Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/14701
Tipo do documento: Tese
Título: Os robôs e Isaac Asimov : uma análise das relações entre o homem e a máquina na literatura e no cinema de ficção científica
Autor: Melo, Karen Stephanie
Primeiro orientador: Atik, Maria Luiza Guarnieri
Primeiro membro da banca: Alvarez, Aurora Gedra Ruiz
Segundo membro da banca: Hanna, Vera Lucia Harabagi
Terceiro membro da banca: Nitrini, Sandra Margarida
Quarto membro da banca: Philippov, Renata
Resumo: A Ficção Científica é popularmente conhecida por filmes que, quase sempre, apresentam espaçonaves, viagens interplanetárias, cenários futurísticos e homens convivendo com tecnologias extremamente avançadas. No entanto, antes mesmo do cinema, a Ficção Científica é um gênero literário que teve sua origem no início do século XX, nos Estados Unidos, em revistas conhecidas como pulp fiction. Com isso, o gênero foi se desenvolvendo conforme os fãs das revistas emitiam suas opiniões sobre as narrativas e, também, se aventuravam em escrever suas próprias histórias. Um dos leitores dessas revistas tornou-se um grande autor do gênero e, com seus contos, levou os leitores a imaginarem como seria o mundo se existissem robôs tão inteligentes quanto os seres humanos. Esse autor, chamado Isaac Asimov, acabou por influenciar diversos outros escritores, diretores de cinema e produtores de séries de TV que viriam a criar outras narrativas bastante populares, como Star Wars, Star Trek, Terminator, 2001: Space Odyssey, entre outros. Assim como nos contos de Asimov, essas narrativas sempre colocam o homem diante da figura de um robô que ora é amigo e auxiliador, ora volta-se contra o ser humano. Diante disso, este trabalho propõe um estudo de três contos de Isaac Asimov, publicados em revistas pulp ao longo da década de 1940 e reunidas em coletânea em 1950 com o título de I, Robot (Eu, Robô) e do filme Artificial Intelligence, dirigido por Steven Spielberg e lançado em 2001. A análise do corpus tem como propósito entender de que modo se estabelecem as relações entre o homem e a máquina e seus sentidos na Ficção Científica, tanto na literatura do início do século XX, quanto no cinema contemporâneo.
Abstract: Science Fiction is popularly known for movies that usually present spaceships, interplanetary travels, futuristic scenarios, and men living with highly advanced technology. However, even before the movies, Science Fiction is a literary genre originated in the beginning of the 20th century, in the United States, in magazines known as pulp fiction. With that, the genre started to develop itself, as magazine fans would give their opinion about the stories and, also, tried to write their own stories. One of these readers has become a great author of the genre and with his short stories he enabled readers to imagine how the world would be if there were robots so smart as human beings. This author, named Isaac Asimov, ended up influencing several other writers, movie directors and TV series producers who would create other very popular stories, such as Star Wars, Star Trek, Terminator, 2001: Space Odyssey, and others. As in Asimov’s short stories, these narratives will always put men before robots, which are sometimes friendly and helpful, and other times are mean and threatening to humans. In light of this, this paper proposes a study of three of Isaac Asimov’s short stories, published in pulp magazines in the 1940s and published as a compilation in the 1950s under the title of I, Robot, and of the movie Artificial Intelligence, directed by Steven Spielberg in 2001. The analysis of the corpus aims to comprehend how the relation between men and machine is established in Science Fiction and what this relation means, both in the 20th century literature and in the contemporary cinema.
Palavras-chave: Isaac Asimov;  robôs;  literatura de ficção científica;  cinema de ficção científica;  Inteligência artificial
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Comunicação e Letras (CCL)
Programa: Letras
Citação: MELO, Karen Stephanie. Os robôs e Isaac Asimov : uma análise das relações entre o homem e a máquina na literatura e no cinema de ficção científica. 2016. 146 f. Tese( Letras) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/2920
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/14701
Data de defesa: 22-Fev-2016
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/2920/5/Karen%20Stephanie%20Melo.pdf
Aparece nas coleções:Letras - Teses - CCL Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.