Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/15479
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorGiglio, Ernesto Michelangelo; Universidade Paulista-
dc.creatorRyngelblum, Arnaldo Luiz; Universidade Paulista-
dc.date2009-06-14-
dc.date.accessioned2016-12-02T21:56:15Z-
dc.date.available2016-12-02T21:56:15Z-
dc.identifierhttp://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/RAM/article/view/529-
dc.identifier.urihttp://dspace.mackenzie.br/handle/10899/15479-
dc.descriptionThis article’s objective is to investigate the awareness and social representations of consumers in a piracy network, and to forward an alternative strategic principle to fight this illegal form of commerce, taking the network model with the inclusion of the consumer as its departing point. Its basic assertion is that piracy can be understood to be organized according to a network, where the consumer is an important actor, who upholds the net due to his specific perceptions and social representations about the government, the products’ manufacturers, the camelôs (street vendors), and about himself. These perceptions include themes that are beyond price, that is the most surveyed variable in this domain. This work is supported by the social network theory, that makes up the big picture where business networks are included, involving the notions of interdependence, commitment, expectations, social representations, as well as the concept of the ‘tie’, which is the study unit that constitutes the network. A focus group survey was conducted with adolescents and adults, where it has become evident the perception of positive social representations relative to piracy, that is the camelô, while the government and the companies that fight piracy have been portrayed negatively. In this work’s conclusions, it is shown that there is a gain in comprehension of the situation when the consumer is included in the network picture, in relation to the pirate commerce preservation, as well as to the combat strategies. In an important parallel conclusion, and considering the less than expected results on the government’s part in the fight against piracy, it is suggested a strategic principle that flows from social networks. The assumption of this proposal is that it is only possible to fight a network from the perspective of another one, as it is stated in examples of social and business organizations. Key wordsConsumer, piracy, networks, strategies of combaten-US
dc.descriptionO objetivo deste artigo é investigar as percepções e representações sociais do consumidor na rede de pirataria e propor uma alternativa de princípio estratégico de combate a esse comércio ilegal a partir de um modelo de rede que inclui o ator consumidor. A afirmativa básica é que a pirataria se organiza no formato de rede, onde o consumidor é um ator importante; que mantém a rede devido às suas específicas percepções e representações sociais sobre o governo, sobre as empresas fabricantes, sobre os camelôs e sobre si próprio; percepções estas que abrangem mais do que o preço, que é o fator mais pesquisado no tema de pirataria. A base teórica de apoio é o conceito de rede social que existe como pano de fundo nas redes de negócios, com seus fatores de interdependência, comprometimento, expectativas e representações sociais, bem como o conceito de nó, que é a unidade de estudo das redes. Realizou-se uma pesquisa com grupos de adolescentes e adultos e os dados mostraram a presença de representações sociais positivas sobre a ponta da pirataria, que é o camelô; e representações sociais negativas sobre o governo e as empresas que combatem a ilegalidade. Nas conclusões mostra-se que há um ganho de compreensão quando se inclui o ator consumidor na rede, tanto no que se refere à manutenção do comércio pirata, quanto às estratégias de combate. Como conclusão secundária importante, considerando os resultados abaixo do esperado por parte do governo no combate à pirataria, sugere-se um princípio estratégico a partir das redes sociais. A premissa da proposta é que só se combate uma rede a partir de outra rede, conforme atestam alguns exemplos de organizações sociais e comerciais.  Palavras chaveConsumidor, pirataria, redes, estratégias de combatept-BR
dc.formatapplication/pdf-
dc.languagepor-
dc.publisherEditora Mackenziept-BR
dc.relationhttp://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/RAM/article/view/529/1098-
dc.rightsDireitos autorais 2015 Revista de Administração Mackenziept-BR
dc.sourceRevista de Administração Mackenzie; v. 10, n. 4 (2009)en-US
dc.sourceRevista de Administração Mackenzie; v. 10, n. 4 (2009)es-ES
dc.sourceRevista de Administração Mackenzie; v. 10, n. 4 (2009)pt-BR
dc.source1678-6971-
dc.source1518-6776-
dc.subjectDesenvolvimento empresarial, Redes de negóciospt-BR
dc.titleAn investigation about the consumer actor in the piracy network and a strategy combat alternative proposalen-US
dc.titleUma investigação sobre o ator consumidor na rede de pirataria e uma proposta de alternativa de estratégia de combatept-BR
dc.typeinfo:eu-repo/semantics/article-
dc.typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion-
dc.typeAvaliado por Parespt-BR
dc.typeanálise de conteúdopt-BR
dc.coverageEstado de São Paulopt-BR
dc.coverageperíodo contemporâneopt-BR
dc.coveragepor idade e grau de instruçãopt-BR
Aparece nas coleções:Revista de Administração Mackenzie

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.