Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13986
Tipo do documento: Dissertação
Título: Auto dos anfitriões e O homem duplicado: diferentemente iguais
Autor: Souza, Eli Fernandes de
Primeiro orientador: Alvarez, Aurora Gedra Ruiz
Primeiro membro da banca: Lopondo, Lílian
Segundo membro da banca: Ribeiro, Raquel de Sousa
Resumo: Este trabalho consiste na análise de o Auto dos Anfitriões, de Luís Vaz de Camões, escrito em 1587, e de O homem duplicado, de José Saramago, romance editado em 2002. As referidas obras abordam a temática do duplo, assunto recorrente na literatura desde tempos primordiais, e nelas se encontram diferentes formas de constituição da duplicidade. No corpus sob análise, o diálogo estabelece-se, em primeira instância, com o mito de Anfitrião, e com menor intensidade, com outros mitos da cultura ocidental. A análise das referidas obras tem, como apoio teórico, os estudos concebidos por Bakhtin sobre o dialogismo, visto como princípio constitutivo da linguagem, e as pesquisas de Sigmund Freud a respeito do duplo em seu artigo O estranho . Amparados por esses estudos seminais e por contribuições de outros especialistas nesses assuntos, perseguem-se, nesta dissertação, os escopos de: investigar como o tema do duplo é tratado em cada obra e para que direcionamentos a crise identitária aponta; analisar o discurso dos personagens, para observar como o eu atua face ao outro; e, por fim, examinar de que mecanismos a narrativa dispõe na confrontação desses sujeitos discursivos. Do estudo das obras, será possível apreender que, na literatura antiga, o conflito da perda da individualidade, fator intrínseco ao tema do duplo, não assume, em sua predominância, dimensões dramáticas, como ocorre na literatura moderna que, com freqüência, atinge desfechos trágicos. Por obra dos deuses do Olimpo, o conflito instala-se e finda-se no auto camoniano e a crise identitária não se agrava, por diluir-se diante do chiste, do tom jocoso, enquanto que, por força da solidão humana, do individualismo e da desreferencialização do homem moderno, a crise ontológica em O homem duplicado abriga-se na existência do protagonista, minando suas defesas, a ponto de destruí-lo.
Abstract: This work consists of the analysis of Auto dos Anfitriões, by Luís Vaz de Camões, which was written in 1587, and The Double, by José Saramago, published in 2002. These works approach the theme of the double a recurrent subject in literature since primordial times and they present different manners of constituting duplicity. In the analyzed corpus, the dialogue is established firstly with the myth of Amphitryon, and, though less intensely, with other western culture myths. The analyses have as theoretical support Bakhtin studies on dialogism which is seen as a constitutive principle of language and Sigmund Freud researches on the double in his article The uncanny . Sustained by these seminal studies and contributions by other experts on the subject, we aim at investigating how the theme of the double is treated in each work and to which directions the identity crisis point; analyzing the characters discourse, so as to observe how the I acts before the other; and, at last, examining the mechanisms to which the narrative resorts in the confrontation of these discursive subjects. The study of these works shows that in ancient literature the loss of individuality, which is an intrinsic factor to the theme of the double, does not predominantly assume dramatic dimensions, as it happens in modern literature, which frequently reach tragic outcomes. Trough the work of Olympian gods the conflict is both established and ended in the text by Camões, therefore the identity crisis is not aggravated, but attenuated before the jest, the humorous tone, while, due to human solitude, individualism and modern man s lack of references, the ontological crisis in The Double occurs within the hero s existence, undermining his defenses to, eventually, destroy him.
Palavras-chave: duplo;  identidade;  autoconsciência;  mito;  double;  identity;  self-conscience;  myth
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::LINGUA PORTUGUESA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Letras
Programa: Letras
Citação: SOUZA, Eli Fernandes de. Auto dos anfitriões e O homem duplicado: diferentemente iguais. 2009. 109 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/2273
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13986
Data de defesa: 6-Fev-2009
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/2273/1/Eli%20Fernandes%20de%20Souza.pdf
Aparece nas coleções:Letras - Dissertações - CCL Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.