Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13913
Tipo do documento: Dissertação
Título: Roosevelt, Vargas e a liberdade: história em contexto: o ethos e a guerra da língua pelas perspectivas da AD e dos estudos culturais
Autor: Avelar, Regina Paula Ambrogi
Primeiro orientador: Hanna, Vera Lúcia Harabagi
Primeiro membro da banca: Bastos, Neusa Maria Oliveira Barbosa
Segundo membro da banca: Philippov, Renata
Resumo: A presente dissertação parte em busca de possíveis implicações transculturais referentes à conceituação de liberdade como um tema sócioculturalmente marcado na identidade de um povo. Analisamos a posição do sujeito (ethos discursivo) e os papeis assumidos por ele, considerando-se a bivocalidade locutor/alocutário na dialogização das seguintes alocuções políticas: o discurso do presidente americano Franklin Delano Roosevelt As quatro liberdades de 1941 e o discurso do presidente brasileiro Getúlio Dornelles Vargas de 1943, intitulado As comemorações da Independência Nacional e entrada do Brasil na guerra . O objetivo geral é o de buscar a voz da liberdade no processo de apagamento de vozes que naturalmente intervêm no discurso, além da observação das guerras de língua que ali se instauram sub-repticiamente. A primeira etapa dessa pesquisa consistiu em um levantamento de conceitos da Análise do Discurso (AD) referentes às noções de discurso e de discurso político, seus elementos constitutivos, suas coordenadas espaço-temporais, assim como um panorama da noção de ethos discursivo desde a noção aristotélica à perspectiva dos Estudos Culturais. O procedimento adotado visa a analisar os ethe construídos nos discursos selecionados com o intuito de desvelar a voz de liberdade que eles possam vincular. A segunda etapa examinou os conceitos de transculturalidade, interculturalidade e multiculturalidade pela perspectiva dos Estudos Culturais para que traçássemos um paralelo entre as ideias de liberdade para os povos norte-americano e brasileiro por meio da análise transcultural das guerras de língua que se travam nos pronunciamentos. A terceira parte trouxe um levantamento dos aspectos do contexto histórico-ideológico-sócio-cultural dos momentos dos pronunciamentos para que pudéssemos delinear as análises incluindo também esses aspectos. A análise transdisciplinar aqui desenvolvida objetivou articular essas três áreas distintas do conhecimento a história, a AD e os Estudos Culturais em uma abordagem transcultural de uma temática universal (a liberdade) com o intuito de fomentar a análise crítica de momentos e de discursos que deixaram legados (trans)culturais relevantes para a atualidade.
Abstract: The present thesis can be read as possible transcultural implications referring to conceptualization of liberty as a socio-cultural theme determined by the identity of a people. We analyzed the position assumed by the subject (discursive ethos) and its roles considering the bivocality speaker/audience in dialogism of the following policy addresses: the speech of the American President Franklin Delano Roosevelt The four freedoms (1941), and the address of the Brazilian President Getúlio Dornelles Vargas (1943), known as The celebrations of National Independence and the Entrance of Brazil in the War . Our general objective is to seek the voice of freedom in the process of erasure of voices which naturally act in the discourse, besides the observation of language wars which frame themselves surreptitiously there. The first stage of this research consisted of surveying concepts of Discourse Analysis (DA) concerning the notions of discourse and political discourse, its constitutive elements, its space-time coordinates, besides a panorama of discursive ethos knowledge from the Aristotelic understanding to its perspective in Cultural Studies. The procedure adopted aims to analyze the ethe built in the speeches selected with the intention of revealing voices of freedom that they might entail. The second phase examined the concepts of transculturality, interculturality and multiculturality through the perspective in Cultural Studies in order to depict a comparison between the ideas of liberty for the American and Brazilian peoples through transcultural analysis of language wars which wage themselves in the discourse. The third stage brought a stocktaking of the aspects from the historical-ideological-sociocultural context from the moments of the addresses which allowed us to delineate the analyses including those aspects. The transdisciplinary analysis here developed targeted for articulating three distinguishable subjects History, DA and Cultural Studies in a transcultural approach of a universal thematic (liberty/freedom) aiming at fostering the critical analysis of moments and speeches which left (trans)cultural legacies relevant to the present time.
Palavras-chave: liberdade;  análise transcultural histórica;  ethos;  guerras de língua;  Análise do Discurso (AD);  estudos culturais;  liberty;  historical transcultural analysis;  ethos;  language wars;  Discourse Analysis (DA);  cultural studies
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Letras
Programa: Letras
Citação: AVELAR, Regina Paula Ambrogi. Roosevelt, Vargas e a liberdade: história em contexto: o ethos e a guerra da língua pelas perspectivas da AD e dos estudos culturais. 2014. 204 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/2191
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13913
Data de defesa: 23-Abr-2014
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/2191/1/Regina%20Paula%20Ambrogi%20Avelar.pdf
Aparece nas coleções:Letras - Dissertações - CCL Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.