn t intercede for the dead s (not even has the habit of visiting the graves) and nor asks for the dead saint s intercession; he doesn t practice good works with views the salvation (not even look for occasion for the good works); he doesn t practice the extreme unction (but evangelizes the dying in the bed of death); and he maintains a polarized vision of the status powder-death: heaven or hell. The protestant-reformed Christian has the firm conviction of his salvation (according to doctrine of the saint s perseverance). That is the reason for which calmly faces the mourning and the idea of his own death.
Palavras-chave: igreja católica apostólica romana;  igreja reformada;  estado intermediário;  ressurreição;  morte;  roman catholic church;  reformed church;  state intermediate;  resurrection;  death
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::TEOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Religião
Programa: Ciências da Religião
Citação: SILVEIRA FILHO, Darly Gomes. Vida após a morte: uma análise das escatologias católico-romana e protestante-reformada e suas possíveis influências no modus vivendi dos cristãos. 2008. 78 f. Dissertação (Mestrado em Religião) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/2512
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/18390
Data de defesa: 19-Ago-2008
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/2512/1/Darly%20Gomes%20Silveira%20Filho.pdf
Aparece nas coleções:Ciências da Religião - Dissertação - CEFT Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.